1. (Enem 2017)  

A instalação Dengo transformou a sala do MAM-SP em um ambiente singular, explorando como principal característica artística a
a) participação do público na interação lúdica com a obra.   
b) distribuição de obstáculos no espaço da exposição.   
c) representação simbólica de objetos oníricos.   
d) interpretação subjetiva da lei da gravidade.    
e) valorização de técnicas de artesanato.  
  
2. (Uel 2018) Leia os textos e observe as figuras a seguir.

Para realizar Anotações a partir de Caspar David Friedrich, Renata De Bonis, ao invés de focar-se na imensidão atemporal das paisagens, capturou a sonoridade dos ambientes, a parte que existia apenas como imaginação projetada sobre a visualidade enquadrada. As faixas de som gravadas nas locações de Friedrich, então, tornaram-se substrato para esta sinestésica instalação sonora.
(Adaptado de: MIYADA,P.; ARDUI, O. Texto curatorial - Arte Atual Festival - Quadro, Desquadro, Requadro. Instituto Tomie Ohtake: São Paulo, 2016. Disponível em: <http://www.institutotomieohtake.org.br/curadoria/post/arte-atual-quadro-desquadro-requadro>. Acesso em: 27 mar. 2017.)

É magnífico, na infinita solidão de uma beira mar, sob um céu velado, levar o olhar até uma imensa extensão de água deserta. É necessário, para isso, uma pretensão dirigida pelo coração e uma privação, se posso me exprimir assim, imposta pela natureza. [...] Mas diante do quadro isso é impossível, e o que eu supunha encontrar no próprio quadro encontrei-o de antemão entre o quadro e mim mesmo - ao mesmo tempo uma pretensão que meu coração dirigia ao quadro e uma privação que o quadro mesmo me impunha. E é assim que me tornei, eu mesmo, o monge, o quadro tornou-se a duna [...]. Não há nada de mais triste e mais penoso do que uma tal situação no mundo: ser a única flâmula de vida no imenso império da morte, o centro solitário de um círculo solitário.
(Adaptado de: KLEIST, H. V. Impressões diante de uma paisagem marinha de Friedrich. Petitis écrits. Paris: Le Promeneur, 1999. p. 199-200. (1ª edição 1810).
 
Com base nos textos, nas figuras e nos conhecimentos sobre arte contemporânea, considere as afirmativas a seguir.

I. Ao construir a instalação por meio dos sons e da reprodução da imagem da pintura de Caspar David Friedrich, Renata De Bonis reitera sentidos, dialoga com a obra do artista romântico e atualiza o conceito de paisagem.
II. A grandiloquência do texto de Heinrich von Kleist se transfigura na ação da artista; embora o procedimento seja o de apropriação e de citação, isso está para além do plano da imagem: De Bonis empreendeu um conjunto de ações no tempo e no espaço.
III. O que caracteriza o trabalho de De Bonis como instalação é o conjunto de procedimentos e de deslocamento que a artista adota, assim como as materialidades que coleta para constituir, como obra, o próprio ambiente.
IV. O tempo entre a pintura de Caspar David Friedrich e a instalação de Renata De Bonis, assim como as diferenças técnicas entre ambas, indicam o sentido da evolução da arte e, do mesmo modo, da compreensão do homem acerca da vida.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.   
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.   
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.   
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.   
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.   

Analise a figura a seguir e responda à(s) questão(ões).

3. (Uel 2018) Leia o texto a seguir.


A produção de Rivane Neuenschwander caracteriza-se por uma atenção incomum ao detalhe. É um olhar que implica inclinar-se, deslocar-se do ponto de vista cotidiano de um bípede ereto, ver o chão e vê-lo de perto, sempre através de uma lente de aumento. [...] Opera-se uma mudança de escala, não na imagem, mas em nosso ponto de vista, em nossa percepção.
(Adaptado de: ZACCAGNINI, C. Rivane Neuenschwander. In: PEDROSA, A. (org.) Através: Inhotim. Brumadinho, MG: Instituto Inhotim, 2008, p. 310.)

Com base no texto, na figura e nos conhecimentos sobre arte contemporânea, assinale a alternativa correta sobre o trabalho de Rivane Neuenschwander.
a) Constitui um circuito a partir do qual é possível conferir no cotidiano as relações que até então eram invisíveis.   
b) Requer que a percepção seja ativada por um movimento, e isso resulta em olhar para o mundo de modo acelerado.   
c) Demonstra a alteração do campo perceptual de modo que o ponto de vista cotidiano apreenda os grandes eventos.   
d) Repercute os sentidos da vida cotidiana ligados à alimentação e, por essa razão, nos apresenta elementos advindos dela.   
e) Sugere que os objetos presentes no cotidiano, como texto, copo, água e ovo, são obras de arte.   
  
4. (Unesp 2017) 
O artista Artur Barrio nasceu em Portugal e mudou-se para o Brasil em 1955, dedicando-se à pintura a partir de 1965. Em 1969, começa a criar as Situações: trabalhos de grande impacto, realizados com materiais orgânicos como lixo, papel higiênico, detritos humanos e carne putrefata, com os quais realiza intervenções no espaço urbano. No mesmo ano, escreve um manifesto no qual contesta as categorias tradicionais da arte e sua relação com o mercado, e a conjuntura histórica da América Latina. Em 1970, na mostra coletiva Do corpo à terra, espalha as Trouxas ensanguentadas em um rio em Belo Horizonte.
(http://enciclopedia.itaucultural.org.br. Adaptado.)

Relacionando-se a imagem, as informações contidas no texto e o contexto do ano da mostra coletiva Do corpo à terra, é correto interpretar a intervenção Trouxas ensanguentadas como uma
a) denúncia da situação política e social do Brasil.   
b) revelação da pobreza da população brasileira.   
c) demonstração do caráter perdulário das sociedades de consumo.   
d) crítica à falta de planejamento das cidades latino-americanas.   
e) melhoria, por meio da arte, das áreas degradadas das cidades.   
  

5. (Enem 2018) TEXTO I
TEXTO II

A body art põe o corpo tão em evidência e o submete a experimentações tão variadas, que sua influência estende-se aos dias de hoje. Se na arte atual as possibilidades de investigação do corpo parecem ilimitadas – pode-se escolher entre representar, apresentar, ou ainda apenas evocar o corpo – isso ocorre graças ao legado dos artistas pioneiros.
SILVA, P. R. Corpo na arte, body art, body modification; fronteiras. II. Encontro de História da Arte: IFCH-Unicamp. 2006 (adaptado).

  
Nos textos, a concepção de body art está relacionada à intenção de
a) estabelecer limites entre o corpo e a composição.   
b) fazer do corpo um suporte privilegiado de expressão.    
c) discutir políticas e ideologias sobre o corpo como arte.    
d) compreender a autonomia do corpo no contexto da obra.    
e) destacar o corpo do artista em contato com o espectador.   
  
6. (Enem (Libras) 2017) 

A série de obras produzida por Lygia Clark, com o nome de Os bichos, evidencia uma possibilidade de expressão da arte contemporânea, a qual
a) solicita a interação do público com a obra.    
b) enfatiza a visão sobre os demais sentidos corporais.    
c) privilegia a representação de elementos da natureza.    
d) provoca o resgate de técnicas tradicionais da escultura.    
e) requer do observador o reconhecimento do objeto representado.    
  

7. (Enem PPL 2016) 
Inspirada em fantasias de Carnaval, a arte apresentada se opunha à concepção de patrimônio vigente nas décadas de 1960 e 1970 na medida em que
a) se apropriava das expressões da cultura popular para produzir uma arte efêmera destinada ao protesto.   
b) resgatava símbolos ameríndios e africanos para se adaptar a exposições em espaços públicos.   
c) absorvia elementos gráficos da propaganda para criar objetos comercializáveis pelas galerias.   
d) valorizava elementos da arte popular para construir representações da identidade brasileira.   
e) o incorporava elementos da cultura de massa para atender às exigências dos museus.   
  

8. (Enem 2016) 

A origem da obra de arte (2002) é uma instalação seminal na obra de Marilá Dardot. Apresentada originalmente em sua primeira exposição individual, no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte, a obra constitui um convite para a interação do espectador, instigado a compor palavras e sentenças e a distribuí-las pelo campo. Cada letra tem o feitio de um vaso de cerâmica (ou será o contrário?) e, à disposição do espectador, encontram-se utensílios de plantio, terra e sementes. Para abrigar a obra e servir de ponto de partida para a criação dos textos, foi construído um pequeno galpão, evocando uma estufa ou um ateliê de jardinagem. As 1500 letras-vaso foram produzidas pela cerâmica que funciona no Instituto Inhotim, em Minas Gerais, num processo que durou vários meses e contou com a participação de dezenas de mulheres das comunidades do entorno. Plantar palavras, semear ideias é o que nos propõe o trabalho. No contexto de Inhotim, onde natureza e arte dialogam de maneira privilegiada, esta proposição se torna, de certa maneira, mais perto da possibilidade.
Disponível em: www.inhotim.org.br. Acesso em: 22 maio 2013 (adaptado).
 
A função da obra de arte como possibilidade de experimentação e de construção pode ser constatada no trabalho de Marilá Dardot porque
a) o projeto artístico acontece ao ar livre.   
b) o observador da obra atua como seu criador.   
c) a obra integra-se ao espaço artístico e botânico.   
d) as letras-vaso são utilizadas para o plantio de mudas.   
e) as mulheres da comunidade participam na confecção das peças.   
  
9. (Uel 2015) Leia o texto a seguir.

As neovanguardas artísticas na década de 1960 foram marcadas por uma efervescência cultural e uma posição crítica frente à hegemonia política, social e cultural. Os jovens questionaram os discursos totalitários e a repressão política e comportamental. No campo das artes plásticas, manifestou-se uma nova figuração, centrada na representação cotidiana do homem urbano, além da emergência de propostas conceituais e processuais através dos happenings, ambientes e performances.
Adaptado de: RIBEIRO, M. A. Neovanguardas: Belo Horizonte anos 60. Belo Horizonte: Cia das Artes, 1997. p.35- 84.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre Arte na década de 1960, relacione os conceitos e as suas características correspondentes.

I. Tropicalismo.
II. Nova Objetividade Brasileira.
III. Arte Ambiental.
IV. Arte Guerrilha.
V. Land Art.

A. Suas propostas artísticas interferem no espaço circundante e instauram uma nova realidade em uma determinada situação espacial, envolvendo a atividade sensorial do público. São usados objetos e materiais que visam à exploração sensorial – tátil, auditiva, olfativa e visual – das pessoas, que se tornam coautoras da proposta do artista e participantes da exploração ambiental.
B. Propõe uma nova maneira de focalizar a relação entre arte e política e pauta-se pela autonomia da linguagem artística. Tem origem em 1967, com os poemas musicais alegóricos de Gilberto Gil e Caetano Veloso, conjugados com os arranjos experimentais da música concreta e aleatória de Rogério Duprat e de Júlio Medaglia, usando a alegoria e a ironia como questionamento social.
C. Inaugura-se uma nova forma de atuação por ações efêmeras de protesto político e comportamental, voltadas para experiências radicais com o corpo e as sensações, a inteligência e os conceitos. Destacam-se os trabalhos de Cildo Meirelles, Artur Barrio e Antônio Manoel. Refere- -se à libertação dos instintos vitais, em que a energia do corpo humano se revolta contra a repressão da sociedade.
D. Denomina a geração de artistas brasileiros que atuou no eixo Rio-São Paulo no final dos anos 1960. Refere-se à exposição desses artistas realizada no MAM-RJ, em 1967, organizada por Hélio Oiticica e Rubens Guerchman. Enfatizava a vontade construtiva, a superação das categorias tradicionais, a tendência para o objeto e as manifestações coletivas abertas à participação do público.
E. Veio reafirmar a ruptura com espaços consagrados, como as galerias e os museus, marcada pela volta do artista à natureza. Suas obras são realizadas nas montanhas, no mar, no deserto, no campo e nos parques da cidade. Retomava sua relação com o público por meio de fotografias, filmes e vídeos apresentados em galerias, museus e bienais. Destacam-se os trabalhos de Christo e Smithson.

Assinale a alternativa que contém a associação correta.
a) I-A, II-B, III-D, IV-E, V-C.   
b) I-B, II-D, III-A, IV-C, V-E.   
c) I-B, II-E, III-C, IV-A, V-D.   
d) I-D, II-B, III-C, IV-A, V-E.   
e) I-D, II-E, III-A, IV-B, V-C.   
  
10. (Enem PPL 2015) O rap constitui-se em uma expressão artística por meio da qual os MCs relatam poeticamente a condição social em que vivem e retratam suas experiências cotidianas.
SOUZA, J.; FIALHO, V. M.; ARALDI, J. Hip hop: da rua para a escola. Porto Alegre: Sulina, 2008.

O “relato poético” é uma característica fundamental desse gênero musical, em que o
a) MC canta de forma melodiosa as letras, que retratam a complexa realidade em que se encontra.   
b) rap se limita a usar sons eletrônicos nas músicas, que seriam responsáveis por retratar a realidade da periferia.   
c) rap se caracteriza pela proximidade das notas na melodia, em que a letra é mais recitada do que cantada, como em uma poesia.   
d) MC canta enquanto outros músicos o acompanham com instrumentos, tais como o contrabaixo elétrico e o teclado.   
e) MC canta poemas amplamente conhecidos, fundamentando sua atuação na memorização de suas letras.   
 
Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: