SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Instagram siga no Instagram

 

1. (Upe-ssa 3 2022) Em 2014, a Agência Nacional Atmosférica e Oceânica (NOAA) dos Estados Unidos alertou para o risco de um novo ciclo global de branqueamento de corais, que poderia durar mais de dois anos. As previsões se confirmaram ao longo de 2015, com relatos de branqueamento em massa nas várias regiões do Índico e do Pacífico.

Em 2016, a ameaça chegou a Abrolhos, entre o sul da Bahia e o norte do Espírito Santo, cuja área de 46 mil quilômetros quadrados é considerada a de maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul. Abriga uma série de ecossistemas recifais, com espécies e configurações estruturais únicas. Em maio, conforme previsão da agência americana, os pesquisadores encontraram águas superaquecidas e uma quantidade imensa de corais branqueados, espalhados por todo o Banco dos Abrolhos. (figura a seguir)

 

Texto e imagem extraídos de: https://infograficos.estadao.com.br/especiais/recifes-em-risco/ Acesso em: 16 ago. 2021.

Quanto às mudanças na relação entre os seres vivos associados ao fenômeno de branqueamento, assinale a alternativa CORRETA.

a) Perda da relação de comensalismo, quando as algas abandonam os corais, por não receberem nutrientes suficientes para seu crescimento.   

b) Perda da relação de protocooperação entre algas e corais que fornecem abrigo para algas, numa relação de dependência.   

c) Perda da associação simbiótica entre os corais e as microalgas, as quais fornecem energia adicional aos corais através da fotossíntese.   

d) Perda da associação de inquilinismo, quando as algas são expulsas pelos corais, por produzirem substâncias tóxicas.   

e) Perda da associação intraespecífica entre algas e corais, criando dependência quanto à obtenção de alimento.   

2. (Famerp 2022) A acácia-de-espigas, uma das plantas invasoras que causam mais impactos negativos no litoral português, produz milhares de sementes anualmente, que vão se acumulando no solo por várias décadas, promovendo a rápida invasão de áreas. Para realizar um controle natural, pesquisadores utilizaram o inseto australiano Trichilogaster acaciaelongifoliae, cuja função é colocar ovos nas gemas florais e vegetativas da acácia-de-espigas, estruturas nas quais se formariam as flores ou novos ramos. Dessa forma, o inseto australiano consegue diminuir a capacidade reprodutiva da planta e, consequentemente, diminui a invasão de novas áreas.

(www.natgeo.pt. Adaptado.)

A relação ecológica entre os insetos australianos e a acácia-de-espigas é denominada

a) amensalismo.    

b) comensalismo.    

c) competição interespecífica.   

d) parasitismo.   

e) predatismo.   

3. (Albert Einstein - Medicina 2022) Dinitroanilinas são uma família de herbicidas que interagem com as tubulinas beta, impedindo-as de se associar às tubulinas alfa, ambas existentes no citoplasma das células vegetais. Essa interferência causada por esses herbicidas prejudica uma planta daninha porque pode afetar

a) a absorção de luz pela clorofila.   

b) o transporte de seiva bruta.   

c) o movimento por ciclose dos cloroplastos no citoplasma.   

d) as mitoses na região meristemática.   

e) a condensação dos cromossomos autossomos.   

4. (Fcmscsp 2022) Neste exato momento, ao menos 41 espécies invasoras de peixes estão usando todos os recursos que a evolução lhes concedeu para invadir os rios da Amazônia. Detalhes sobre a situação, uma “ameaça silenciosa”, como a qualificam os cientistas, acabam de ser publicados no periódico especializado Frontiers in Ecology and Evolution. Entre as más notícias, além do número de espécies invasoras em si e do fato de que o Brasil é o segundo país mais afetado (estamos atrás apenas da Colômbia), está a velocidade aparentemente crescente do processo. Dos 1 314 registros de peixes “alienígenas”, 75% vêm dos últimos 20 anos.

(Reinaldo José Lopes. “Peixes-piratas da Amazônia”. Folha de S.Paulo, 27.06.2021. Adaptado.)

Com relação à situação descrita, a introdução de espécies invasoras prejudica a biodiversidade local porque elas podem

a) atuar como presas ou predadores em potencial de várias espécies nativas e passarem a ocupar o primeiro nível trófico.   

b) transportar micro-organismos, que poderiam parasitar as espécies nativas, as quais seriam afetadas por não terem defesas naturais.   

c) reduzir ou eliminar espécies nativas por exterminarem todos os produtores das teias alimentares.   

d) ocupar o mesmo nível trófico das espécies nativas, reduzindo a reciclagem de energia nas cadeias alimentares.   

e) encontrar condições abióticas ideais para sobrevivência e aumentar os nichos ecológicos das espécies nativas.   

5. (Uema 2021) Uma nuvem de gafanhotos esteve na Argentina durante os meses de maio a junho de 2020, ocasionando sérios problemas às lavouras. Segundo o Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar do país (Senasa), 87% dos insetos foram eliminados com pulverizações aéreas e terrestres de inseticidas (agrotóxicos que controlam a proliferação de insetos). Mesmo após a ação, restaram aproximadamente 50 milhões de insetos que permaneceram na divisa entre o Uruguai e a cidade gaúcha de Barra do Quaraí, divisa com o Brasil. O Ministério da Agricultura, no Brasil, autorizou a importação de agrotóxicos não aprovados para certas culturas, com o intuito de banir os insetos.

Em 08 de dezembro de 2020, foi publicado, no Rio Grande do Sul, um relatório de monitoramento de surto de gafanhotos, mostrando o raio de ação de 30 km em municípios atingidos, pontos de levantamento da infestação com a densidade de incidência, visando ao controle da praga, conforme indicado na figura.

Pode-se afirmar em relação aos agrotóxicos que

a) suas potentes substâncias transgênicas tóxicas são utilizadas em plantações diversas na agricultura, em escala mundial.   

b) seu uso indevido pode causar desequilíbrio nas populações de abelhas, por serem expostas a diferentes substâncias químicas.   

c) o uso eficiente do hipoclorito de sódio (água sanitária) é considerado produto químico capaz de removê-los.   

d) o hábito de lavagem ou de remoção de cascas de frutas e de legumes é bastante eficaz na sua remoção para a proteção humana.   

e) a policultura de diversas espécies vegetais propicia condições favoráveis para a existência de pragas a serem debeladas pelos produtos químicos.   

6. (Fmc 2021) Os vírus precisam utilizar moléculas e organelas da célula hospedeira para sintetizar as suas proteínas e amplificar o seu material genético.

Por esse tipo de interação ecológica, os vírus são, obrigatoriamente, considerados:

a) predadores   

b) mutualistas   

c) simbiontes   

d) comensais   

e) parasitas   

7. (Unioeste 2021) As formigas nectarívoras são insetos que se alimentam de néctar e, por isso, acabam protegendo sua fonte de alimento de outros animais, tornando-se uma possível substituta aos agrotóxicos. (...) Normalmente, formigas como a saúva são tidas como pragas nas plantações. Essas espécies costumam danificar as folhas das plantas, que servem de substrato para que produzam fungos e se alimentem deles. Entretanto, espécies como a Ectatomma tuberculatum e a Camponotus crassus, por exemplo, alimentam-se do néctar das plantas, tendo preferência por aquelas produzidas fora das flores. A relação entre as espécies ocorre da seguinte forma: as plantas atraem as formigas com o seu néctar. As formigas utilizam o néctar como alimento e, em troca, protegem as plantas de outros invasores.

AUN - Agência Universitária de Notícias - USP. 26 jun. 2019. Disponível em: http://www.usp.br/aun/index.php/2019/06/26/mutualismo-entre-formigas-e-plantas-pode-ser-solucao-para-agrotoxicos/. Acesso em 25 fev. 2021.

Assinale a alternativa que descreve o nome e o conceito CORRETO da relação ecológica exemplificada no texto acima.

a) O texto descreve a relação de competição interespecífica, na qual dois indivíduos da mesma espécie competem por um determinado recurso.   

b) O texto descreve a relação de mutualismo interespecífico, na qual indivíduos de diferentes espécies podem se beneficiar da relação estabelecida entre eles.   

c) O texto descreve a relação de comensalismo intraespecífica, na qual dois ou mais indivíduos de espécies diferentes se beneficiam com as sobras alimentares de um indivíduo de outra espécie.  

d) O texto descreve a relação de protocooperação intraespecífica, na qual indivíduos da mesma espécie se adaptam uns aos outros em troca de benefícios mútuos.   

e) O texto descreve a relação de predação interespecífica, na qual indivíduos de diferentes espécies se alimentam de partes um do outro em busca de proteção de um terceiro indivíduo.   

8. (Ufpr 2021) A mosca-branca secreta uma substância chamada melada, que é rica em carboidratos. Um estudo realizado em uma plantação de mandioca relata interações entre formigas, abelhas sem ferrão e moscas-brancas secretoras de melada. Nessas interações, as formigas se beneficiam da melada e, em troca, protegem as moscas-brancas contra seus predadores naturais. Em períodos de escassez alimentar, abelhas sem ferrão consomem a melada, mas não oferecem proteção às moscas. As abelhas escolhem moscas-brancas localizadas em folhas de mandioca sem formigas para buscar pela melada, e quando as formigas percebem sua presença, exibem comportamento agressivo e espantam as abelhas das folhas. Considerando as interações ecológicas entre moscas-brancas, formigas e abelhas sem ferrão, é correto afirmar:

a) As formigas são predadoras das abelhas sem ferrão, das moscas-brancas e das folhas de mandioca.   

b) Abelhas sem ferrão têm relação de comensalismo com as moscas-brancas e de competição com as formigas.   

c) Abelhas sem ferrão e formigas têm relação de competição entre si e de mutualismo com as moscas-brancas.   

d) Abelhas sem ferrão e formigas são predadores das moscas-brancas e das folhas de mandioca.   

e) Formigas têm relação de comensalismo com as moscas-brancas e de predação com as abelhas sem ferrão.   

9. (Upf 2021) 

No diagrama acima, a que tipos de relações ecológicas correspondem os números de 1 a 5, respectivamente?

a) Inquilinismo, competição interespecífica, colônia, sociedade, cooperação intraespecífica.   

b) Parasitismo, competição intraespecífica, inquilinismo, colônia, sociedade.   

c) Epifitismo, predatismo, sociedade, colônia, competição intraespecífica.   

d) Simbiose, cooperação interespecífica, parasitismo, sociedade, inquilinismo.   

e) Mutualismo, sociedade, competição intraespecífica, sociedade, simbiose.   

10. (Enem PPL 2021) Probióticos são microrganismos vivos utilizados na promoção da saúde, uma vez que ajudam na reposição da microbiota intestinal. No entanto, recomendações médicas indicam que probióticos de origem bacteriana não devem ser consumidos ao mesmo tempo que antibióticos, sendo necessário um intervalo entre a ingestão de um e outro.

O consumo concomitante desses promotores da saúde poderá causar a

a) obstrução do fluxo intestinal.   

b) anulação do efeito dos antibióticos.   

c) intoxicação pelo excesso dos fármacos.   

d) desorganização do sistema imunológico.   

e) redução da densidade de bactérias simbióticas.   







Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: