SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Instagram siga no Instagram

 

1. (Prof. Jarlison Augusto/ 2022) Duas regiões, que mais tarde foram colonizadas pelos espanhóis, abrigaram diversos povos pré-colombianos.


Quanto aos povos da América Pré-colombiana, distribuídos entre a Mesoamérica e a América Andina, marque a afirmativa correta: 
a) Maias, astecas e zapatecas: América Andina
b) Nazca, Caral e astecas: Mesoamérica
c) Caral, Nazca e Incas: América Andina
d) Incas, maias e astecas: Mesoamérica

2. (Prof. Jarlison Augusto/ 2022) A mais de 150 km ao norte de Lima, mais especificamente no Vale de Supe, em Barranca, há mais de 5 mil anos se estabeleceu a que é reconhecida, até agora, como a cidade mais antiga da América: Caral. Apesar de não ter conhecimentos de cerâmica ou de maquinaria, esta civilização conseguiu desenvolver aspectos que até hoje são objeto de admiração, como o intercâmbio comercial, a sociedade hierarquizada, as relações interculturais e a manipulação dos ecossistemas.

Sobre essa sociedade marque o que for correto:

a) Essa cidade se desenvolveu numa região do Peru e seu sítio arqueológico é patrimônio da humanidade.

b) Foi uma civilização que se desenvolveu na Mesoamérica, na região do Golfo do México e tinha como característica religiosa o politeísmo.

c) A civilização Caral era organizada conforme o grau de parentesco e nunca construiu grandes monumentos. Essa característica é estritamente dos maias, astecas e egípcios.

d) Sua origem é o norte do Brasil, havendo um processo de migração para os Andes a partir do ano 1200 a.C.


3. (Prof. Jarlison Augusto/ 2022) Um dos principais aspectos do Império Inca foi o amplo cultivo de diversos tipos de vegetais, legumes, frutas e grãos. Para auxiliar no transporte e manutenção do império, foram domesticados alguns animais típicos da região, que até hoje são associados a ela.

Quais eram esses animais?

a)   Cavalos para o transporte em longas distâncias e bezerros para regiões montanhosas.

b)  Camelos para o transporte em longas distâncias e lhamas para regiões montanhosas.

c)   Alpacas para o transporte em montanhas e cavalos para as longas distâncias.

d)  Alpacas e lhamas para regiões montanhosas e transporte de colheita.

 

4. (Prof. Jarlison Augusto/ 2022) Caral e incas foram sociedades ágrafas, porém eles usavam o instrumento mostrado na imagem, que servia para algumas atividades específicas, sendo utilizado como um(a)

Representação de um quipo.


a)   objeto sagrado em rituais para as divindades.

b)  brinquedo exclusivo para as meninas da cidade.

c)   espécie rede para a pesca e a caça de alimentos.

d)  instrumento para a comunicação e contabilidade.


5. (Prof. Jarlison Augusto/ 2022) No auge do seu império, o território inca ia desde o extremo Oeste da Colômbia ao Chile, percorrendo toda a costa e possuindo, como centro, a cidade de Cuzco, no Peru. A vida dos incas era muito comunitária, produziam em um sistema de cooperativas e era isso o que dava prosperidade ao Império, pois os laços sociais eram muito fortes. Além disso, os incas deviam dedicar 2/3 de seu tempo produzindo para o Estado – trabalhando em obras públicas.

ANDRADE, Melissa. RIBEIRO, Kenia. A sabedoria e beleza do Império Inca: resgatando sua mitologia e imaginário. Revista Mosaicum, n. 13 - jan./jun. 2011

 

Considerado a grande extensão desse império, o controle desse enorme território se deu por meio da

a)   construção de redes de estradas para o transporte.

b)  fabricação de ferramentas e de armas avançadas.

c)   criação de lagos artificiais para transportar água.

d)  elaboração de um rígido sistema de leis escritas.

 

6. (Enem PPL 2019) Os pesquisadores que trabalham com sociedades indígenas centram sua atenção em documentos do tipo jurídico-administrativo (visitas, testamentos, processos) ou em relações e informes e têm deixado em segundo plano as crônicas. Quando as utilizam, dão maior importância àquelas que foram escritas primeiro e que têm caráter menos teórico e intelectualizado, por acharem que estas podem oferecer informações menos deformadas. Contrariamos esse posicionamento, pois as crônicas são importantes fontes etnográficas, independentemente de serem contemporâneas ao momento da conquista ou de terem sido redigidas em período posterior. O fato de seus autores serem verdadeiros humanistas ou pouco letrados não desvaloriza o conteúdo dessas crônicas.

PORTUGAL, A. R. O ayllu andino nas crônicas quinhentistas: um polígrafo na literatura brasileira do século XIX (1885-1897). São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

As fontes valorizadas no texto são relevantes para a reconstrução da história das sociedades pré-colombianas porque

a) sintetizam os ensinamentos da catequese.   

b) enfatizam os esforços de colonização.   

c) tipificam os sítios arqueológicos.   

d) relativizam os registros oficiais.   

e) substituem as narrativas orais.   

7. (Unesp 2022) Os povos que viviam nas terras conquistadas pelos portugueses na América

a) eram destituídos de interesses e práticas religiosas.   

b) concentravam-se nas áreas litorâneas do território.   

c) eram coletores ou praticavam agricultura rudimentar.   

d) alimentavam-se prioritariamente de carne humana.   

e) eram pacíficos ou dedicados a alianças e acordos entre grupos.   

8. (Uepg-pss 1 2021) Ameríndios é o nome atribuído aos povos que habitavam a América antes da chegada dos europeus, no final do século XV. A respeito desse tema, assinale o que for correto.

01) Estudos apontam para a existência de povos primitivos que habitaram o Brasil, onde atualmente se localiza o estado do Piauí, na região de São Raimundo Nonato.   

02) Os Maias baseavam sua economia na agricultura, construíram pirâmides e possuíam uma forma de escrita baseada em símbolos.   

04) Os Astecas promoviam sacrifícios humanos como forma de agradar e homenagear seus deuses.   

08) Diferente do que ocorreu com a América do Sul e com a América Central, na América do Norte não havia ocupação populacional antes da chegada dos europeus e, portanto, não é possível falar em Povos Ameríndios naquela região do continente.   

9. (Ufrgs 2020) Com relação à história das sociedades nativas das Américas, assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo.

(aa) A civilização Maia caracterizou-se pela hierarquia política fraca, pelo monoteísmo e pelo desinteresse ao conhecimento da natureza.

(aa) O império Asteca notabilizou-se pelo desenvolvimento urbano de sua capital, Tenochtitlán, pela crença em vários deuses e por uma estrutura política centralizada.

(aa) A sociedade Inca foi marcada pela rígida separação entre poder político e religião, pelo baixo desenvolvimento agrícola e pela economia de caráter exclusivamente pecuário.

(aa) Os povos Tupi-Guaranis garantiam sua subsistência a partir da caça, da pesca e do cultivo de vegetais como a mandioca.

A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é

a) V – V – F – F.   

b) V – F – F – V.   

c) F – V – F – V.   

d) F – V – V – F.   

e) F – F – V – V.   

10. (Fgv 2020) De maneira geral, a conquista progrediu com mais rapidez e mostrou-se mais eficiente contra os Estados indígenas organizados, uma vez que estes se renderam aos espanhóis como entidades unificadas. Quando caía uma capital urbana, todo o território imperial perdia muito do seu poder de resistência.

(Charles Gibson. “As sociedades indígenas sob domínio espanhol”. In: Leslie Bethell (org.). História da América Latina, vol. II, 1999.)

O texto alude a um aspecto da conquista espanhola dos povos ameríndios, no século XVI, que

a) substituiu, em povos tradicionalmente dominados, a escravidão pelo trabalho assalariado.   

b) encontrou nas populações litorâneas da América grandes acúmulos de metais preciosos.   

c) contou com o apoio dos líderes religiosos nativos convertidos ao monoteísmo cristão.   

d) subjugou de forma pacífica antigas instituições imperiais em plena decadência política.   

e) usufruiu de uma estrutura hierárquica de dominação política nativa previamente instalada.   

11. (Fuvest 2018) A imagem representa a morte de Atahualpa, o último imperador inca, em 1533, após a conquista espanhola comandada por Francisco Pizarro.

Analise as quatro afirmações seguintes, a respeito da empresa e da conquista colonial espanhola no Peru e da representação presente na imagem.

I. A conquista foi favorecida pelo conflito interno entre os dois irmãos incas, Atahualpa e Huáscar, aproveitado pelas forças espanholas lideradas por Francisco Pizarro.

II. A produção agrícola das plantations escravistas constituiu-se na base econômica do vice-reinado do Peru, controlado pelos espanhóis.

III. Do lado esquerdo da pintura, há uma movimentação conflituosa, na qual as mulheres incas são contidas por guardas espanhóis, contrastando com a expressão ordenada e solene do lado direito, composto por religiosos e autoridades espanholas em torno do corpo do imperador inca.

IV. A pintura revela o resgate de elementos históricos – importante para a construção do ideário nacionalista no século XIX, no processo pós-independência e de formação do Estado nacional peruano –, mas retrata os personagens indígenas com trajes e feições europeus.

Estão corretas apenas as afirmações

a) I, II e III.    

b) II, III e IV.   

c) I, III e IV.   

d) I e II.   

e) III e IV.   

12. (Cftrj 2018) 

Considerando o mapa acima, assinale o que é possível afirmar sobre a chegada dos europeus e conquista das Américas no final do século XV e no século XVI:

a) Havia, entre as grandes civilizações existentes no continente Americano, uma intensa troca comercial de metais preciosos.   

b) O Império Maia estava em franco declínio devido aos séculos de guerra com os Astecas.   

c) Hernán Cortés e Francisco Pizarro, conquistadores espanhóis, inspiraram-se apenas em formas de organização europeias para dominar os impérios Asteca e Inca.   

d) Havia uma diversidade de povos, que iam desde grupos caçadores-coletores nômades até extensos impérios centralizados que dominavam a mineração.   

13. (Unesp 2019) Outra prática comum aos povos mesoamericanos foi a construção de cidades. [...] As cidades mesoamericanas também serviam para dar identidade grupal aos seus habitantes, ou seja, as pessoas se reconheciam como pertencentes a tal cidade e não como “indígena”, termo que começou a ser utilizado pelos espanhóis para referir-se aos milhares de grupos que se [...] autodenominavam mexicas, cholutecas, tlaxcaltecas, dependendo da cidade que habitavam.

(Eduardo Natalino dos Santos. Cidades pré-hispânicas do México e da América Central, 2004.)

As cidades existentes na América Central e no México no período pré-colombiano

a) foram objeto de disputa entre lideranças indígenas e conquistadores espanhóis, pois eram situadas em áreas próximas ao litoral.    

b) eram centros comerciais, políticos e religiosos que contribuíam para a caracterização e diferenciação dos habitantes da região.    

c) eram espaços dedicados essencialmente a cultos religiosos monoteístas, que asseguravam a unificação identitária dos povos da região.    

d) eram as capitais de grandes unidades políticas e sociais, e seus governantes buscavam a homogeneização dos povos indígenas da região.    

e) foram conservadas quase integralmente até os dias de hoje, graças às preocupações preservacionistas dos colonizadores espanhóis.    

14. (Uece 2018) Os incas do Peru antigo utilizavam elementos para ativar a memória parecidos com a escrita. Diferentes tipos de nós eram utilizados para registrar as transações mercantis diárias e de longo prazo, ou pagamentos de tributos do império. Esse instrumento que era muito útil para comunicação e registros contábeis do império inca é denominado

a) entalhe.   

b) ábaco.   

c) quipu.   

d) tabuleiro.   

15. (Unioeste 2018) Leia o poema abaixo.


Amor América

Antes do chinó e do fraque
foram os rios, rios arteriais:
foram as cordilheiras em cuja vaga puída
o condor ou a neve pareciam imóveis;
foi a umidade e a mata, o trovão,
sem nome ainda, as pampas planetárias.

O homem terra foi, vasilha, pálpebra
do barro trêmulo, forma de argila,
foi cântaro caraíba, pedra chibcha,
taça imperial ou sílica araucana.
Terno e sangrento foi, porém no punho
de sua arma de cristal umedecido
as iniciais da terra estavam escritas.

Ninguém pode
recordá-las depois: o vento
as esqueceu, o idioma da água
foi enterrado, as chaves se perderam
ou se inundaram de silêncio ou sangue.

Não se perdeu a vida, irmãos pastorais.
Mas como uma rosa selvagem
caiu uma gota vermelha na floresta
e apagou-se uma lâmpada da terra.

Estou aqui para contar a história.
Da paz do búfalo
até as fustigadas areias
da terra final, nas espumas
acumuladas de luz antártica,
e pelas Lapas despenhadas
da sombria paz venezuelana,
te busquei, pai meu,
jovem guerreiro de treva e cobre,
ou tu, planta nupcial, cabeleira indomável,
mãe jacaré, pomba metálica.

Eu, incaico do lodo,
toquei a pedra e disse:
Quem me espera? E apertei a mão
sobre um punhado de cristal vazio.
Porém, andei entre flores zapotecas
e doce era a luz como um veado
e era a sombra como uma pálpebra verde.

Terra minha sem nome, sem América,
estame equinocial, lança de púrpura,
teu aroma me subiu pelas raízes
até a taça que bebia, até a mais delgada
palavra não nascida de minha boca.

NERUDA, Pablo. Canto Geral. São Paulo: Círculo do Livro.1994, p. 17-18.

 

A partir da visão expressa no poema, é CORRETO afirmar sobre o contato entre os povos na América que

a) o convívio estabelecido a partir do séc. XV entre indígenas e europeus favoreceu a permanência da cultura nativa e o estabelecimento de um pacto de exclusivismo comercial com espanhóis, respeitando os domínios existentes no continente.   

b) houve mortes de nativos durante os confrontos destinados a pilhagem e ocupação do território, mas um grande número de indígenas foi dizimado em função do adoecimento, particularmente por varíola, devido ao contato com os europeus.    

c) o controle estabelecido pelos espanhóis sobre os indígenas que sobreviveram após os primeiros contatos foi por aprisionamento e castigos, seguido de imediata negociação e liberação para o trabalho pago por jornadas diárias.    

d) diante da divisão entre os povos indígenas (principalmente porque disputavam territórios e escravizavam povos nativos dominados), a inferioridade bélica dos europeus não foi um problema, com isso, muitos indígenas se aliaram aos espanhóis na exploração das riquezas naturais, convertendo-se imediatamente ao cristianismo.    

e) ainda que houvesse vários povos indígenas no continente, a forma como organizavam o seu modo de vida era idêntica, inclusive o seu calendário agrícola, militar e religioso.    

16. (Ufu 2018) “No momento de sua descoberta, a América apresentava uma grande heterogeneidade etnográfica. A escala civilizatória era muito variada desde as sociedades organizadas política e economicamente com um forte e bem estruturado aparelho estatal até as tribos de pescadores.”

BRUIT, H. H. Bartolomé de Las Casas e a Simulação dos Vencidos: Ensaio sobre a conquista hispânica da América. Campinas-SP: Editora Unicamp, 1995, p.42.

Há um consenso de que dentre as sociedades pré-colombianas de maior avanço estavam maias, astecas e incas.

Sobre as características socioculturais dos incas, é correto afirmar que

a) cultuavam o Deus Uizlopochtli, os bairros eram administrados pelos calpullec, seus rituais religiosos envolviam sacrifícios, a religião era politeísta e astral.   

b) falavam o idioma quéchua, não possuíam escrita, seus maiores templos eram dedicados ao Deus Inti, os representantes do poder estatal eram os curacas.   

c) possuíam grande conhecimento sobre astronomia, utilizavam escrita hieroglífica, tinham como supremo sacerdote Ahaucan e, como chefe supremo, Halach Uinic.   

d) eram o grupo mais religioso, prisioneiros e condenados eram chamados de tlatlacotin, tinham sistema de numeração com base 20 e conheciam o número zero.   

17. (Enem 2018) O encontro entre o Velho e o Novo Mundo, que a descoberta de Colombo tornou possível, é de um tipo muito particular: é uma guerra – ou a Conquista –, como se dizia então. E um mistério continua: o resultado do combate. Por que a vitória fulgurante, se os habitantes da América eram tão superiores em número aos adversários e lutaram no próprio solo? Se nos limitarmos à conquista do México – a mais espetacular, já que a civilização mexicana é a mais brilhante do mundo pré-colombiano – como explicar que Cortez, liderando centenas de homens, tenha conseguido tomar o reino de Montezuma, que dispunha de centenas de milhares de guerreiros?

TODOROV. T. A conquista da América. São Paulo: Martins Fontes. 1991 (adaptado).

No contexto da conquista, conforme análise apresentada no texto, uma estratégia para superar as disparidades levantadas foi

a) implantar as missões cristãs entre as comunidades submetidas.   

b) utilizar a superioridade física dos mercenários africanos.    

c) explorar as rivalidades existentes entre os povos nativos.    

d) introduzir vetores para a disseminação de doenças epidêmicas.    

e) comprar terras para o enfraquecimento das teocracias autóctones.    

18.(Uece 2017) Na obra Iberoamerica: un area cultural heterogénea, o pesquisador Francisco L. Fernandez, apresenta a participação indígena na formação das populações atuais em vários países americanos.

Atente aos seguintes dados extraídos dessa obra:

México – de população indígena, branca e negra.
Bolívia – de população indígena, branca e mestiça.
Peru – de população indígena, branca e mestiça.
Argentina – de população indígena, branca e mestiça.
Estados Unidos – de população indígena, branca e negra.
FERNANDEZ, Francisco Lizcano. Iberoamerica: un area cultural heterogénea.
Toluca: Universidad Autónoma del Estado de México, 2007. P. 77-95.

 A partir dos dados expostos, é correto dizer que

a) enquanto o México, sede do império Inca, tem um alto índice de população indígena, a Argentina, onde ficam Cuzco e Machu Picchu, apresenta pouca população branca.   

b) nos Estados Unidos e na Argentina a predominância da população negra vem de sua utilização como escravos, daí o pequeno número de indígenas remanescentes.   

c) os países que apresentam os maiores índices de população indígena são também aqueles onde se desenvolveram as grandes civilizações americanas (Maia, Inca e Asteca).   

d) não há nenhum tipo de relação entre o quadro atual das populações na América e o processo de Colonização europeia aqui realizado desde o século XV.   

19. (Unesp 2017) Os deuses disseram entre si depois de criar o homem: “O que os homens comerão, oh deuses? Vamos já todos buscar o alimento.” Enquanto isso, as formigas vermelhas estavam colhendo e carregando os grãos de milho que traziam de dentro do Tonacatepetl (Montanha do Sustento). O deus Quetzalcoatl encontrou as formigas e lhes disse: “Digam-me, onde vocês colheram os grãos de milho?”. Muitas vezes lhes perguntou, mas as formigas não quiseram responder. Algum tempo depois, as formigas disseram a Quetzalcoatl: “Lá.” E apontaram o lugar. Quetzalcoatl se transformou em formiga negra e as acompanhou. Desse modo, Quetzalcoatl acompanhou as formigas vermelhas até o depósito, arranjou o milho e em seguida o levou a Tamoanchan (moradia dos deuses e onde o homem havia sido criado). Ali os deuses o mastigaram e o puseram na nossa boca para nos robustecer.

Apud Eduardo Natalino dos Santos. Cidades pré-hispânicas do México e da América Central, 2004.

 O texto asteca

a) promove a divulgação das qualidades nutricionais do milho para o fortalecimento dos guerreiros mesoamericanos.   

b) oferece uma explicação mítica para a importância do milho na base da alimentação dos povos mesoamericanos.   

c) demonstra sustentação histórica e claro desenvolvimento de pensamento lógico e racional.   

d) procura justificar o fato de apenas os governantes dos povos mesoamericanos poderem exercer atividades agrícolas.   

e) revela a influência das fábulas europeias na construção do imaginário dos povos mesoamericanos.   

20. (Fatec 2017) As misteriosas cidades e edificações da civilização maia que resistiram ao tempo incluem obras reconhecidas como patrimônio mundial. Tais achados vêm intrigando pesquisadores até a atualidade, já que pouco se sabe sobre as origens, a organização social e as causas do fim dessa civilização, no século X.

Assinale a alternativa que apresenta corretamente as principais características da civilização maia.

a) Desenvolveu-se na floresta Amazônica (atuais Peru, Bolívia e Suriname) e sua economia se baseava na coleta de tributos provenientes do comércio com os incas e os astecas.   

b) Ocupava a região das atuais Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (Sul do México), e desenvolveu saberes matemáticos, astronômicos e arquitetura sofisticados para a época.   

c) O poder era centralizado nas mãos do Imperador, cuja origem era considerada divina, e a capital, Machu Picchu, foi construída no topo de uma grande montanha para evitar ataques de povos inimigos.   

d) Habitava a região do Rio da Prata, atuais Uruguai e Argentina, onde desenvolveu a cultura de algodão, com o qual fabricava tecidos para exportação, e projetou um sistema de vigilância eficaz para se proteger de ataques inimigos.   

e) A organização social igualitária favorecia a distribuição equilibrada dos recursos naturais provenientes do comércio marítimo, realizado no Caribe, e os grandes templos e pirâmides honravam as divindades do Sol (Rá) e da Lua (Anúbis).   

21. (Uece 2016) Viveram na região andina pré-hispânica diferentes povos possuidores de uma ampla e antiga diversificação cultural que incluía os paracas, moches, nascas, tiahuanaco, huari, chimus, colas, lupacas e, finalmente,

a) maias.   

b) toltecas.   

c) incas.   

d) quetzalcoatl.   

22. (Enem 2ª aplicação 2016) Quando surgiram as primeiras notícias sobre a presença de seres estranhos, chegados em barcos grandes como montanhas, que montavam numa espécie de veados enormes, tinham cães grandes e ferozes e possuíam instrumentos lançadores de fogo, Montezuma e seus conselheiros ficaram pensando: de um lado, talvez Quetzalcóatl houvesse regressado, mas, de outro, não tinham essa confirmação.

PINSKY, J. et. al. História da América através de textos. São Paulo: Contexto, 2007 (adaptado).

A dúvida apresentada inseria-se no contexto da chegada dos primeiros europeus à América, e sua origem estava relacionada ao

a) domínio da religião e do mito.   

b) exercício do poder e da política.   

c) controle da guerra e da conquista.   

d) nascimento da filosofia e da razão.   

e) desenvolvimento da ciência e da técnica.   

23. (Fgv 2016) O poeta canta:

“A espada, a cruz e a fome iam dizimando a família selvagem.” (Pablo Neruda).

Talvez não seja inútil partir desses versos para tentar perceber por que elementos – que encarados em seu conjunto, constituem um mecanismo – foi possível a conquista da América.

(Ruggiero Romano, Mecanismos da Conquista Colonial. 1973. Adaptado

Sobre o trecho citado, é correto afirmar que a conquista espanhola da América

a) diferenciou-se muito da praticada pelos portugueses no Brasil, porque houve a instituição de pequenas propriedades rurais, a produção essencialmente voltada para o mercado interno e, ao mesmo tempo, uma política indigenista que privilegiou a catequese e condenou todas as formas de exploração do trabalho indígena, estabelecendo o trabalho assalariado para as atividades produtivas; mas a ausência de alimentos fez a fome prevalecer entre os colonos.   

b) contou com muitas condições facilitadoras, caso da organização social das sociedades indígenas, produtoras de excedentes agrícolas e acostumadas com o trabalho de exploração extrativista mineral; mas, por outro lado, os religiosos espanhóis defendiam a necessidade da escravidão indígena a fim de que os nativos da América percebessem a importância da fé religiosa e do temor a Deus para a construção de laços familiares estáveis e moralmente aceitos. 

c) foi organizada pelas elites coloniais, representadas pelos criollos, que criaram vários mecanismos de exploração do trabalho indígena, prevalecendo a condição escrava, porque, ainda que os preceitos jurídicos explicitassem a qualidade dos nativos de homens livres, cada morador adulto de aldeias era obrigado a oferecer a metade dos dias do ano de trabalho nas propriedades agrícolas, sempre com o irrestrito apoio das congregações religiosas, especialmente a dos jesuítas.   

d) constitui-se como um organismo, no qual se articularam a superioridade bélica do colonizador, exemplificada pelo uso do cavalo; a existência de alguns mitos religiosos que precederam a presença espanhola na América, caso das profecias que garantiam a chegada iminente de novos deuses ou de calamidades; e uma considerável modificação nas formas de organização das sociedades nativas americanas, materializada na imposição de novas formas e ritmos de trabalho.   

e) esteve sempre muito ameaçada pela dificuldade em obter mão de obra farta, porque as guerras entre os povos nativos eram constantes e geravam muitas mortes e, além disso, porque havia uma pressão importante de vários setores da Igreja Católica para que os indígenas só fossem deslocados às frentes de trabalho depois da formação catequética, que demorava alguns anos e retirava dos índios a motivação para as atividades mais rudes, caso da extração da prata.   

24. (IFSC 2015) Os habitantes da América foram chamados de índios pelos europeus passando a ideia de que era um povo único e homogêneo. Acontece que os diversos povos pré-colombianos são muito diferentes uns dos outros variando desde a civilização Asteca até os Jês do Brasil. Os antropólogos adotam critérios para classificar as tribos de acordo com alguns elementos culturais.

Assinale a alternativa CORRETA.

a) Os primeiros europeus que chegaram à América estavam certos, pois as pesquisas realizadas pelos antropólogos confirmaram a homogeneidade do povo, do norte ao sul, que habitava a região que foi chamada de América.   

b) Hoje os antropólogos preferem classificar os povos indígenas de acordo com os idiomas que falam, com base em troncos linguísticos estabelecidos após rigorosas pesquisas.   

c) As pesquisas arqueológicas realizadas no Brasil, no século XX, confirmaram que os povos que habitam o país têm a mesma cultura quanto à organização política, aos ritos religiosos e às regras sociais.   

d) Não é possível saber como viviam os povos indígenas do Brasil antes da chegada de Pedro Álvares Cabral, porque esses grupos não dominavam a escrita.   

e) Quando os portugueses chegaram ao Brasil, nenhuma tribo que aqui vivia sabia cultivar alimentos nem dominavam a técnica da cerâmica, sobrevivendo apenas da coleta daquilo que a natureza oferecia.   

25. (Unicamp 2014) Desde o período neolítico, os povos de distintas partes do mundo desenvolveram sistemas agrários próprios aproveitando as condições naturais de seus habitats e do conhecimento adquirido e transmitido entre os membros da comunidade.

Assinale a alternativa que estabelece corretamente a relação entre o povo habitante de uma determinada área, o sistema produtivo por ele desenvolvido, as condições naturais aproveitadas e os produtos cultivados.

a) Egípcios; uso da irrigação e drenagem; planícies úmidas e férteis dos rios Tigres e Eufrates; arroz e café.   

b) Incas; uso de terraços com técnicas de curvas de nível e irrigação de vales; aproveitamento dos altiplanos andinos; batata e milho.   

c) Chineses; uso intensivo dos terraços das altas montanhas; planalto de Anatólia no extremo leste da Ásia; café e cacau.   

d) Mesopotâmicos; uso de cultivos de inundação e de regadio; vales férteis dos rios Ganges e Amarelo; cana-de-açúcar e feijão.   

 




Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: