SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Instagram siga no Instagram

1. (Enem 2021) A categoria de refugiado carrega em si as noções de transitoriedade, provisoriedade e temporalidade. Os refugiados situam-se entre o país de origem e o país de destino. Ao transitarem entre os dois universos, ocupam posição marginal, tanto em termos identitários – assentada na falta de pertencimento pleno enquanto membros da comunidade receptora e nos vínculos introjetados por códigos partilhados com a comunidade de origem – quanto em termos jurídicos, ao deixarem de exercitar, ao menos em caráter temporário, o status de cidadãos no país de origem e portar o status de refugiados no país receptor.

MOREIRA. J. B. Refugiados no Brasil: reflexões acerca do processo de integração local. REMHU. n. 43, jul.-dez. 2014 (adaptado). 

A condição de transitoriedade dos refugiados no Brasil, conforme abordada no texto, é provocada pela associação entre

a) ascensão social e burocracia estatal.   

b) miscigenação étnica e limites fronteiriços.   

c) desqualificação profissional e ação policial.   

d) instabilidade financeira e crises econômicas.   

e) desenraizamento cultural e insegurança legal.   

2. (Enem PPL 2021) Com direitos civis, mas sem direitos políticos, além das mulheres, milhões de camponeses iletrados, em sua maioria não brancos, num contexto altamente racista e racializado, milhares de imigrantes estrangeiros recém-chegados e de ex-escravos recém-libertos não deixaram, apesar disso, de agir politicamente e de influir decisivamente no devir da república em formação.

MATTOS, H. A vida política. In: SCHWARCZ, L. M. (Org.). A abertura para o mundo: 1889-1930. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

Um meio pelo qual esses grupos exerceram a cidadania, nas primeiras décadas do regime político mencionado, foi o(a)

a) prática do sufrágio livre e universal.   

b) programa de democratização do ensino.   

c) aliança de oligarquias partidárias estaduais.   

d) irrupção de levantes populares espontâneos.   

e) discurso de inspiração social-darwinista e eugenista.   

3. (Uscs - Medicina 2022) Os protestos que eclodiram em Cuba em julho de 2021 deram destaque para o embargo comercial e econômico que os EUA impuseram à ilha há seis décadas e que se mantém até hoje. O líder cubano, Miguel Díaz-Canel, enfatizou o discurso de que os problemas do país têm origem no bloqueio, reiteradamente condenado por organismos internacionais.

(Mayara Paixão. www1.folha.uol.com.br, 22.07.2021.)

Entre as consequências do embargo em Cuba, destacam-se

a) a ampliação das políticas democráticas e a redução do preço dos alimentos em Cuba.   

b) a asfixia financeira e o fim das exportações de mercadorias para a Ásia.   

c) a manutenção do multilateralismo e a desvalorização do peso cubano.   

d) a redução das sanções econômicas e a concentração de terras pelos estadunidenses.   

e) a insegurança comercial e o enfraquecimento da matriz tecnológica cubana.   

4. (Uece 2022) A hegemonia das classes dominantes nas sociedades modernas e capitalistas, conforme sugere Gramsci, é reproduzida pelo Estado ou pelo que este autor chama de “sociedade política”. Sociedade política, que é ideologia, pois reproduz a moral comum e as relações sociais vigentes a fim de manter as instituições que o modelo de sociedade predominante demanda. Em outros termos, as classes dominantes propagam suas visões de mundo para todo o corpo social e, assim, conseguem a manutenção hegemônica da estrutura de sociedade que as beneficia.

Partindo da concepção de Gramsci sobre hegemonia das classes dominantes, é correto afirmar que

a) a dominação das classes capitalistas ocorre, também, culturalmente, já que as classes dominadas estão sujeitas às visões ideológicas dessas classes capitalistas.

b) a sociedade política possui dois polos de dominação: os grupos privados, que formam a sociedade civil, e os grupos políticos, que ocupam o Estado.   

c) a luta contra a hegemonia é exercida pelo grupo dominante, em toda a sociedade e no Estado, através de um governo jurídico.

d) o Estado reproduz a contra hegemonia das lutas pela dominação que se gesta de dentro da sociedade política entre as classes sociais em conflito.

5. (Uscs - Medicina 2022)

A comparação da imagem indica que, no contexto político, o Brasil 

a) experimenta uma desigualdade menor entre os gêneros.   

b) apresenta obstáculos na efetivação de diretos igualitários.    

c) mantém equidade na representatividade entre homens e mulheres.   

d) dispõe de políticas públicas suficientes para sanar a desigualdade de gênero.   

e) apresenta reduzida participação masculina nos cargos de tomada de decisões.   

 

6. (Ufms 2022 - Adaptada) A Constituição Federal Brasileira garantiu diversos direitos civis, políticos e sociais que se refletem em nossa sociedade até os dias atuais. Assinale a alternativa que NÃO remete a um direito social garantido pela Carta Magna de 1988.

a) Os índios têm direito à preservação de sua organização social, costumes, idiomas, crenças e tradições e a garantia sobre os direitos às terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las e protegê-las.   

b) A educação é um direito de todos e um dever do Estado e da família, visando ao desenvolvimento humano, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.   

c) A saúde é um direito de todos e um dever do Estado, que deve garantir políticas que reduzam o risco de doenças; o acesso universal e igualitário às ações e aos serviços de saúde também estão garantidos.   

d) A tripartição entre os poderes está assegurada, sendo que estes devem conviver de forma independente e harmônica, estabelecendo sempre o equilíbrio.   

e) O meio ambiente é direito de todos, que devem viver em uma sociedade sadia e ecologicamente equilibrada, impondo-se o exclusivo dever do Estado em preservá-lo.   

 

7. (Unifor - Medicina 2022) 

Relacionando as fotografias acima e o extremismo do grupo Talibã no Afeganistão, que retornou ao poder após a retirada das tropas norte-americanas em agosto de 2021, analise as assertivas.

I. As fotografias sugerem uma crítica ao uso das vestimentas como forma de expressão cultural e religiosa.

II. Durante o comando talibã no Afeganistão nos anos 1990, as mulheres eram proibidas de estudar, trabalhar e até de sair de casa desacompanhadas ou com rostos descobertos. Mulheres vestidas em desacordo com as regras eram sujeitas a açoitamento.

III. Durante o comando talibã no Afeganistão nos anos 1990, mulheres acusadas de adultério eram apedrejadas em execuções públicas. Meninas eram tiradas de suas famílias e obrigadas a se casar com homens muito mais velhos. Maridos podiam obrigar suas mulheres a fazer sexo, com permissão para matá-las de fome caso se recusassem.

IV. Durante o comando talibã no Afeganistão nos anos 1990, também havia restrições válidas para os homens: qualquer pessoa flagrada com livros proibidos poderia ser executada; todas as pessoas com nomes não islâmicos deveriam mudar sua identificação, passando a adotar nomes islâmicos; homens eram obrigados a usar barba; o acesso à internet era proibido a todos.

V. Com base na experiência anterior do comando do talibã, a comunidade internacional teme a violação de direitos humanos das mulheres e de outras minorias sociais. Há o receio de que as mulheres se tornem, novamente, essencialmente invisíveis na vida pública, (como sugerem as fotografias acima), em função de uma interpretação extremista do Islã.

É correto a penas o que se afirma em

a) I, II, III, IV e V.   

b) I, II, IV e V.   

c) II, III, IV e V.   

d) I, II e III.   

e) II, III e IV.   

8. (Uece 2022) Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), o número de desempregados no ano de 2015 era de 8,5 milhões. Em 2017 foi sancionada a lei 13.467, lei da Reforma Trabalhista, no governo Michel Temer (2016-2018) e defendida, à época, pelo então ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, como uma das medidas para estimular e promover empregos e dar segurança jurídica aos empregadores. No entanto, no ano de 2020, o desemprego atingiu a marca de 13,4 milhões de pessoas no país (PNAD Contínua). Na prática, a Reforma Trabalhista modificou a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) no Brasil e trouxe uma série de mudanças para os direitos dos trabalhadores e para as obrigações das empresas. Dentre as modificações estão a não obrigatoriedade do imposto sindical para os trabalhadores, contratos de trabalho intermitentes e regulação do contrato de trabalhadores autônomos sem a necessidade de vínculo empregatício e, com isto, sem quaisquer contribuições obrigatórias e deveres legais por parte das empresas contratantes.

Considerando os impactos dessa Reforma Trabalhista, é correto afirmar que

a) aumentou a capacidade de mobilização coletiva e organizada dos trabalhadores para o bem de seus interesses.   

b) as novas regras sancionadas estimularam o crescimento vertiginoso do emprego formal e com carteira assinada nos últimos anos no Brasil.   

c) as empresas foram prejudicadas nos seus resultados financeiros desde que o trabalho intermitente se tornou o modelo vigente nas contratações.   

d) a notória consequência da reforma trabalhista de 2017 foi a proliferação de atividades autônomas, como a dos trabalhadores de aplicativos.   

9. (Fuvest 2022) No cerne da ideologia Bannon há uma série de contrastes extraordinariamente simplificadores entre bom e mau, sagrado e profano. Essa série semiótica cria perigosos outros, cuja existência contínua ameaça a boa gente que constitui o que Bannon descreve como a “verdadeira América” (...). Numa ordem social democrática, o conflito entre oponentes partidários é agonístico, não antagonístico. Bannon vê de outra forma. Não há espaço para a cortesia em seu universo (...).

Jeffrey Alexander. “Vociferando contra o iluminismo: A ideologia de Steve Bannon”. Sociologia & Antropologia, vol. 08, n. 3, set-dez, 2018.

O antagonismo é a luta entre inimigos, enquanto o agonismo representa a luta entre adversários. (...) o propósito da política democrática é transformar antagonismo em agonismo. Isso demanda oferecer canais por meio dos quais às paixões coletivas serão dados mecanismos de expressarem-se sobre questões que, ainda que permitindo possibilidade suficiente de identificação, não construirão o opositor como inimigo, mas como adversário.

Chantal Mouffe. “Por um modelo agonístico de democracia”. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 25, nov. 2005, p. 11-23.

A primeira citação foi retirada de um texto em que o sociólogo Jeffrey Alexander desenvolve o que compreende ser a ideologia de Steve Bannon, assessor do ex-presidente norteamericano Donald Trump. A segunda citação foi extraída de um artigo em que a cientista política Chantal Mouffe desenvolve a noção de “pluralismo agonístico”. A partir da perspectiva apresentada nas citações, é correto afirmar que a ideologia de Steve Bannon

a) defende uma ordem social agonística baseada na divisão entre grupos e nos conflitos entre inimigos políticos.   

b) sustenta uma ordem social baseada em consensos e que não admite conflitos entre adversários.   

c) defende a possibilidade de conflitos entre adversários, mas não admite a lógica antagonística da aniquilação e exclusão do inimigo.   

d) defende uma ordem social dividida entre bom e mal e que transforma o antagonismo em agonismo.   

e) sustenta uma ordem social antagonística fundada na divisão da sociedade entre lados opostos que devem ser entendidos como inimigos.   

10. (Ufu 2018) 

A charge de Ivan Cabral denuncia um problema social que pode ser compreendido como uma forma de dominação.

Assinale a alternativa cujos conceitos definem corretamente a relação apresentada.

a) Clientelismo.   

b) Dominação legal.   

c) Nepotismo.   

d) Coronelismo.   

11. (Unesp 2016) Sob o ponto de vista individual, a corrupção pode ser vista como uma escolha racional, baseada em uma ponderação dos custos e dos benefícios dos comportamentos honesto e corrupto. No tocante às empresas, punir apenas as pessoas, ignorando as entidades, implica adotar, nesse âmbito, a teoria da maçã podre, como se a corrupção fosse um vício dos indivíduos que as praticaram no seio empresarial. O que constatamos é bem diferente disso. A corrupção era, para as empresas envolvidas na operação Lava Jato, um modelo de negócio que majorava o lucro em benefício de todos.

(Entrevista com Deltan Martinazzo Dallagnol [procurador público].O Estado de S.Paulo, 18.03.2015. Adaptado.)

A corrupção é abordada no texto como um problema que pode ser explicado sob um ponto de vista

a) ético, devido ao comportamento irracionalista que é assumido pelos indivíduos.   

b) moral, pois o fenômeno é abordado como resultado de comportamentos desregrados.   

c) pragmático, pois é considerada, sobretudo, a avaliação dos efeitos práticos das ações.   

d) jurídico, pois é necessária uma legislação mais rigorosa para coibir o fenômeno   

e) materialista, pois suas causas relacionam-se com a estrutura do sistema capitalista.   

12. (Udesc 2015) Visualize com atenção a imagem do chargista Latuff, e analise as proposições.

I. A igualdade de forças entre os dois personagens da imagem está bem demarcada pela enxada na mão da mulher e a arma de fogo apontada pelo jagunço.

II. A presença da balança na mão do atirador representa de que lado a justiça pende diante dos confrontos entre latifundiários e movimentos sociais de luta pela terra.

III. A presença feminina, na charge, faz jus à histórica participação das mulheres nos movimentos sociais de ocupação pela terra.

IV. A justiça está representada com uma venda no olho, indicando sua imparcialidade diante dos problemas de disputas de terra no Brasil; ela atua sempre do lado da legalidade, nesse caso, a favor da concentração de riqueza e de propriedade nas mãos de uns poucos.

V. O chapéu representando o latifúndio simboliza os movimentos sociais que incluíram a questão da terra como pauta de luta.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.   

b) Todas as afirmativas são verdadeiras.   

c) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.   

d) Somente as afirmativas II, III e V são verdadeiras.   

e) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras.   

13. (Interbits 2017) Brasil vive momento de 'anomia', diz FHC

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acredita que o Brasil vive um "momento de anomia" - estado que se caracteriza pela ausência de regras - e que é preciso "botar ordem na casa". "Há falta de sentido de organização e autoridade. Em toda a parte”. Questionado sobre o que faria se estivesse no lugar do presidente Michel Temer, FHC disse que "a essa altura, estaria considerando o futuro do Brasil e pensando bem: será que eu tenho condições de governar?". Na sequência, o tucano foi perguntado quanto tempo levaria para fazer essa reflexão. "Não muito. As coisas vão variar com muita velocidade, vão se mover com muita rapidez, eu acho. Sem julgar, mas em termos das condições do Brasil, estamos passando por um momento de... Vou falar em sociologuês, mas é simples... De anomia."

NUCCI, João Paulo. Brasil vive momento de ‘anomia’, diz FHC. O Estado de S.Paulo. 22 mai. 2017. Disponível em: <http://politica.estadao.com.br> Acesso em 25 mai. 2017.

Considerando o contexto político apresentado na notícia acima, assinale a alternativa que apresenta, de forma correta, uma interpretação sociológica do contexto brasileiro. 

a) O Brasil vive em uma anomia pela pobreza e desnutrição de sua população.    

b) Ao utilizar o conceito de anomia, Fernando Henrique Cardoso faz referência a uma corrente de pensamento sociológico que tem origem no positivismo de Auguste Comte, que valoriza ideais como a ordem e o progresso.   

c) Fernando Henrique Cardoso é um ex-presidente do Brasil, do PSDB. Sua análise da política tem como objetivo evitar que Lula chegue ao poder nas próximas eleições.    

d) Há uma clara intenção do ex-presidente de criticar o atual presidente, Michel Temer. Assim, Fernando Henrique demonstra que seu objeto é assumir o país através de eleições indiretas.    

e) Ao criticar a governabilidade de Michel Temer e defender o sentido de organização e autoridade, FHC demonstra que tem uma visão política baseada nas ideias de John Locke, ou seja, de que o homem é naturalmente livre.   

14. (Uel 2011) Observe a charge.

A charge remete à prática política recorrente no Brasil, a qual vem sendo combatida pelo Supremo Tribunal Federal.

A prática central assinalada na charge é definida como: 

a) Clientelismo, uma vez que remete ao voto de cabresto do candidato em relação ao eleitor. 

b) Fisiologismo, isto é, a mudança de partido realizada pelo candidato, a cada eleição. 

c) Populismo, resultante da presença, na cena pública, de líder carismático e conservador. 

d) Nepotismo, por tratar do uso da máquina pública para empregar parentes. 

e) Solidarismo, por reforçar a necessidade de todos se ajudarem em defesa da cidadania plena.

15. (Unesp 2012) O psicólogo Drew Westen mostrou que, na política, emoções falam mais alto que a lógica. Ele monitorou os cérebros de militantes partidários enquanto viam seus candidatos favoritos caindo em contradição. Como previsto, eles não tiveram dificuldade para perceber a incongruência do “inimigo”, mas foram bem menos críticos em relação ao “aliado”. Segundo Westen, quando confrontados com informações ameaçadoras às nossas convicções políticas, redes de neurônios associadas ao estresse são ativadas. O cérebro percebe o conflito e tenta desligar a emoção negativa. Circuitos encarregados de regular emoções recrutam, então, crenças capazes de eliminar o estresse. A contradição é apenas fracamente percebida.

(Hélio Schwartsman. Folha de S.Paulo, 07.02.2012.)

A tese exposta no texto expõe uma dificuldade em compreender a contradição entre convicções pessoais e fatos objetivos. De acordo com o texto, essa contradição está relacionada 

a) à capacidade da razão de prevalecer sobre interferências de natureza emocional. 

b) às fortes tendências de manipulação do noticiário político pelos meios de comunicação. 

c) a estados patológicos que dificultam a tarefa de compreensão racional da realidade. 

d) a mecanismos neurológicos de proteção contra ideias e emoções ameaçadoras. 

e) à defasagem entre valores éticos e interesses pessoais no campo político e partidário. 

16. (Unisc 2012) Em 2006, o IBOPE divulgou uma pesquisa acerca da opinião do eleitor brasileiro sobre corrupção e ética, com o objetivo de tentar entender se os problemas éticos enfrentados pela sociedade brasileira estão concentrados nos “políticos” ou se há uma cultura na sociedade que avaliza a corrupção. Foram apresentados aos pesquisados 13 atos de corrupção, incluindo: dar uma “gorjeta” para se livrar de uma multa, sonegar impostos, receber benefícios do governo sabendo que não tem direito a eles, adquirir documentos falsos para obter algum tipo de vantagem, pedir mais de um recibo por um mesmo procedimento médico para obter mais reembolso do plano de saúde, comprar produtos que copiam os originais de marcas famosas, sabendo que são piratas ou falsificados, fazer ligação clandestina ou “gato” de TV a cabo do vizinho, entre outros. Os resultados mostraram que 69% dos eleitores brasileiros já transgrediram alguma lei ou descumpriram alguma regra contratual de forma consciente e intencional, para adquirir ganhos materiais, sendo que 75% afirmaram que cometeriam algum dos 13 atos de corrupção avaliados pelo estudo se tivessem oportunidade. 

Fonte: http://reinehr.org/sociedade/saude-dasociedade/corrupcao-na-politica-eleitor-vitima-ou-cumplice

Indique a alternativa que está amparada no texto acima. 

a) São as oportunidades proporcionadas pelos cargos públicos que levam o político a se corromper. 

b) Os políticos são os responsáveis pela corrupção ao estimular a sonegação de impostos. 

c) A concordância de muitos cidadãos com atos de corrupção dificulta o combate à corrupção política. 

d) As pessoas corruptas já nascem corruptas. 

e) Os políticos corruptos já nascem corruptos. 

17. (Uema 2012) A questão da corrupção está em evidência e aumenta o desencanto com a política. Considerada como um dos maiores males da democracia, suas consequências são nefastas. Shakespeare, em “Medida por medida”, destacou essa problemática, conforme o fragmento abaixo: Uma coisa é ser tentado e outra coisa é cair em tentação. Não posso negar que não se encontre num júri, examinando a vida de um prisioneiro, um ou dois ladrões, entre os jurados, mais culpados do que o próprio homem que estão julgando. A Justiça só se apodera daquilo que descobre. Que importa as leis que ladrões condenem ladrões?

SHAKESPEARE, W. Comédias e sonetos. São Paulo: Círculo do Livro, 1994.

Assinale a alternativa que expressa o sentido da corrupção política. 

a) Uso do poder público para proveito, promoção ou prestígio particular, ou em benefício de um grupo ou classe, constituindo violação da lei ou de padrões de elevada conduta moral. 

b) Utilização da violência nua para impor autoridade e auferir benefícios particulares. As vantagens obtidas se apoiam no poder dos dominantes e no uso da arbitrariedade. 

c) Fenômeno político baseado na capacidade simbólica de exercer ascendência sobre os outros, utilizando expressivamente a coação. 

d) Fenômeno que coloca todos em nível de igualdade – vendedores e compradores – com a finalidade de promover a troca de bens serve de elemento regulador das relações entre os indivíduos. 

e) Fenômeno político que induz a um benefício ou direito desfrutado por indivíduos, partilhado pela generalidade das pessoas. 

18. (Unesp 2012) A convite da Confederação Nacional de Seguros, instituição privada, ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), do STJ (Superior Tribunal de Justiça) e do TST (Tribunal Superior do Trabalho) participaram de seminário em hotel de luxo no Guarujá (SP), no início de outubro. O evento, que aconteceu num hotel cinco estrelas, começou numa quinta-feira e prolongou-se até domingo. No período, as diárias variavam de R$ 688,00 a R$ 8.668,00. Além dos ministros, desembargadores e juízes de tribunais estaduais participaram do seminário. Foram discutidos assuntos de interesse dos anfitriões, como o julgamento de processos sobre previdência complementar e a boa-fé nos contratos de seguros.

(Folha de S.Paulo, 14.11.2011. Adaptado.)

A relevância jornalística do fato retratado pode ser relacionada a questões 

a) técnicas, associadas aos processos jurídicos em questão. 

b) éticas, associadas ao comprometimento da neutralidade jurídica. 

c) políticas, que envolvem a escolha da cidade do Guarujá. 

d) econômicas, derivadas da diferença de preço entre as diárias. 

e) burocráticas, na relação entre o estado e o capital privado. 

19. (Unisc 2012) No fragmento de texto abaixo, um importante jornalista da atualidade no Brasil, Luis Nassif, comenta, em seu blog, a relação entre dois fenômenos importantes que explicam, em muito, as situações que resultam em atraso do desenvolvimento brasileiro e controle político por parte das elites nacionais. Para fins de interpretação, resta comentar que o autor tece, na passagem, uma crítica direta a um meio de comunicação presente em muitos dos estados brasileiros. Vejamos:

“No discurso, seus analistas ignoram completamente as limitações do federalismo brasileiro, a política de alianças – que garante a governabilidade –, a necessidade de pragmatismo político. Dividem o Brasil entre o supostamente país moderno (dos quais ELES são porta-vozes) e o Brasil anacrônico, dos Sarneys e companhia. Aliás, é um contraponto salutar, para reduzir o poder de influência dos coronéis .... De onde emana o poder político dos coronéis regionais? Em grande parte, do controle da mídia local. E esse poder deriva fundamentalmente da política de alianças com as redes nacionais de rádio e TV.”

Fonte: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif acessado em 29/09/2011.

A crítica do jornalista se contextualiza em dois fenômenos importantes para compreender a situação de poder no Brasil e no mundo de hoje. É importante ressaltar que esse poder deriva da aproximação e da aliança direta entre grupos que estão no centro desses dois fenômenos, que são, segundo o fragmento de texto apresentado, 

a) a força dos políticos e o controle da imprensa. 

b) o poder político dos “coronéis” e dos órgãos de comunicação. 

c) o controle das verbas públicas e a propaganda política. 

d) o poder do discurso e das alianças entre os políticos. 

e) Nenhuma das alternativas anteriores está correta. 

20. (Uenp 2011) “Costumava-se dizer que "as câmaras não mentem". De fato, um dos motivos do entusiasmo pela fotografia na época de sua invenção foi exatamente a sua objetividade. No século 19 a fotografia era considerada o produto do "lápis da natureza", pois os próprios objetos deixam traços na chapa fotográfica quando ela é exposta à luz, sem outras intervenções da parte do fotógrafo. Desde aquela época, a objetividade da fotografia tem sido muito criticada. Lewis Hine, um norte-americano famoso por sua "fotografia social" de trabalhadores imigrantes e cortiços, disse que, "embora as fotografias não possam mentir, os mentirosos podem fotografar".” 

Peter Burke in Como confiar em fotografias. 

 

I. Um caso famoso de manipulação de imagens é um filme feito pelos socialistas alemães que “mostra” o kaiser Guilherme conversando com Krupp, o maior fabricante de armas da época, para demonstrar a ligação entre o capitalismo e o militarismo alemão na época da Primeira Guerra Mundial. 

II. O retrato de determinado fato pode estimular posições político-ideológicas distintas. Por exemplo, convencer o público a ver determinada guerra como gloriosa, enfatizando a coragem e as vitórias; ou terrível, mostrando crianças vietnamitas nuas fugindo de um ataque de napalm. 

III. É possível haver interferência nas cenas sociais que se desejam registrar, arranjando-as para que pareçam mais autênticas.


Está(ão) correta(s) a(s) afirmação(ões):
a) Nenhuma.
b) Todas.
c) Apenas a I.
d) Apenas a II.
e) Apenas a III.

21. (Uel 2009) Observe a charge a seguir.

De acordo com a charge: 

a) Populações menos desenvolvidas intelectual e culturalmente são mais felizes quando dominadas por aqueles com maior poderio militar. 

b) Indivíduos de países socialmente atrasados temem a ingerência estrangeira em seus territórios por não compreenderem o seu caráter civilizador e humanitário. 

c) Os novos mecanismos de dominação de um país sobre o outro combinam violência com consentimento, pelo uso, também, de diversos instrumentos ideológicos. 

d) As intervenções militares representam o melhor caminho para a garantia da liberdade de pensamento e o princípio de autodeterminação dos povos. 

e) É inviável, no mundo moderno, a implantação de regimes democráticos sem o uso da força bruta, praticada, em geral, com moderação, por parte da nação que se apossa de determinado território.

22. (Uel 2011) Neste trabalho de Aguillar, em meio a rostos sem face, temos todo um time que se identifica, tão somente, pela camisa da seleção. Não sabemos, entretanto, quem “veste a camisa” brasileira naquele momento da realidade do País.

(Adaptado de: <http://www.universia.com.br/cultura+/materia.jsp?materia=11244>. Acesso em 18 maio 2010.)

 


Antes mesmo do início das obras de reforma ou construção de novos estádios para a Copa de 2014, já ganhou evidência na mídia o questionamento ético acerca da correta destinação dos recursos públicos e privados para esse fim.

Sobre a relação entre ética e corrupção, considere as afirmativas a seguir.

I. O compromisso ético transcende a esfera estatal e atinge também as empresas privadas envolvidas em licitações públicas.

II. As empresas privadas que atuam de acordo com a legalidade no mercado, em busca do lucro, estão isentas de compromisso ético.

III. A lógica da corrupção está assentada na sobreposição dos interesses privados aos interesses públicos.

IV. Política, economia e ética são esferas com atuação diferenciada e que estabelecem correlações entre si.


Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.

23. (Uel 2009) De acordo com alguns analistas políticos, o populismo ressurgiu na América Latina, nos anos 2000, com as eleições de Hugo Chaves, na Venezuela, e Evo Morales, na Bolívia. O mesmo tipo de argumento foi utilizado por ocasião da realização do segundo turno das eleições para Prefeito em Londrina. Segundo o jornalista: “Londrina reelege [um prefeito] pela quarta vez, após uma depuração surpreendente na Câmara Municipal em aberta simetria com a pressão da sociedade, o que apresenta um contraponto, mas não é. Populistas viscerais têm uma resistência surpreendente”.

(Folha de Londrina, 28 out. 2008, p. 4.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema populismo, assinale a alternativa correta. 

a) O discurso populista se apoia, efetivamente, em uma elaboração teórica orgânica e sistemática, direcionado às elites locais, que formam sua base de existência. 

b) É fundamental para a prática populista clássica resgatar a compreensão, no eleitor, de que a sociedade está dividida em classes sociais e, portanto, o conflito entre elas inevitável. 

c) O populismo é a forma mais avançada de realização da política partidária, uma vez que mobiliza as massas, infundindo-lhes clareza de consciência sobre o que é o fundo público. 

d) Diferentemente das práticas nazistas e fascistas, o populismo encontra no povo um elemento real para a efetivação do combate contra os interesses defendidos pelas elites locais. 

e) Dois princípios fundamentais das práticas populistas são a ideia de supremacia da vontade do povo e a existência de uma relação direta entre este e o líder. 

24. (Fgvrj 2013) A fria letra da lei tem sentido para o mundo racional das instituições do Estado, mas não necessariamente para o cidadão que seria por ela beneficiado. A começar pelo fato de que o Estado brasileiro, por várias razões, não é um Estado onipresente. O fiscal ocasional das relações de trabalho será substituído na sequência da fiscalização pelo arbítrio do fazendeiro e até pela força de seus pistoleiros e jagunços. Na crua realidade cotidiana de trabalhadores que vivem no limiar da civilização, a vida é organizada segundo os preceitos do poder pessoal e da violência costumeira. Há alguns anos, houve o caso de um desses trabalhadores, no Mato Grosso, que, fugindo da fazenda de seu cativeiro, teve que caminhar 400 km por dentro da mata até achar uma pequena cidade onde, no fim das contas, não havia nenhum representante da Justiça do Trabalho. Acabou empurrado de um lado para outro na busca do abrigo da lei que, afinal, não encontrou.

José de Sousa Martins, O direito ao não direito. Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,direito-ao-nao-direito,911448,0.htm

Assinale a alternativa que interpreta corretamente os argumentos do texto. 

a) As iniciativas governamentais de combate ao trabalho em condições degradantes são destinadas ao fracasso, já que o Estado não é capaz de fiscalizar as relações de trabalho. 

b) Não basta apenas promulgar leis que ampliem os direitos dos trabalhadores; é preciso que o Estado garanta as condições para que essas leis sejam cumpridas. 

c) A recusa dos direitos sociais inscritos na lei é comum em sociedades arcaicas, nas quais o povo não é afetado pelas condições degradantes de trabalho. 

d) No Brasil contemporâneo, as instituições do Estado se impõem sobre as relações tradicionais baseadas no poder pessoal. 

e) Em sociedades modernas, tais como a brasileira, o Estado não deve intervir para assegurar o cumprimento dos direitos sociais da população.

25. (Unimontes 2012) 



“Ame-o ou deixe-o. Nós amamos”.
Anúncio da petroleira Texaco em comemoração ao Dia da Pátria de 1970, com o lema do governo militar.
Disponível em: http://blogs.estadao. com.br/reclames-do-estadao/2010/09/07/ ame-o-ou-deixe-o/> Acesso em: agosto de 2011.

No início dos anos 70, no Brasil, quando estava havendo uma intensa repressão a movimentos sociais, partidos e grupos políticos, armados ou não, o governo Médici, utilizando-se da campanha vitoriosa do tricampeonato de futebol e de uma política econômica momentaneamente favorável, conseguiu, durante algum tempo, manter a imagem de que o país era uma maravilha, que a maioria da população pensava a mesma coisa (“noventa milhões em ação”), incutindo a ideia de que aqueles que não estivessem contentes deveriam ir embora do país.

(“Brasil – ame-o ou deixe-o”). (TOMAZI, Nelson D. Sociologia da Educação. São Paulo: Cortez, 1997. Adaptado.)

Considerando o texto e seus conhecimentos sobre as relações Estado, sociedade e democracia no Brasil, julgue as afirmativas a seguir:

I. Por meio de uma intensa propaganda ideológica, foi possível, por algum tempo, manter os brasileiros em geral convencidos de que viviam num país excepcional e que grande parte da população vivia bem.

II. Nas escolas, foram introduzidas disciplinas cujos conteúdos procuraram inculcar determinados conteúdos, valores e normas que visavam disciplinar e despolitizar o estudante, impossibilitando-o de ter uma visão crítica da realidade em que vivia.

III. A classe política dirigente nessa época propunha, no discurso e nas ideias, um empenho de toda a sociedade em direção à modernização do país, ao mesmo tempo em que se esforçava para a despolitização e desmobilização da sociedade.

IV. O lema da ditadura militar, "Brasil: ame-o ou deixe-o", propunha que qualquer um que criticasse o governo militar deveria sair ou ser retirado do país. Esse slogan ajudou a justificar prisões ilegais, torturas e extradições.

Estão corretas as afirmativas 

a) I, II e III, apenas.
b) I, III e IV, apenas.
c) II, III e IV, apenas.
d) I, II, III e IV.

  


Próximo
Este é o post mais recente.
Anterior
Postagem mais antiga
Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

5 comentários: