SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Instagram siga no Instagram

 1.      (UEMG)

Em outubro Seremos 7 Bilhões de Habitantes no Planeta Terra.

Até outubro deste ano, provavelmente em alguma cidade indiana ou chinesa, nascerá o bebê que fará a população atingir a marca de 7 bilhões de habitantes. A ONU estima que seremos 10 bilhões até o fim do século, quando, finalmente, a população vai começar a diminuir (...).

A questão, que está representada no gráfico abaixo, sempre afligiu a humanidade, pelo menos desde que o reverendo britânico, Thomas Malthus (1766-1834) previu, em 1798, um desfecho catastrófico para o aumento rápido da população mundial (...).

      
  Folha de São Paulo - 1/8/2011 - Cad. Ilustríssima. Adaptação.

 A análise dos dados no gráfico e no texto acima, aliada a seus conhecimentos, permite afirmar CORRETAMENTE que:

a) a chamada teoria Malthusiana afirmava que os recursos naturais cresceriam a uma velocidade superior à população, resultando num quadro de fome em massa, no final do século passado.

b) a produção mundial de alimentos per capita foi inferior a 70%, no período de 1951 a 1995, quando o crescimento da população mundial foi alarmante.

c) o aquecimento global, a educação e o controle de natalidade estão entre os fatores apontados por demógrafos para assegurar a qualidade de vida no planeta.

d) o problema não está na incapacidade de produzir comida em escala global para alimentar a população, e sim na distribuição dos recursos econômicos.

2. (FGV-SP) Em setembro de 2012 foi divulgada pelo IBGE a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios) referente ao ano de 2011. Um dos dados revelados mostra a diminuição da taxa de fecundidade total para níveis abaixo da reposição, 1,7 filhos/mulher. Este fato apresenta várias implicações, dentre as quais,

a) o aumento das diferenças socioeconômicas regionais.

b) a redução do movimento migratório a partir da década de 2030.

c) a imediata estabilização da população economicamente ativa.

d) a redução das diferenças entre as faixas etárias.

e) a desaceleração do ritmo de crescimento da população.

3. (UEA) Analise as pirâmides etárias

(www.revistaescola.abril.com.br. Adaptado.)

Assinale a alternativa correta.

a) A população brasileira está se tornando cada vez mais jovem.

b) A população brasileira está envelhecendo ao longo dos anos.

c) O número de idosos ultrapassará o de jovens até 2020.

d) A estrutura etária da população pouco tem mudado ao longo dos anos.

e) A população masculina predomina em relação à feminina.

4. (UFSJ) Observe a imagem abaixo


Essa imagem ilustrou a capa de uma revista que trazia como manchete o envelhecimento da população mundial.

Sobre esse envelhecimento, é INCORRETO afirmar que:

a) em países asiáticos, como Japão e China, resulta em uma pirâmide etária com uma base larga e um ápice estreito.

b) é dinâmico e se estabelece em etapas sucessivas, o que é conhecido como "transição demográfica".

c) é um fenômeno que predomina em escala mundial, sendo mais frequente nos países mais desenvolvidos.

d) o continente que apresenta a maior taxa de idosos em relação à população total é o continente europeu.

5. O pastor anglicano Thomas Robert Malthus, em sua obra “Um ensaio sobre o princípio da população”, expôs sua teoria demográfica. A respeito da teoria malthusiana e outras teorias que a contrapõem, analise as afirmações abaixo:

I. A teoria realizada por Malthus concluía que o crescimento da população ocorreria em uma progressão aritmética, enquanto a produção de alimentos em uma progressão geométrica.

II. Para Malthus as perspectivas para o futuro da humanidade eram sombrias. Ele defendia que em determinado momento a produção de alimentos seria insuficiente considerando-se o crescimento acelerado da população.

III. Malthus era radical em sua teoria. Ele propunha a sujeição moral, em que os mais pobres deveriam limitar-se a um determinado número de filhos, por meio da abstenção sexual, e que só fosse permitida a procriação àqueles que tivessem condições financeiras para alimentar sua prole.

IV. Após a II Guerra Mundial novas teorias demográficas surgiram, entre elas destaca-se a neomalthusiana, que pregava que a fome, a pobreza e a miséria eram originadas de uma população numerosa. Essa teoria incentivou rigorosos programas de controle de natalidade, como distribuição de anticoncepcionais e esterilização em massa, métodos aplicados em alguns países subdesenvolvidos.

V. A teoria reformista é a teoria demográfica que se contrapõe à visão neomalthusiana; acredita-se que o crescimento demográfico acelera a degradação ambiental, causando danos sérios à natureza. O controle do crescimento da população é, nesse sentido, uma forma de preservar o meio ambiente.

É correto o que se afirma APENAS em:

a) I, III e V.

b) II, III e IV.

c) I, II, III e V.

d) I, II, IV e V.

e) II, III e V

 

6. (UERJ)

Faroeste Caboclo

− Não tinha medo o tal João de Santo Cristo.
Era o que todos diziam quando ele se perdeu.
Deixou pra trás todo o marasmo da fazenda
(...)
Ele queria sair para ver o mar
E as coisas que ele via na televisão
Juntou dinheiro para poder viajar
De escolha própria, escolheu a solidão
(...)
E encontrou um boiadeiro com quem foi falar
(...)
Dizia ele: − Estou indo pra Brasília
Neste país lugar melhor não há.
(...)
E João aceitou sua proposta
E num ônibus entrou no
Planalto Central
Ele ficou bestificado com a cidade
(...)
E João não conseguiu o que queria quando veio pra 
Brasília, com o diabo ter
Ele queria era falar pro presidente
Pra ajudar toda essa gente
Que só faz sofrer.

Renato Russo, “Que país é este?”, EMI, 1987

O enredo do filme Faroeste caboclo, inspirado na letra da canção de Renato Russo, foi contado muitas vezes na literatura brasileira: o retirante que abandona o sertão em busca de melhores condições de vida.
A existência de retirantes está associada fundamentalmente à seguinte característica da sociedade brasileira:

a) expansão acelerada da violência urbana

b) retração produtiva dos setores industriais

c) disparidade econômica entre as regiões nacionais

d) crescimento desordenado das áreas metropolitanas

 

7. (Udesc 2019) Analise as proposições sobre os tipos de migrações frequentes no cotidiano da sociedade brasileira.

 

I- Migração pendular é aquela em que o trabalhador muda de cidade dentro de uma região metropolitana, principalmente da cidade principal para outra próxima.

II- Migração sazonal é aquela em que os migrantes permanecem fora de seu lugar de origem durante determinado período, em geral a trabalho, e depois retornam ao lugar de origem onde ficam à espera de uma nova oportunidade.

III- Na migração intrametropolitana, o trabalhador reside em uma cidade de certa região metropolitana e se desloca, diariamente, até a cidade principal ou à cidade vizinha para trabalhar ou estudar.

IV- Migração cidade-cidade caracteriza-se pelo fluxo de pessoas entre diferentes cidades, em busca de melhores condições de vida.

 

Assinale a alternativa correta.

 

a) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras. 

b) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras. 

e) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras

8. (ENEM) O fenômeno da mobilidade populacional vem, desde as últimas décadas do século XX, apresentando transformações significativas no seu comportamento, não só no Brasil como também em outras partes do mundo. Esses novos processos se materializam, entre outros aspectos, na dimensão interna, pelo redirecionamento dos fluxos migratórios para as cidades médias, em detrimento dos grandes centros urbanos; pelos deslocamentos de curta duração e a distâncias menores; pelos movimentos pendulares, que passam a assumir maior relevância nas estratégias de sobrevivência, não mais restritos aos grandes aglomerados urbanos.

OLIVEIRA, L. A. P.; OLIVEIRA, A. T. R. Reflexões sobre os deslocamentos populacionais no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. (Adaptada) 

A redefinição dos fluxos migratórios internos no Brasil, no período apontado no texto, tem como causa a intensificação do processo de:

a) descapitalização do setor primário.

b) ampliação da economia informal

c) tributação da área residencial citadina. d. ampliação da economia informal.

d) desconcentração da atividade industrial

e) saturação da empregabilidade no setor terciário.

9. (UEL 2020) Leia o texto e analise os gráficos a seguir.

Estamos vivendo uma nova fase na história, uma mudança no patamar da presença humana na Terra. O crescimento explosivo da população, que nos levou ao presente marco de 7 bilhões de pessoas, com a atual projeção de 10 bilhões em meados do século XXI, é uma realidade histórico-social de pouco mais de 200 anos.

museudoamanha.org.br


Com base nos gráficos e nos conhecimentos sobre a evolução da estrutura etária brasileira, assinale a alternativa correta.

a) A saúde pública é uma discussão iminente, pois a tendência de aumento do número de idosos nos próximos anos pressionará a demanda por cuidados, qualidade de vida, tratamentos e hospitais.   

b) O aspecto triangular da pirâmide etária na projeção para 2020 mostra um decréscimo percentual do bônus demográfico de homens e mulheres.   

c) As mudanças ocorridas no Brasil em relação à transição demográfica demonstram que à população idosa na década de 1980 era superior à população jovem em 2020.   

d) As mulheres de 70 anos ou mais, em 1980, representavam em média 6 milhões de habitantes, enquanto que em 2020 representará, em média, 2 milhões.   

e) O crescimento vegetativo brasileiro apresentou aumento, já que parcela significativa de mão de obra feminina foi dispensada influenciando no aumento do número de crianças de 0 a 4 anos.   

10. (UECE 2020) Atente para o seguinte excerto:

“A população brasileira foi estimada em 210,1 milhões de habitantes em 5.570 municípios, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). [...]

O grupo de municípios com até 20 mil habitantes apresentou, proporcionalmente, o maior número de municípios com redução populacional. Já no grupo de municípios entre 100 mil e um milhão de habitantes, está presente a maior proporção de municípios com crescimento superior a 1% ao ano. Os municípios com mais de um milhão de habitantes concentram crescimento entre zero e 1% ao ano, informou o IBGE”.

Fonte: G1 – Globo. Brasil atinge 210 milhões de habitantes, diz IBGE. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/08/28/brasil-atinge-210-milhoes-de-habitantes-diz-ibge.ghtml 

Considerando o excerto acima e a dinâmica demográfica e histórica da urbanização brasileira ao longo do século XX e início do século XXI, analise as seguintes afirmações:

I. O aumento demográfico, no conjunto dos municípios com população entre 100.000 e 1.000.000 de habitantes, representa uma relativa e proporcional desconcentração populacional face às grandes metrópoles brasileiras.

II. Na passagem da década de 1960 para 1970, a população urbana ultrapassou a população rural brasileira, tendo, dentre suas causas, o êxodo rural.

III. O estado de São Paulo permanece à frente como a unidade da federação com maior número de habitantes.

IV. A região Nordeste é a primeira região brasileira em termos populacionais, seguida da região Sudeste, que ocupa a segunda posição.

Está correto o que se afirma em:

a) I, II, III e IV.   

b) I e IV apenas.   

c) II, III e IV apenas.   

d) I, II e III apenas.   

11. (UFRGS 2020) Sobre o tema demografia no Brasil, é correto afirmar que:

a) a esperança de vida considera a taxa de mortalidade projetada para cinco décadas posteriores ao período de análise.   

b) a esperança de vida ao nascer vem aumentando para mulheres e diminuindo para homens, desde 1940, influenciada pelas condições de saúde.   

c) o aumento nas taxas de expectativa de vida e a diminuição nas taxas de fecundidade influenciam na tendência de envelhecimento da população.   

d) as variações nas taxas de natalidade são consideradas no cálculo da expectativa de vida, podendo-se, assim, diferenciar as regiões.   

e) os valores de expectativa de vida mais altos para homens estão no Nordeste.   

12. (UEG 2020) A população de um país pode ser caracterizada com base em vários parâmetros, dentre eles: idade e gênero, conforme se verifica a seguir.

 

Com base nas pirâmides etárias apresentadas, constata-se o seguinte: 

a) na década de 2000, a população era classificada como jovem, pois o número de habitantes com idades entre 0 e 9 anos era o dobro da população nas faixas etárias de 15 a 24 anos.   

b) desde os anos 1945, o país passa por intenso processo de envelhecimento, sendo que, em todas as décadas, a quantidade de homens supera o número de mulheres, demonstrando uma sobrevida maior do sexo masculino quando comparado ao feminino.   

c) iniciou-se o processo de transição demográfica na década de 1970, quando houve a inversão da pirâmide etária ou o estreitamento de sua base.   

d) entre as décadas de 1950 e os anos 2010, o Brasil deixou de ser um país jovem e passou a ser um país com população madura, visto que passaram a predominar populações nas faixas etárias entre 35 e 49 anos de idade.    

e) os dados relativos ao século XXI demonstram que ocorreu uma queda acentuada na natalidade da população, visto que a faixa etária de 0 a 4 anos era menos expressiva que as faixas de 5 a 9 e de 10 a 14 anos.   

13. (UNESP 2019) Em seu processo de transição demográfica, a população brasileira registrou mudanças relacionadas à revolução médico-sanitária. Essas mudanças provocaram:

a) a redução da taxa de mortalidade e o aumento da expectativa de vida.    

b) a ampliação da taxa de natalidade e o aumento da população relativa.    

c) a redução da taxa de dependência e a diminuição do número de idosos.    

d) a ampliação da taxa de fecundidade e a diminuição da quantidade de adultos.    

e) a redução da taxa de fertilidade e a diminuição da população absoluta.    

14. (UERJ 2019) 

Os relatos sobre as ondas epidêmicas de febre amarela na cidade do Rio de Janeiro apareceram com frequência nos periódicos, especialmente a partir da década de 1850.

De acordo com o documento acima, no início da década de 1870, o alastramento da doença era associado ao seguinte fator: 

a) elevação de taxas de natalidade    

b) variação das condições climáticas    

c) ingresso de estrangeiros com infecção    

d) insalubridade das residências populares   

15. (ESPM 2019) Podemos afirmar sobre dados recentes da população brasileira que: 

a) a expectativa de vida da população mas­culina é menor que a da feminina e, em parte, isso está relacionado à violência ur­bana e a acidentes de trânsito.    

b) o crescimento vegetativo caiu devido à di­minuição da taxa de mortalidade nos últi­mos 40 anos.    

c) o frequente aumento da taxa de mortali­dade infantil verificado na última década é resultado da estagnação no serviço de saneamento básico.    

d) o ligeiro aumento na base da pirâmide etária indica uma reorientação demográ­fica verificada nos últimos anos.    

e) os planos assistencialistas adotados pelo governo brasileiro erradicaram a alta con­centração de renda do país.    

16. (UNIOESTE 2019) Sobre o contexto demográfico brasileiro e tomando como base os dados contidos na tabela abaixo, assinale a alternativa INCORRETA.

 

Taxa de fecundidade total, segundo as Grandes Regiões – 1940/2010

Grandes regiões

Taxa de fecundidade total

1940

1950

1960

1970

1980

1991

2000

2010

Brasil

6,2

6,2

6,3

5,8

4,4

2,9

2,4

1,9

Norte

7,2

8,0

8,6

8,2

6,5

4,2

3,2

2,4

Nordeste

7,2

7,5

7,4

7,5

6,1

3,8

2,7

2,0

Sudeste

5,7

5,5

6,3

4,6

3,5

2,4

2,1

1,7

Sul

5,7

5,7

5,9

5,4

3,6

2,5

2,2

1,7

Centro-Oeste

6,4

6,9

6,7

6,4

4,5

2,7

2,3

1,8

 

Fonte: IBGE, Censo Demográfico 1940/2000 e Projeção da População das Unidades da Federação por Sexo e Idade para o período 2000-2030.

a) A redução na taxa de fecundidade, sobretudo a partir dos anos 1980, generalizou-se por todo o País com queda contínua, de tal forma que, conforme o Censo de 2010, as Regiões que antes apresentavam fecundidade elevada seguiram o padrão de decréscimo.    

b) Entre os fatores que levaram a uma queda relativamente rápida na taxa de fecundidade em todo o País, podem-se destacar o aumento da instrução feminina, a difusão dos métodos contraceptivos e uma população marcada pela expansão da urbanização.    

c) O atual cenário demográfico brasileiro apresenta uma média de fecundidade inferior à taxa de reposição populacional que é de 2,1 filhos por mulher no período reprodutivo.   

d) A Região Norte apresenta a maior taxa de fecundidade do País em razão de sua ocupação recente com predomínio de uma população residente no meio rural ou na margem dos rios, em meio à floresta.   

e) Uma persistente taxa de fecundidade baixa, aliada ao aumento de expectativa de vida, resulta em uma população idosa proporcionalmente cada vez maior, com efeitos diretos nas políticas públicas voltadas para a saúde, aposentadoria e mercado de trabalho.




Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: