1. (Uem 2017) Ao longo da história, a sociedade humana adotou diversos princípios sobre a legitimidade do poder. Sobre esses princípios, é correto afirmar que:
01) Na Grécia Antiga de Péricles (século V a.C.), os cidadãos livres, ricos e pobres participavam da Assembleia. A Assembleia era uma forma de democracia direta, já que os cidadãos podiam participar, eles mesmos, das decisões de interesse comum.   
02) Nos governos teocráticos, o poder legítimo se origina da vontade do Papa.   
04) Nas monarquias hereditárias, o poder emana da vontade dos súditos.   
08) Nos governos aristocráticos, apenas os melhores exercem função de comando, sendo que esses melhores variam conforme o tipo de aristocracia, tais como os mais ricos, os mais fortes, os de linhagem nobre ou até os da elite do saber.   
16) Nos governos democráticos, o poder legítimo nasce da vontade do povo.   
  
2. (Uem 2015) “[...] o totalitarismo difere essencialmente de outras formas de opressão política que conhecemos, como o despotismo, a tirania e a ditadura. Sempre que galgou o poder, o totalitarismo criou instituições políticas inteiramente novas e destruiu todas as tradições sociais, legais e políticas do país. Independentemente da tradição especificamente nacional ou da fonte espiritual particular de sua ideologia, o governo totalitário sempre transformou as classes em massas, substituiu o sistema partidário não por ditaduras unipartidárias, mas por um movimento de massa, transferiu o centro do poder do exército para a polícia e estabeleceu uma política exterior que visava abertamente o domínio mundial.”
 (ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Cia. Das Letras, 1989, p. 512).
  
A partir do texto citado, assinale o que for correto.
01) Para os regimes totalitários, o controle dos indivíduos é fundamental, donde a importância da vigilância policial ostensiva sobre o povo.   
02) Uma característica do regime político totalitário é a supressão dos partidos políticos como instituições de mediação política entre o governo e o povo.   
04) As ditaduras e outros tipos de governos autoritários não se configuram, necessariamente, como exemplos de regimes totalitários.   
08) Ao instalarem seus regimes totalitários, o fascismo italiano e o nazismo alemão suprimiram, de imediato, todos os partidos políticos, constituindo regimes unipartidários.   
16) Os regimes totalitários trataram as suas populações como um todo homogêneo, como uma massa social que deve se tornar uniforme.   
  
3. (Ufg 2014) Analise as imagens a seguir.



As pinturas se relacionam a distintas concepções de poder, uma absolutista e outra republicana, expressas nas figuras 1 e 2 ao


Figura 1
Figura 2
a)

destacar a cruz no alto da coroa, reforçando a submissão do Estado ao poder religioso.
relacionar o modelo de feminilidade à laicização do Estado, projetando novos costumes.
b)

explorar os símbolos monárquicos, caracterizando uma estética barroca.
recorrer à saturação ornamental por meio dos símbolos, apoiando-se na estética neoclássica.
c)

associar a figura feminina à autoridade, instituindo a rainha como mãe do Estado-nação.
utilizar a personagem feminina como representação da liberdade, expondo a emancipação das mulheres.
d)

ostentar as joias da Coroa, expressando a ascensão econômica da aristocracia feudal.
eleger um vestuário modesto, estabelecendo correspondência entre República e simplicidade popular.
e)

fundir a figura do governante ao Estado, consagrando o poder do soberano.

personificar o regime político em uma figura anônima, afirmando os princípios da soberania popular.

4. (Uem 2017)  Nunca será demais dizer: não há nada mais fecundo em maravilhas do que a arte de ser livre; mas não há nada mais difícil do que o aprendizado da liberdade. O mesmo não se aplica ao despotismo. O despotismo se apresenta muitas vezes como o reparador de todos os males sofridos; ele é o apoio do direito do justo, o arrimo dos oprimidos e o fundador da ordem. Os povos adormecem no seio da prosperidade momentânea que ele faz nascer e, quando despertam, são miseráveis. A liberdade, ao contrário, nasce de ordinário no meio das tempestades, estabelece-se penosamente entre as discórdias civis e somente quando já está velha é que se podem conhecer seus benefícios. 
TOCQUEVILLE, A. A democracia na América, Livro I – Leis e costumes. São Paulo: Martins Fontes, 2001, p. 280.

A partir de conhecimentos sobre as relações entre Estado e sociedade e da leitura do texto acima, assinale o que for correto.
01) Liberdade e despotismo são expressões elaboradas a partir da possibilidade de questionamento do modo como o Estado é conduzido, e estão fortemente relacionadas à formação dos Estados nacionais modernos.   
02) O despotismo pode parecer um caminho adequado em direção à ordem, mas isso é um equívoco político na perspectiva liberal.   
04) A liberdade política é fácil de se alcançar, dado que é desejada por todos.   
08) A ordem política mundial contemporânea superou as formas arcaicas de despotismo e ele já não se manifesta na ordem do Estado.   
16) Governos, instituições e partidos políticos têm responsabilidade direta sobre os rumos de uma sociedade em direção à liberdade ou ao despotismo.   
  
5. (Unisc 2012) A América Latina é um continente com breve tradição democrática. Golpes militares e regimes autoritários foram comuns ao longo do século XX. A partir da década de 1980, aconteceu um processo de redemocratização, restabelecendo o direito de voto e liberdades democráticas, que se mantêm até hoje.
A seguir são apresentados resultados de pesquisas de opinião na América Latina, entre os anos de 2002 e 2011, realizadas pelo instituto Latinobarómetro, as quais indicam a preferência dos cidadãos entre democracia e governos autoritários. A coluna central apresenta os percentuais de preferência pela democracia. A coluna à direita apresenta os percentuais de eventual concordância com governos autoritários e de indiferença.

Assinale a alternativa condizente com os dados apresentados na tabela.
a) O povo está decepcionado com a democracia e perdeu a esperança na política.   
b) Os grandes problemas sociais, a corrupção e a violência levam o povo a querer a volta dos militares ao poder.   
c) A cada ano que passa, aumenta a preferência pela democracia.   
d) Para o povo, tanto faz democracia ou governo autoritário.   
e) A opção da maior parte dos cidadãos vem sendo em favor da democracia, mas muitos concordam com o retomo dos militares ao poder ou são indiferentes.   
  
6. (Uem 2017) “Participar de eleições é somente uma das formas de atuar politicamente, embora seja uma parte importante da atividade política. Por meio das eleições escolhemos aqueles que nos representam, tomam decisões e agem por nós em determinadas esferas do poder, sendo remunerados para exercer essa função: isso é o que define uma democracia representativa”.
ARAÚJO, S. M.; BRIDI, M. A.; MOTIM, B. L. Sociologia. São Paulo: Scipione, 2013, p. 182.

Considerando o sistema eleitoral brasileiro e a nossa democracia representativa, assinale o que for correto.
01) As eleições para os cargos executivos de presidente, de governador(a) e de prefeito(a) e para o Senado obedecem ao modelo de representação majoritária, isto é, os(as) candidatos(as) com a maioria absoluta dos votos são eleitos(as) para exercer os cargos políticos aos quais se candidataram.    
02) Para os cargos de vereadores(as), de deputados(as) estaduais, de deputados(as) federais, nem sempre os(as) candidatos(as) mais votados(as) são aqueles(as) que se elegem. Isso acontece porque a eleição para tais cargos segue o modelo de representação proporcional de lista aberta.    
04) Conforme estabelecido na legislação eleitoral brasileira, os votos brancos e nulos integram os chamados “votos válidos” em uma eleição. Portanto a maioria de votos brancos e nulos em um pleito anula todo o processo eleitoral.    
08) Quando há baixo comparecimento dos(as) eleitores(as) às urnas, existe a possibilidade de não haver candidato(a) eleito(a) ou de o partido não atingir o número mínimo de votos para se eleger, ficando cadeiras vagas no legislativo. Quando isso acontece, são convocadas novas eleições.    
16) Nas repúblicas federativas presidencialistas, como a brasileira, diferentes atribuições são delegadas aos diferentes representantes políticos. Por exemplo, cabe aos membros do poder legislativo: vereadores(as), deputados(as), senadores(as), formular leis e definir o orçamento anual dos municípios, dos estados e da federação, respectivamente; cabe ao poder executivo: prefeitos(as), governadores(as) e presidente executar aquilo que as leis determinam.    
  
7. (Uem 2012) Sobre o Estado de Bem-Estar Social, implementado em diferentes nações capitalistas no século XX, assinale o que for correto.
01) Fundamentava-se em uma doutrina econômica que pregava a livre regulação dos mercados e, consequentemente, a não intervenção estatal nos assuntos relacionados à produção material.   
02) Surge como estratégia de reversão da crise econômica das primeiras décadas do século XX, por meio de políticas anticíclicas.   
04) As políticas de pleno emprego, inspiradas no modelo econômico proposto por John Maynard Keynes, foram estratégias comuns a todos os países que implementaram versões do Estado de Bem-Estar.   
08) Os altos investimentos públicos, necessários para a efetivação das políticas anticíclicas, foram obtidos por meio da criação de impostos ou elevação de alíquotas já existentes.   
16) O desenvolvimento do Estado de Bem-Estar Social gerou, nos países de industrialização avançada, um acirramento da concentração de renda nas mãos de uma minoria privilegiada.   
  
8. (Uem 2017) “‘Injustice – God among us’, game lançado no mês passado (...), tem uma ótima história (...). Em um universo paralelo, o Super-Homem surta depois que o Coringa o engana e faz com que o herói mate sua mulher, Lois Lane, e seu filho, acreditando que atacava o vilão Apocalypse. Ensandecido, assassina o Coringa. E vira um ditador. Os demais heróis são forçados a se juntar a ele. Os que se recusam, são eliminados.” 
MAGGI, S. “Injustice – God among us” perdeu a chance de ser um grande jogo. Disponível em http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/injusticegod-among-us-perdeu-chance-deser-um-grande-jogo-8476807. Acesso em 25/04/2017.

O jogo “Injustice – God among us”, conforme descrito acima, coloca o herói Super-Homem como um grande ditador. O jogo, para além da diversão, pode ajudar a pensar sobre as formas de governo e os sistemas políticos.

Com base no trecho acima e em conhecimentos sobre os temas “poder” e “política”, assinale o que for correto.
01) Ao longo dos séculos, o Estado assumiu diversas formas de organização política, muitas delas autoritárias – sendo os casos mais extremos definidos como totalitários. Por ser governado por alguém tão poderoso quanto o Super-Homem, que elimina seus adversários, o jogo descrito acima exemplifica um mundo configurado por um poder totalitário.   
02) Historicamente, os regimes políticos autoritários e totalitários enfrentaram, e enfrentam, processos de luta e de resistência por parte de grupos organizados na sociedade civil. No jogo, essa resistência é encarnada pelos outros heróis que enfrentam o Super-Homem.    
04) Os regimes autoritários e totalitários, em geral, reforçam o domínio da esfera pública na política, garantindo pleno respeito, ordem e segurança a todos os seus cidadãos.    
08) O autoritarismo e o totalitarismo podem se manifestar e se estabelecer sob uma forma política republicana.   
16) Historicamente, os governos totalitários se estabeleceram em momentos de grave crise social, como aconteceu mundialmente na década de 1930. No jogo, ao contrário, a crise que desencadeia a ditadura estabelecida pelo Super-Homem é gerada a partir de sua crise pessoal, de seu desequilíbrio.   
  
9. (Uncisal 2012) Assinale nas opções a seguir aquela que faz parte do ideário neoliberal.


a) Aumento da proteção social a população economicamente ativa.   
b) Fortalecimento dos sindicatos.   
c) Garantia de pleno emprego.   
d) Papel interventor do Estado.   
e) Flexibilização das relações trabalhistas.   
  
10. (Ifsp 2011)  Os debates atuais sobre a legitimidade do poder político ocupam lugar de destaque na agenda internacional contemporânea. Alguns críticos da democracia liberal burguesa afirmam que esta modalidade de governo está em crise e precisa, urgentemente, incorporar novos mecanismos para dotar o poder de maior representatividade.

Nesse sentido, novas experiências têm sido sugeridas, dentre as quais é correto apontar
a) a república presidencialista.   
b) a república parlamentarista.   
c) a democracia deliberativa.   
d) a democracia representativa.   
e) a monarquia parlamentarista.   
Axact

Portal do Vestibulando

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: