SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Instagram siga no Instagram

 

1.        b) a definição de um perfil para a ação portuguesa na América, que incluiu a produção voltada ao mercado externo e a consolidação da ocupação territorial.   

2.        d) a constituição da grande propriedade, o tráfico de africanos escravizados e a existência de amplo mercado consumidor na Europa.   

3.        b) o grau maior ou menor de autonomia dos centros de produções agrícolas para com as relações socioeconômicas mais gerais.   

4.        c) terem iniciado a própria produção de açúcar nas Antilhas quebrando o monopólio do açúcar brasileiro.

5.        c) a articulação entre um sistema de produção voltado ao atendimento das necessidades e interesses da metrópole e as estratégias de subsistência.   

6.        e) implementar a agromanufatura açucareira para viabilizar a continuidade da empreitada colonial.   

7.        c) a participação financeira dos holandeses, já que a produção de açúcar exigia grande número de escravos, instalações de alto custo e mão de obra especializada.   

8.        e) pela utilização da mão de obra escravizada vinda da África, produção em larga escala de gêneros tropicais para a exportação e cultivo em grandes propriedades chamadas latifúndios.   

9.        b) A escravidão africana foi justificada por diferentes narrativas que utilizavam passagens bíblicas para defender o trabalho forçado como castigo divino ou como forma de expiação dos supostos pecados dos africanos, que, muitas vezes, na América portuguesa, foram separados de membros de suas famílias e comunidades.   

10.    d) pau-brasil, cana-de-açúcar e mineração.    

11.    c) a metrópole estabeleceu o monopólio real, porém a comercialização do açúcar pas­sou para os porões dos navios holandeses, que acabaram por assumir parte substan­cial do tráfego entre Brasil e Europa;    

12.    e) monocultura extensiva com emprego de trabalho compulsório.   

13.    b) era voltada para além do mercado externo, com diversas culturas ligadas ao mercado interno, e a mão de obra era majoritariamente de escravizados, mas com a presença de trabalhadores livres.   

14.    d) os indígenas que apoiaram os franceses de Villegagnon foram os Tupinambás;    

15.    e) hierarquizada por critérios diversos, tais como a etnia e riqueza.   

16.    c) O custo relativo do frete dos metais preciosos viabilizou a interiorização da colonização portuguesa.   

17.    d) esse produto desrespeitava um princípio central nas relações que algumas metrópoles europeias impunham aos seus espaços coloniais, nesse caso, a quebra do monopólio de grupos mercantis do reino e a concorrência a produtos da metrópole.   

18.    d) a introdução da cultura da cana-de-açúcar com uso de trabalho compulsório e a instituição de um governo geral.    

19.    a) opção pela implantação da economia açucareira, com base na grande propriedade rural e no trabalho escravo, articula-se com o mecanismo de dominação colonial e com a política mercantilista.    

20.    c) o trabalho de escravos negros africanos no engenho de cana-de-açúcar.





Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: