1. (Puccamp 2018) Na passagem para o século XX o mundo já era praticamente tal como o conhecemos. O otimismo, a expansão das conquistas europeias, e a confiança no progresso pareciam ter atingido o seu ponto mais alto. E então, num repente inesperado, veio o mergulho no vácuo, o espasmo caótico e destrutivo, o horror engolfou a história: a irrupção da Grande Guerra descortinou um cenário que ninguém previra. (...) Essa escalada destrutiva inédita só seria superada por seu desdobramento histórico, a Segunda Guerra Mundial, cujo clímax foram os bombardeios aéreos de varredura e a bomba atômica. Após a guerra, houve uma retomada do desenvolvimento científico e tecnológico, mas já era patente para todos que ele transcorria à sombra da Guerra Fria, da corrida armamentista, dos conflitos localizados nas periferias do mundo desenvolvido, dos golpes e das ditaduras militares no chamado Terceiro Mundo. Quaisquer que fossem os avanços, o que prevalecia era a sensação de um apocalipse iminente. 
SEVCENKO, Nicolau. A Corrida para o século XXI. No loop da montanha russa.
São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 15-16.

O texto de Nicolau Sevcenko refere-se à passagem para o século XX. Esse período pode ser identificado em:
a) A modernidade foi entendida como crença no progresso, que levaria ao Paraíso perdido das antigas civilizações.   
b) As obras dos impressionistas influenciaram o cubismo, que buscava novos parâmetros, nos quais a subjetividade do artista era fundamental, pois lançava um novo olhar sobre o mundo.   
c) A produção de conhecimento voltava-se para modificar a vida cotidiana do homem, o racionalismo cartesiano ganhava adeptos e o materialismo histórico atraía os pensadores europeus.   
d) As experiências democráticas, vividas pela sociedade contemporânea, foram fundamentais para a construção de ideias de liberdade e de igualdade relacionadas à cidadania, no mundo ocidental.   
e) A burguesia, otimista e confiante, investiu no plano estético, incorporando os avanços tecnológicos na arquitetura e nas artes, que influenciaram o estilo de vida e o pensamento europeus.   
  
2. (Enem 2ª aplicação 2016) 

A obra Les demoiselles d’Avignon, do pintor espanhol Pablo Picasso, é um dos marcos iniciais do movimento cubista. Essa obra filia-se também ao Primitivismo, uma vez que sua composição recorre à manifestação cultural de um determinado grupo étnico, que se caracteriza por
a) produção de máscaras ritualísticas africanas.   
b) rituais de fertilidade das comunidades celtas.   
c) festas profanas dos povos mediterrâneos.   
d) culto à nudez de populações aborígenes.   
e) danças ciganas do sul da Espanha.   
  
3. (Uel 2015) Observe a imagem e leia o texto a seguir.
  
Para Picasso: “A pintura não é feita para decorar apartamentos. É um instrumento de guerra para ataque e defesa contra o inimigo.” O inimigo é o homem que explora seus semelhantes por egoísmo e lucro. Guernica foi pintada com paixão e convicção. O artista usa símbolos arquetípicos (o touro, o cavalo, a figura sustentando ao alto uma luz) criando uma obra alegórica.
Adaptado de: WARNCKE, C. P. W. Ingo Pablo Picasso. China Taschen, 2007. p.387-401.

Com base na imagem, no texto e nos conhecimentos sobre a obra Guernica de Pablo Picasso, considere as afirmativas a seguir.

I. A origem de Guernica restringe-se aos estudos que Picasso realizou das obras de Goya e Velásquez, não tendo qualquer relação direta com a destruição da cidade basca pelos bombardeios alemães.
II. A experiência da guerra foi interpretada por Picasso por um meio de expressão imagético, em que, pela linguagem da pintura, o artista aborda o sofrimento humano. O acontecimento conduziu à criação de uma obra que se manteve presente na consciência coletiva do século XX.
III. Picasso usou elementos da expressividade, através de sua própria linguagem formal, com motivos e esquemas pictóricos universais, difundidos por uma tradição. A composição em três partes baseia-se no tríptico, forma clássica do retábulo cristão.
IV. Guernica dialoga com outra obra de Picasso, a série de águas-fortes intitulada Sonhos e Mentiras de Franco, em que são introduzidas figuras saídas do repertório de Guernica, que representam os sofrimentos das vítimas da guerra civil.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.   
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.   
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.   
d) Somente as afirmativas I, II, III são corretas.   
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.   
  
4. (Enem PPL 2012) Em 1937, Guernica, na Espanha, foi bombardeada sob o comando da força aérea da Alemanha nazista, que apoiou os franquistas durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939).

A pintura-mural de Picasso e a fotografia retratam os efeitos do bombardeio, ressaltando, respectivamente:
a) Crítica social – conformismo político.    
b) Percepção individual – registro histórico.    
c) Realismo acrítico – idealização romântica.    
d) Sofrimento humano – destruição material.    
e) Objetividade artística – subjetividade jornalística.   
  
5. (Ufg 2010) Analise os quadros.



A comparação entre as pinturas de Renoir e Picasso revela uma mudança fundamental na concepção artística, no início do século XX. Essa mudança pode ser identificada na

a) ausência de perspectiva, trazendo as figuras representadas para o primeiro plano do quadro.   
b) desconsideração da forma, resultando em uma estética degenerada dos corpos.   
c) recusa na imitação realística das formas, instituindo a representação abstrata das figuras.   
d) utilização do sombreamento, ampliando a percepção acerca dos detalhes pictóricos.   
e) escolha temática das obras artísticas, permeadas pela emoção e pela exploração do universo privado.   
  
6. (Enem cancelado 2009) Distantes uma da outra quase 100 anos, as duas telas seguintes, que integram o patrimônio cultural brasileiro, valorizam a cena da primeira missa no Brasil, relatada na carta de Pero Vaz de Caminha. Enquanto a primeira retrata fielmente a carta, a segunda — ao excluir a natureza e os índios — critica a narrativa do escrivão da frota de Cabral. Além disso, na segunda, não se vê a cruz fincada no altar.




Ao comparar os quadros e levando-se em consideração a explicação dada, observa-se que
a) a influência da religião católica na catequização do povo nativo é objeto das duas telas.   
b) a ausência dos índios na segunda tela significa que Portinari quis enaltecer o feito dos portugueses.
c) ambas, apesar de diferentes, retratam um mesmo momento e apresentam uma mesma visão do fato histórico.   
d) a segunda tela, ao diminuir o destaque da cruz, nega a importância da religião no processo dos descobrimentos.   
e) a tela de Victor Meirelles contribuiu para uma visão romantizada dos primeiros dias dos portugueses no Brasil.   
  
7. (Unesp 2017) A partir do início do século XX, na França, alguns artistas vão subverter a concepção que se tinha da pintura. Em vez de simplesmente representar o que era visto, eles decidem representar aquilo que não podia ser visto. Os rostos de perfil têm dois olhos, a natureza se decompõe em formas geométricas... a realidade se revela em todas as suas facetas, como um cubo achatado.
Christian Demilly. Arte em movimentos e outras correntes do século XX, 2016. Adaptado.

Uma obra representativa da estética à qual o texto se refere está reproduzida em:

8. (Ufg 2008) Observe e compare as duas imagens:


Os quadros tratam do mesmo tema, embora pertençam a dois momentos distintos da história da arte. O confronto entre as imagens revela um traço fundamental da pintura moderna, que se caracteriza pela
a) tentativa de compor o espaço pictórico com base nas figuras naturais.   
b) ruptura com o princípio de imitação característico das artes visuais no Ocidente.   
c) continuidade da preocupação com a nitidez das figuras representadas.   
d) secularização dos temas e dos objetos figurados com base na assimilação de técnicas do Oriente.   
e) busca em fundar a representação na evidência dos objetos.   
  
9. (Enem 2002) O autor da tira utilizou os princípios de composição de um conhecido movimento artístico para representar a necessidade de um mesmo observador aprender a considerar, simultaneamente, diferentes pontos de vista.



Das obras reproduzidas, todas de autoria do pintor espanhol Pablo Picasso, aquela em cuja composição foi adotado um procedimento semelhante é:

Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: