SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Instagram siga no Instagram

1. (Upe-ssa 3 2022) Observe a imagem a seguir:

A estratificação social nela apresentada se define pela relação entre os dois estratos mostrados, caracterizada por um(a)

a) mobilidade social horizontal.   

b) interação endogâmica.   

c) lugar dos agentes na divisão social do trabalho.   

d) privilégio igualitário entre os membros de grupos diferentes.   

e) posição transmitida hereditariamente para outros membros do grupo.   

2. (Upe-ssa 1 2022) Observe a imagem a seguir:

O conceito sociológico nela destacado faz referência ao objeto de estudo da sociologia marxista, que compreende a sociedade com base na(o)

a) luta entre forças políticas do mesmo grupo, na constituição da sociedade.   

b) diálogo entre as necessidades materiais e oportunização igualitária no capitalismo industrial.   

c) história da disputa constante por interesses opostos dentro da estrutura social.   

d) excedente de meios de produção, compartilhado, de maneira equitativa, entre os grupos.   

e) pagamento da força de trabalho proporcional ao aumento do lucro.   

3. (Uece 2021) Uma das teorias clássicas das Ciências Sociais sobre a existência das classes sociais e das lógicas de estratificação que as mantêm separadas ou divididas nas sociedades modernas e capitalistas foi desenvolvida pelo filósofo alemão Karl Marx (1818-1883). De modo geral, Marx buscou explicar as lógicas sociais tanto de existência das classes nas sociedades capitalistas como os motivos de suas lutas ou tensões que estruturam o modo social de produção do capitalismo.

Assim, partindo da perspectiva teórica de Marx, assinale a opção que corresponde às duas principais classes sociais antagônicas no sistema capitalista com seus respectivos objetivos.

a) A classe pequeno-burguesa, como os pequenos industriais e os profissionais liberais, contra a classe do lupemproletariado, parcela de miseráveis e parte do exército de reserva: os primeiros lutam para não perderem seus dividendos e posses e os segundos para o ingresso na classe trabalhadora.   

b) A classe capitalista, ou os donos dos meios de produção, e a classe proletária, ou os detentores da força de trabalho, lutam entre si: a primeira pela manutenção de seu domínio sobre toda a sociedade e a segunda contra as formas de exploração a que é submetida justamente pelos capitalistas.   

c) A classe dos grandes burgueses capitalistas contra a classe dos pequenos proprietários e rentistas, parcela de gente abastada, mas que não possui maiores garantias de sobrevivência: os grandes capitalistas lutam pela busca de lucros e os pequenos proprietários e rentistas lutam para assegurar suas terras e rendas.   

d) A classe proletária revolucionária detentora do Estado comunista contra a classe dos profissionais liberais e funcionários públicos reacionários e conservadores: os primeiros lutam para manterem a Revolução Socialista e os segundos lutam para preservarem seus ganhos, privilégios e cargos.   

4. (Enem 2021) Ao mesmo tempo, graças às amplas possibilidades que tive de observar a classe média, vossa adversária, rapidamente conclui que vós tendes razão, inteira razão, em não esperar dela qualquer ajuda. Seus interesses são diametralmente opostos aos vossos, mesmo que ela procure incessantemente afirmar o contrário e vos queira persuadir que sente a maior simpatia por vossa sorte. Mas seus atos desmentem suas palavras.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010.

No texto, o autor apresenta delineamentos éticos que correspondem ao(s)

a) conceito de luta de classes.   

b) alicerce da ideia de mais-valia.   

c) fundamentos do método científico.   

d) paradigmas do processo indagativo.   

e) domínios do fetichismo da mercadoria.   

5. (Enem PPL 2020) A sociedade burguesa moderna, que brotou das ruínas da sociedade feudal, não aboliu os antagonismos de classes. Não fez senão substituir velhas classes, velhas condições de opressão, velhas formas de luta por outras novas. Entretanto, a nossa época, a época da burguesia, caracteriza-se por ter simplificado os antagonismos de classes.

MARX, K.; ENGELS, F. O manifesto comunista. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

Na perspectiva dos autores, os antagonismos entre as classes sociais no capitalismo decorrem da separação entre aqueles que detêm os meios de produção e aqueles que

a) vendem a força de trabalho.   

b) exercem a atividade comercial.   

c) possuem os títulos de nobreza.   

d) controlam a propriedade da terra.   

e) monopolizam o mercado financeiro.   

6. (Uel 2018) Leia a charge a seguir.

A charge remete a discussões que têm marcado o pensamento sociológico e a sociologia contemporânea.

Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, o teor desses debates.

a) O reconhecimento de que as classes sociais deixaram de existir com a implantação dos modos de produção comunistas na Europa e, desde então, perderam sua importância histórica.   

b) As classes existiram apenas como um fenômeno localizado historicamente no tempo, de tal modo que hoje mesmo os partidos de esquerda renunciaram a identificar sua permanência na sociedade contemporânea.   

c) As classes sociais, assim como a estrutura social, são construções conceituais ideológicas, de modo que não existem empiricamente na vida social.   

d) As lutas de classes existiram enquanto se mantiveram os partidos de esquerda tradicionais e, com a morte desses, as lutas de classe foram substituídas por embates identitários.   

e) As classes deixaram de ser o referencial analítico privilegiado, mas conservam sua importância, pois as relações entre capital e trabalho no mundo moderno se mantêm.   

7. (Ueg 2019) Um dos fenômenos mais analisados pela sociologia é o das classes sociais. Algumas análises sociológicas apontam para uma mudança na estrutura de classes na sociedade, o que teria se iniciado após a Segunda Guerra Mundial e com maior intensidade nas décadas posteriores.

A respeito das alterações na estrutura de classes que ocorreram a partir dessa época, verifica-se que 

a) a longa crise econômica e o consequente enxugamento do Estado a partir dos anos 1950 geraram uma redução drástica da burocracia e uma precarização intensa da intelectualidade.    

b) houve, nas últimas décadas, um decréscimo quantitativo e proporcional do proletariado industrial, devido ao crescimento do setor de serviços e do comércio em detrimento do setor industrial.    

c) o desenvolvimento tecnológico e o avanço da informática fizeram emergir uma nova classe, denominada tecnocracia, que vem, paulatinamente, substituindo a burguesia como classe dominante.    

d) a pós-modernidade e o neoliberalismo criaram um intenso processo de fragmentação social, o que provocou o desaparecimento das classes sociais e sua substituição pelos grupos sociais.    

e) o estado de bem-estar social nos países capitalistas mais avançados gerou uma reforma agrária que teve como principal efeito o crescimento quantitativo do campesinato e da classe latifundiária.    

8. (Enem PPL 2017) A tecelagem é numa sala com quatro janelas e 150 operários. O salário é por obra. No começo da fábrica, os tecelões ganhavam em média 170$000 réis mensais. Mais tarde não conseguiam ganhar mais do que 90$000, e pelo último rebaixamento, a média era de 75$000! E se a vida fosse barata! Mas as casas que a fábrica aluga, com dois quartos e cozinha, são a 20$000 réis por mês; as outras são de 25$ a 30$000 réis. Quanto aos gêneros de primeira necessidade, em regra custam mais do que em São Paulo.

CARONE, E. Movimento operário no Brasil. São Paulo: Difel, 1979.

Essas condições de trabalho, próprias de uma sociedade em processo de industrialização como a brasileira do início do século XX, indicam a

a) exploração burguesa.   

b) organização dos sindicatos.    

c) ausência de especialização.   

d) industrialização acelerada.    

e) alta de preços.    

9. (Unioeste 2016) “I. Burgueses e proletários. A história de todas as sociedades até hoje existente é a história das lutas de classes. Homem livre e escravo, patrício e plebeu, senhor feudal e servo, mestre de corporação e companheiro, em resumo, opressores e oprimidos, em constante oposição, têm vivido numa guerra ininterrupta, ora franca, ora disfarçada; uma guerra que terminou sempre ou por uma transformação revolucionária da sociedade inteira, ou pela destruição das classes em conflito”

(MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. São Paulo: Boitempo, 2010, p. 40).

Assinale a alternativa CORRETA: para Karl Marx (1818-1883) como se originam as classes sociais?

a) As classes sociais se originam da divisão entre governantes e governados.   

b) As classes sociais se originam da divisão entre os sexos.   

c) As classes sociais se originam da divisão entre as gerações.   

d) As classes sociais se originam da divisão do trabalho.   

e) As classes sociais se originam da divisão das riquezas.   

10. (Ufu 2016) Marx e Engels, em seu Manifesto do Partido Comunista, consideram que “a nossa época, a época da burguesia, caracteriza-se por ter simplificado os antagonismos de classes. A sociedade divide-se cada vez mais em dois vastos campos opostos, em duas grandes classes diametralmente opostas: a burguesia e o proletariado.”

(Disponível em http://www.culturabrasil.org/manifestocomunista.htm)

Em vista disso, assinale a alternativa que define corretamente a burguesia e o proletariado.

a) Os burgueses utilizam o trabalho escravo para a produção, e o proletariado é desprovido de liberdade para vender sua força de trabalho.   

b) Os burgueses são proprietários que utilizam da manufatura do proletariado para a produção de mercadorias, e o proletariado impulsiona o desenvolvimento da manufatura.   

c) Os burgueses são os grandes proprietários de terras, e o proletariado detém o poder social e econômico.   

d) Os burgueses são os detentores dos meios de produção, e o proletariado vende sua força de trabalho.   

11. (Upe-ssa 3 2016) Leia os textos a seguir:

TEXTO 1

Mobilidade social é um termo da Sociologia, que descreve a possibilidade de transição de indivíduos e grupos sociais de uma classe social para outra, como também descreve as transições sociais que acontecem dentro de uma mesma classe social.

Disponível em: http://www.significadosbr.com.br/mobilidade-social Acesso em: junho 2015.

TEXTO 2

Por mobilidade social entende-se toda passagem de um indivíduo ou de um grupo de uma posição social para outra, dentro de uma constelação de grupos e estratos sociais.

SOROKIN, Pitirim. Sociedade, cultura e personalidade. Porto Alegre: Globo, 1968, v. II, p. 629.

De acordo com as definições apresentadas nos textos, como pode ser classificada a transição social e econômica do dono de um pequeno supermercado de bairro após ter aberto várias franquias de seu empreendimento em outras regiões do estado?

a) Mobilidade social coletiva   

b) Mobilidade social horizontal   

c) Mobilidade social horizontal individual   

d) Mobilidade social vertical descendente coletiva   

e) Mobilidade social vertical ascendente individual  

12. (Ueg 2016) Os seres humanos são formados socialmente. A sociologia aborda esse processo de constituição social dos seres humanos com o termo “socialização”. Desde Marx e Durkheim, passando pela escola funcionalista até chegar aos sociólogos contemporâneos, esse é um tema fundamental da sociologia, mesmo sem usar esse termo. Alguns sociólogos atribuem um caráter repressivo e coercitivo ao processo de socialização em determinadas épocas e sociedades. A socialização, na sociedade moderna, seria diferente da que ocorre em outras sociedades. A letra da música a seguir apresenta elementos desse processo de socialização moderna.

PRESSÃO SOCIAL

(Plebe Rude)

Há uma espada sobre a minha cabeça/ É uma pressão social que não quer que eu me esqueça

Que tenho que estudar/ que eu tenho que trabalhar/ que tenho que ser alguém/ não posso ser ninguém

Há uma espada sobre a minha cabeça/ É uma pressão social que não quer que/ eu me esqueça

Que a minha vitória é a derrota de alguém/ e o meu lucro é a perda de alguém que eu tenho que competir

Há uma espada sobre a minha cabeça/ É uma pressão social que não quer que/ eu me esqueça

 Que eu tenho que conformar/ conformar é rebelar/ que eu tenho que rebelar/ rebelar é conformar

E quem conforma o sistema engole/ e quem rebela o sistema come

 Disponível em: <http://www.vagalume.com.br/plebe-rude/pressao-social-original.html>. Acesso em: 16/03/2016

A letra da música apresenta o processo de

a) socialização de grupos subalternos que são altamente competitivos e voltados para o lucro e a vitória competitiva independente de qualquer consideração ética.   

b) imposição dos valores dos pequenos comerciantes que precisam de educação escolar e aprendem a ter o lucro como objetivo principal de sua empresa.   

c) imposição de elementos da sociabilidade moderna, tais como escolarização e trabalho visando ascender socialmente e vencer a competição social.   

d) socialização nos países subdesenvolvidos, nos quais a falta de oportunidades e de riquezas gera uma forte competição social.   

e) imposição de uma socialização fundada na racionalização, marcada por uma valoração da razão e dos sentimentos.   

13. (Upe-ssa 3 2016) Observe a imagem a seguir:

A estratificação social representada nessa imagem é denominada de

a) Casta.   

b) Estamento.   

c) Classe social.   

d) Camada social socialista.   

e) Mobilidade social horizontal.   

14. (Upe-ssa 2 2016) Observe a charge a seguir:

A estrutura social é um tema presente nos estudos sociológicos. Com base na charge, é CORRETO afirmar que

a) a desigualdade social fundamenta-se na habitação, pois a obtenção de outros elementos de sobrevivência depende, exclusivamente, dos indivíduos.   

b) os movimentos sociais funcionam como mecanismos que incentivam a criação de espaços sociais, a exemplo do apresentado na charge.   

c) a estratificação da sociedade brasileira é dividida em classes sociais, que são determinadas por condições econômicas e sociais de vida.   

d) o morador de uma das casas da charge compara sua residência com a de uma classe social superior. Esse fato o deixa satisfeito com sua condição social.   

e) a classe média no Brasil é caracterizada por possuir grande acúmulo de dinheiro que a torna uma estrutura social frágil, se comparada a outras organizações sociais.   

15. (Uffs) É uma ideia que na sociedade capitalista pressupõe a elaboração de um discurso homogêneo, pretensamente universal, que, buscando identificar a realidade social com que as classes dominantes pensam sobre ela, esconde, oculta as contradições existentes e silencia as representações contrárias às dessa classe. 

a) A ideia de justiça
b) A ideia de ordem
c) A ideia de democracia
d) A ideia de ideologia
e) A ideia de progresso

16. (Uel 2014) Observe a figura a seguir e responda à(s) questão(ões) seguinte(s).

Uma das grandes ruas arborizadas e largas da capital francesa traz o nome de Haussmann, Primeiro Ministro à época da Comuna de Paris e responsável pela nova configuração espacial que parte da Cidade Luz passou a ter. Tratava-se, para ele, de eliminar as vielas que impediam o deslocamento das tropas por ocasião de motins populares. A Comuna de Paris também foi objeto de atenção do pensamento de Marx e Engels.

Sobre a forma como Marx e Engels analisaram a Comuna de Paris, assinale a alternativa correta.

a) Foi a primeira experiência real que indicou o que poderia ser uma sociedade sem classes.

b) Era um movimento limitado por desconsiderar a forma parlamentar como instrumento essencial de luta.

c) Exprimia um modelo ideal de vida social a ser seguido por outras nações da Europa à época de sua realização.

d) Representava a continuidade da Revolução Francesa e de seus ideais de liberdade, igualdade e fraternidade.

e) Tratava-se de um movimento pacífico que recusava a luta de classes como caminho para o comunismo.   

17. (Uema 2011) As sociedades modernas são complexas e multifacetadas. Mas, é com o capitalismo que as divisões sociais se tornam mais desiguais e excludentes. Marx já observara que só o conflito entre as classes pode mover a história. Assim sendo, para o referido autor, em qual das opções se evidencia uma característica de classe social? 

a) O status social e cultural dos indivíduos. 

b) A função social exercida pelos indivíduos na sociedade. 

c) A ação política dos indivíduos nas sociedades hierarquizadas. 

d) A identidade social, cultural e coletiva. 

e) A posição que os indivíduos ocupam nas relações de produção. 

18. (Uel 2005) “A legislação penal do fim do século XIX determinava: a ociosidade era considerada ‘crime’ e, como tal, punida. Reconhecida e legitimada abertamente, a prática da repressão aos desempregados e subempregados – os pobres – ficava clara no discurso dos responsáveis pela segurança pública e pela ordem nas cidades. O controle social dessas camadas deveria ser realizado de forma rígida. Sidney Chalhoub afirma que os legisladores brasileiros utilizam o termo ‘classes perigosas’ como sinônimo de ‘classes pobres’, e isso significa dizer que o fato de ser pobre o torna automaticamente perigoso à sociedade [...]. A existência do crime, da vagabundagem e da ociosidade justificava o discurso de exclusão e perseguição policial às camadas pobres e despossuídas”. 

(PEDROSO, Regina Célia. Violência e cidadania no Brasil: 500 anos de exclusão. São Paulo: Ática, 2002. p. 24.) 

O texto acima discute a configuração das classes sociais no Brasil, tomando como referência as questões da cidadania e da violência. 

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que, no final do século XIX, no Brasil: 

a) A ação dos poderes públicos no trato da questão social estava centrada na supressão dos desníveis entre as classes sociais, condição básica para a emergência do Brasil industrializado. 

b) A herança colonial da estrutura social brasileira conduzia o poder estatal a reconhecer como legítimas as lutas das classes populares no questionamento da estrutura política oligárquica vigente. 

c) O combate às “classes perigosas” obrigava os poderes públicos à implementação de políticas de geração e distribuição de renda, reduzindo, assim, a influência do Partido Comunista Brasileiro junto aos pobres. 

d) O desemprego e a criminalidade referidos às classes populares eram vistos pelos poderes públicos, menos como questão social e mais como questão de polícia, dentro de uma concepção restritiva de cidadania. 

e) A repressão policial restringia-se aos desempregados e subempregados, pois os trabalhadores assalariados eram protegidos por uma legislação trabalhista que garantia, por exemplo, aposentadoria e descanso remunerado.

19. (Unicentro 2010) Para Karl Marx o conceito de Classes Sociais se desenvolve com a formação da sociedade capitalista. Dessa forma, é correto afirmar que 

a) as classes sociais formadas no capitalismo estabelecem intransponíveis desigualdades entre os homens, relações de exploração e antagonismo. 

b) para Marx, a história humana é a história passiva da luta de classes e da aceitação do antagonismo entre burgueses e proletários. 

c) as classes sociais são independentes entre si de tal forma que a diferenças entre elas não são sentidas pelos indivíduos de uma sociedade. 

d) o capitalista divide com a classe de trabalhadores a mais-valia produzida por seu trabalho sem que haja a exploração de mão de obra. 

e) as classes sociais não são opostas entre si, mais sim complementares e interdependentes. 

20. (Uel 2010) Observe a tabela a seguir elaborada por Pierre Bourdieu: 

Com base na tabela, é correto afirmar: 

a) A pesquisa sobre as classes sociais indica as similitudes e simetrias dos gostos e práticas sociais das classes baixas, médias e superiores. 

b) A pesquisa sobre as classes baixas, médias e altas revela o quanto a dimensão cultural dificilmente coincide com a dimensão econômica das diferenças. 

c) A pesquisa sobre a dimensão cultural das classes sociais demonstra que há diferenças nos seus estilos de vida e de consumo. 

d) A pesquisa sobre as classes sociais e suas hierarquias desautorizam as afirmações sobre possíveis assimetrias nas escolhas de consumo. 

e) A pesquisa sobre o consumo e as práticas sociais das três classes denuncia a apropriação da cultura popular pelas classes superiores. 

21. (Unicentro 2010) Em relação ao sistema de castas de uma sociedade, assinale a alternativa correta. 

a) Existe mobilidade social dentro de uma sociedade de castas. 

b) A exogamia faz parte dos casamentos realizados em sociedades de castas. 

c) Não existe mobilidade social dentro de uma sociedade de casta. 

d) Dentro de um sistema de castas não é importante a hereditariedade. 

e) Em um sistema de casta não existe a divisão entre castas superiores e inferiores. 

22. (Uel 2010) A questão das classes sociais na Sociologia tem diferentes formas de explicação. Dentre as explicações clássicas, as de Marx e Weber. Atualmente encontramos estudiosos que analisam a estrutura social brasileira de diferentes maneiras: 

I. A classe C é a classe central, abaixo da A e B e acima da D e E. [...] a faixa C central está compreendida entre os R$ 1.064 e os R$ 4.561 a preços de hoje na grande São Paulo. A nossa classe C está compreendida entre os, imediatamente acima dos 50% mais pobres e os 10% mais ricos na virada do século. [...] A nossa classe C aufere em média a renda média da sociedade, ou seja, é classe média no sentido estatístico. A classe C é a imagem mais próxima da média da sociedade brasileira. Dada a desigualdade, a renda média brasileira é alta em relação aos estratos inferiores da distribuição. 

(Adaptado de: NERI, M. C.; COUTINHO DE MELO, L. C. (coordenadores). Miséria e a nova classe média na década da igualdade. Rio de Janeiro: FGV/IBRE, CPS, 2008, p. 34-35.) 

II. “A reorganização do processo de acumulação no Brasil [após os anos de 1990] acarreta consequências imediatas nas relações sociais, no trabalho, no emprego e nas classes sociais dele resultantes. Assim, podemos concordar que o operariado industrial perdeu o seu peso relativo na nossa sociedade [...]. É certo que a classe trabalhadora [...] se multiplicou em diferentes grupos sociais, uns talvez mais atomizados ou desorganizados [...]. Também percebe-se, [...] que houve um processo de financeirização da classe hegemônica brasileira, que acabou reduzindo ainda mais os setores dominantes, sobretudo entre os banqueiros, as multinacionais e os grupos econômicos, mesclados entre si com o capital financeiro e o capital internacional”. 

(Adaptado de: OLIVEIRA, F. et al. Classes sociais em mudança e a luta pelo socialismo. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002, p. 27-28.)

Considerando as duas teorias e os dois tipos de análise dos estudiosos, é correto afirmar que as análises de 

a) I e II concordam com Max Weber simultaneamente. 

b) I e II concordam com Karl Marx simultaneamente. 

c) II concorda com Max Weber e as de I com Karl Marx. 

d) I e II discordam igualmente de Karl Marx e de Max Weber. 

e) II concorda com Karl Marx e I concorda com Max Weber. 

23. (Ufal 2009) O capitalismo modificou os costumes das sociedades tradicionais e incentivou a competição social. Com o crescimento da sociedade capitalista, as relações de mobilidade social: 

a) ganharam um espaço importante para se compreender as crises existentes na produção dos valores econômicos. 

b) construíram uma hierarquia definidora das relações de poder, destruindo as possibilidades de desigualdades. 

c) são aceitas sem problemas pelas administrações públicas, não havendo políticas que objetivem alterá-las. 

d) revelam situações de conflito entre grupos de valor apenas econômico, sem maiores problemas sociais. 

e) mostram a força do capitalismo e das suas verdades que garantem a felicidade humana. 

24. (Ufu 2007) Considere a citação. 

“Onde quer que tenha conquistado o Poder, a burguesia calcou aos pés as relações feudais, patriarcais e idílicas. Todos os complexos e variados laços que prendiam o homem feudal a seus “superiores naturais” ela os despedaçou sem piedade, para só deixar subsistir, de homem para homem, o laço do frio interesse, as duras exigências do pagamento à vista.” 

MARX, K. & ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista, In:Obras Escolhidas, Vol. 1, São Paulo: Editora Alfa-Omega, s/d., vol. 4, p. 23.

Acerca do fenômeno central destacado nessa citação e conforme a teoria social de Karl Marx, assinale a alternativa correta. 

a) O cálculo racional do lucro é a única determinação na sociedade capitalista. 

b) A estratificação na sociedade feudal era um processo natural. 

c) A conquista do poder político foi o principal objetivo das burguesias que derrotaram a ordem feudal. 

d) No capitalismo, a mercantilização não se restringe à esfera econômica, ampliando-se para outras relações sociais.

25. (Ueg 2008) Classe média

Sou classe média/ Papagaio de todo telejornal/ Eu acredito/ Na imparcialidade da revista semanal

Sou classe média/ Compro roupa e gasolina no cartão/ Odeio "coletivos"/ E vou de carro que comprei a prestação

Só pago impostos,/ Estou sempre no limite/ do meu cheque especial/ Eu viajo pouco, no máximo/ um pacote CVC tri-anual 

Mais eu "tô nem aí"/ Se o traficante é quem manda na favela/ Eu não "tô nem aqui"/ Se morre gente ou tem enchente em Itaquera/ Eu quero é que se exploda/ a periferia toda/ Mas fico indignado/ com o estado/ quando sou incomodado/ Pelo pedinte esfomeado/ que me estende a mão 

O para-brisa ensaboado/ É camelo, biju com bala/ E as peripécias do artista malabarista do farol 

Mas se o assalto é em Moema/ O assassinato é no "Jardins"/ A filha do executivo é estuprada até o fim

Aí a mídia manifesta/ a sua opinião regressa/ De implantar pena de morte,/ ou reduzir a idade penal 

E eu que sou bem informado/ concordo e faço passeata/ Enquanto aumenta a audiência/ e a tiragem do jornal 

Porque eu não "tô nem aí"/ Se o traficante é quem manda na favela/ Eu não "tô nem aqui"/ Se morre gente ou tem enchente em Itaquera/ Eu quero é que se exploda a periferia toda/ Toda tragédia só me importa quando bate em minha porta 

Disponível em:< www.maxgonzaga.com.br/Cindex.htm> Acesso em: 10 set 2007.

A letra da canção acima, de Max Gonzaga, traz vários elementos comuns tanto para a reflexão sociológica quanto filosófica, entre outras conexões com várias disciplinas. Temas sociológicos, como violência, classe social, consciência, meios de comunicação, e filosóficos, como ética, consciência, projeto e responsabilidade, estão presentes no texto.

A concepção do texto sobre consciência corresponde à seguinte proposição: 

a) A teoria da consciência de Karl Marx, segundo a qual não é a consciência que determina a vida, mas, ao contrário, é a vida que determina a consciência. Assim, o ser social, tal como a situação de classe, determina a consciência dos indivíduos, que é uma consciência de classe. 

b) A teoria das representações coletivas de Durkheim, que são compartilhadas por todos os indivíduos de uma sociedade e expressam a supremacia da sociedade sobre o indivíduo. 

c) A abordagem fenomenológica do filósofo Husserl, para quem existem proposições universais e necessárias, derivadas da experiência de classe. 

d) A teoria do pensador Descartes, que dá início ao movimento político que mais tarde vai se chamar de “liberalismo”, no qual se depositava no Estado o poder de defesa dos interesses dos indivíduos. 





Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

3 comentários: