SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Instagram siga no Instagram

1. c) V – F – F – V.   

2. d) Em relação aos tratados firmados entre Portugal e Inglaterra, destaca-se o que estabeleceu as taxas vantajosas para mercadorias importadas da Inglaterra em relação aos produtos oriundos de outros países. Esse ato de D. João, dentre outros, representou um dos fatores que favoreceria, num futuro próximo, o processo de independência do Brasil.   

3. d) As cortes portuguesas desejavam recolonizar o Brasil, anulando as medidas político-administrativas tomadas por D. João VI.   

4. d) visava aparelhar a colônia como o centro do Império, viabilizando as políticas econômicas contrárias aos estatutos coloniais.   

5. d) pelo rompimento em relação ao império português e pela preservação da escravidão.   

6. c) A transferência da Corte para o Rio de Janeiro levou à criação de um conjunto importante de instituições, tais como a Intendência Geral da Polícia e o primeiro banco a funcionar em terras brasileiras, o Banco do Brasil.   

7. a) Abertura dos portos às nações amigas incentivou o comércio de produtos ingleses na cidade.   

8. b) grupos regionais acerca da configuração político-territorial.   

9. a) o caráter elitista dos movimentos emancipatórios.    

10. a) Os dois textos, ainda que relativos a momentos históricos distintos, denotam a persistência de uma busca por referenciais europeus e brancos em nossa formação cultural.    

11. b) a grande seca de 1816.    

12. d) às implicações que os movimentos de independência na América espanhola traziam para a dominação portuguesa no Brasil.    

13. c) a ligação das atividades econômicas coloniais com uma economia industrial.    

14. b) A Independência brasileira foi um processo liderado, em grande parte, pelos setores sociais que mais se beneficiavam com a ruptura dos laços coloniais: os grandes proprietários de terra e os grandes comerciantes, pois a separação tinha como objetivo preservar a liberdade de comércio e a autonomia administrativa. A maioria da população permaneceu na situação anterior à proclamação da Independência.    

15. c) participação de grande número de escravizados e negros livres na guerra de independência do Brasil, que poderia evoluir para uma luta contra o regime de escravidão.   

16. c) o surgimento de ruas e o alargamento de algumas já existentes e a criação de instituições por D. João VI a partir de 1808, como o Jardim Botânico e a Biblioteca Real. 

17. e) Formar recursos humanos para atender às necessidades da Corte. 

18. c) por um considerável ideal aristocratizante de uma parcela da elite colonial brasileira, que almejava um afastamento relativo do mundo do trabalho, e pela busca de maiores garantias para o patrimônio constituído por meio do comércio. 

19. b) enfraquecido o pacto de dominação metropolitana. 

20. d) A abertura dos portos, em 1808, e os tratados comerciais assinados em 1810 resultaram, na prática, no fim do exclusivo colonial português, em benefício dos interesses econômicos ingleses. 

21. a) o estilo neoclássico trazido pelos artistas franceses traduzia o modelo ideal de civilização, de acordo com os padrões da classe dominante europeia, sendo essa a imagem que o governo português desejava transmitir, nesse momento, do Brasil. 

22. b) Disputa entre Inglaterra e França pela hegemonia europeia. 

23. c) ridicularizar o ato do embarque, agregando à interpretação desse acontecimento os elementos de tragédia, comicidade e ironia. 

24. b) um sensível crescimento da leitura e da escrita, com a criação da Imprensa Régia, os jornais, a biblioteca e o ensino, o que abriu espaço à formação e difusão de novas ideias. 

25. c) execução de um velho projeto de mudança do centro político do Império português, invocado em épocas de crise. 

26. a) Foi possível ao governo metropolitano controlar o processo de independência do Brasil, que acabou ocorrendo de maneira lenta e gradual, diferentemente das demais colônias do continente sul-americano. 

27. c) da abertura dos portos do Brasil às nações amigas, decretada por D. João em 1808, após a chegada da família real portuguesa à América. 

28. c) A Corte portuguesa no Brasil foi capaz de manter a unidade territorial da colônia, submetendo-a ao regime monárquico. 

29. b) As motivações da vinda da Família Real para o Brasil estão relacionadas mais à realidade europeia do período do que à ideia de desenvolvimento de um Brasil monárquico e posteriormente independente de Portugal. 

30. c) principal porto brasileiro relacionado à importação legal de manufaturas britânicas.





Axact

Recomendamos

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

1 comentários: