1. O arsênio e seus compostos figuram entre os venenos mais antigos, potentes e persistentes. [...] Quantidades mínimas de arsênio acumuladas lentamente podem intoxicar plantas, animais e seres humanos. Os danos causados não são instantâneos nem evidentes: eles ocorrem aos poucos e se traduzem em uma série de doenças crônicas e debilidades. Novas descobertas científicas sobre o acúmulo desses elementos nos ossos e sua liberação estão ajudando a compreender os mecanismos e o alcance da intoxicação crônica por arsênio, e a revelar o risco real de atividades como a mineração de ouro em rocha dura.

DANI, Sergio Ulhoa. A mineração dos ossos. Ciência Hoje, Rio de Janeiro, n. 321, p. 22-27, dez. 2014.
Disponível em: <http://cienciahoje.org.br>. Acesso em: 29 abr. 2015.


O arsênio liberado em atividades humanas denomina-se antropogênico; as quantidades anormalmente altas de arsênio na água, em alimentos e em material disperso na atmosfera como poeira e gás quase sempre indicam contaminação antropogênica. Esse elemento químico tem como principal compartimento de acúmulo o esqueleto, tanto de bovinos quanto de humanos. Por esse aspecto, é possível dizer que o arsênio tem semelhança bioquímica com o 
a) cálcio.
b) enxofre.
c) iodo.
d) magnésio.
e) sódio.

2. Duas espécies identificadas por biólogos brasileiros entraram no Top 10 New Species, lista anual com os 10 animais mais interessantes ou belos do mundo elaborada pela Universidade do Estado do Arizona, Estados Unidos. A primeira do Brasil a entrar na lista (a número 10) é a aranha-caranguejeira-azul, Pterinopelma sazimai. [...] A número 2 é a água-viva Tamoya ohboya, coletada no Caribe.

AS MISSES da natureza. Pesquisa FAPESP, São Paulo, n. 196, jun. 2012.
Disponível em: <http://revistapesquisa.fapesp.br>. Acesso em: 17 jun. 2015. (adaptado)


Reprodução
A Pterinopelma sazimai apresenta como característica
a) a presença de um grande télson ou aguilhão.
b) a divisão do corpo em cefalotórax e abdômen.
c) a respiração por meio de brânquias desenvolvidas.
d) antenas proeminentes, já que ela é um aracnídeo.
e) a presença de endoesqueleto formado de carbonato de cálcio.

3. Um dos aspectos fundamentais para a manutenção da saúde humana e, consequentemente, da disposição de ânimo é a ingestão regular e equilibrada de alimentos adequados às necessidades metabólicas. Por meio dos nutrientes, as células sintetizam os mais diversos compostos necessários ao organismo humano, como os hormônios, as proteínas estruturais e enzimáticas, os ácidos nucleicos, os neurotransmissores etc. Nesse aspecto, vários tipos de peixes são fontes de ômega-3, cuja falta está relacionada às doenças cardíacas, a alguns tipos de câncer e a alterações no humor. Para se obter benefícios orgânicos e psicológicos, é necessário consumir de 1 a 2 g de ômega-3 por dia.


     A tabela a seguir revela a composição química de alguns tipos de peixes.

Com base na tabela e em seus conhecimentos sobre qualidade de vida e a importância de uma nutrição adequada, é correto afirmar que
a) consumir peixes previne e controla a obesidade, pois seu teor de lipídios é baixo e, também, é uma boa opção de proteínas.
b) vários tipos de pescado são fontes de ômega-3, que aumenta as taxas de colesterol que tende a se acumular nas artérias e contribuir para a aterosclerose.
c) o bacalhau prensado e salgado é a melhor opção para auxiliar na formação de ossos e dentes, no mecanismo de contração e relaxamento muscular e na coagulação sanguínea.
d) o salmão cru tem de 3 a 4 vezes mais lipídios do que o bacalhau prensado e salgado.
e) o peixe que mais auxilia na formação da hemoglobina é o atum cru e o que mais participa na formação do ATP e dos ácidos nucleicos é a tainha.

4. Anemia é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal como resultado da carência de um ou mais nutrientes essenciais, seja qual for a causa dessa deficiência. As anemias podem ser causadas por deficiência de vários nutrientes como ferro, zinco, vitamina B12 e proteínas. [...]
ANEMIA. Biblioteca Virtual em Saúde. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br>. Acesso em: 29 jan. 2015. (adaptado)

Sobre os diversos tipos de anemia, pode-se dizer que, quando ela é 
a) ferropriva, pode ser amenizada com a ingestão de alimentos com alta taxa de ferro. 
b) perniciosa, sua causa é a deficiência de vitamina B1 no organismo. 
c) megaloblástica, é resultado da inibição da síntese de DNA na produção de glóbulos brancos.
d) falciforme, é causada pela carência de vitamina C, gerando a má-formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices.
e) talassêmica, é hereditária autossômica dominante e resulta na redução da taxa de síntese de uma das cadeias de globina que formam a hemoglobina.


5. Um gene de girassol inserido no genoma do trigo tornou essa planta mais resistente à escassez de água e aos solos salinos. Pesquisadores começaram a estudar o girassol há 20 anos e identificaram o gene HAHB4 como responsável pela capacidade dessa oleaginosa de tolerar a seca, a salinidade e resistir a insetos herbívoros. Além de consumir menos água nos períodos de estiagem, os cultivos resistentes à seca podem tolerar melhor as mudanças climáticas, que podem reduzir as chuvas em algumas regiões.
Disponível em: <http://revistapesquisa.fapesp.br>. Acesso em: 5 de maio 2015. (adaptado)

De acordo com o texto, a nova variedade de trigo poderá ser considerada
a) transgênica, pois recebeu informações genéticas do girassol.
b) geneticamente modificada, devido à utilização de células-tronco.
c) uma mutação, já que a seleção aconteceu de maneira aleatória.
d) tetraploidia, devido à alteração da quantidade de cromossomos.


6. A sistemática é a ciência dedicada a inventariar e descrever a biodiversidade e compreender as relações filogenéticas entre os organismos. Em geral, ela envolve a classificação dos diversos organismos vivos. O primeiro sistema de classificação foi criado por Aristóteles no século IV a.C., que ordenou os animais pelo tipo de reprodução e pela cor do sangue. Teofrasto, por sua vez, classificou as plantas por seu uso e forma de cultivo. Nos séculos XVII e XVIII, os botânicos e zoólogos começaram a delinear o atual sistema de categorias, ainda baseados em características anatômicas superficiais. Como a ancestralidade comum pode ser a causa de tais semelhanças, este sistema demonstrou aproximar-se da natureza e continua sendo a base da classificação atual. Carlos Lineu fez o primeiro trabalho extenso de categorização em 1758, criando a hierarquia atual, como também a regra de nomenclatura binomial. Nessa regra, entre outras recomendações, fica estabelecido que se deve escrever
a) em qualquer sequência, gênero e filo.
b) em primeiro lugar o gênero, depois o epíteto específico.
c) em primeiro lugar o gênero, depois a família.
d) em primeiro lugar o epíteto específico, depois o gênero.
e) em primeiro lugar o epíteto específico, depois o filo.


7. Um experimento realizado nos laboratórios nacionais de Luz Síncrotron (LNLS) e de Biociências (LNBio), em Campinas, fracionou de forma seletiva nanopartículas de prata para a obtenção de melhor resposta na eliminação de bactérias. “Mostramos que nanopartículas com tamanho de 17 nanômetros apresentam os melhores resultados em experimentos in vitro contra quatro tipos de bactérias (Escherichia coli, Staphylococcus aureus, S. epidermidis e Micrococcus lysodeikticus)”, diz Mateus Borba Cardoso, pesquisador do LNLS. “O tamanho da nanopartícula faz uma diferença brutal.” O uso dessas partículas é uma solução já incorporada, por exemplo, em linhas de instrumentos cirúrgicos no Brasil e no exterior. O desenvolvimento da técnica de fracionamento poderá também possibilitar o uso de nanopartículas em antibióticos.
PEQUENAS doses. Pesquisa FAPESP, São Paulo, n. 188, p. 64, out. 2011.
Disponível em: <http://revistapesquisa.fapesp.br>. Acesso em: 11 fev. 2015.

A utilização de nanopartículas pode promover um avanço não só na produção de fármacos contra agentes bacterianos, mas também abre espaço para novas pesquisas no combate a outras doenças. Portanto, de acordo com o texto e os seus conhecimentos, é coerente afirmar que
a) a utilização de nanopartículas pode favorecer a produção de medicamentos no combate a várias bacterioses, como endocardite, bacteremia, foliculite, infecções hospitalares, síndrome do choque tóxico etc.
b) os antibióticos tradicionais promovem a mortalidade de agentes virais, atuando diretamente no metabolismo do agente infeccioso, causando sua morte de maneira praticamente imediata.
c) as nanopartículas são moléculas consideradas extremamente pequenas, mas apesar de seu porte reduzido, como os 17 nanômetros citados no texto, podem ser visualizadas sem o auxílio de microscópios.
d) é possível encontrar a cura para todas as doenças existentes, inclusive para aquelas que são hereditárias, com a utilização das nanopartículas, já que o experimento mostra a manipulação genética por meio dessas partículas.
e) o experimento mostra que as nanopartículas não foram eficientes em experimentação in vitro, já que as bactérias não foram eliminadas, mas sim tornaram-se mais resistentes.

8. A placenta é um órgão incrivelmente precioso e completo, sendo também o único órgão “usa e joga fora” que temos. Representa as raízes da criança no terreno da mãe. É feita de dois organismos diferentes e incompatíveis, mas funciona como um único órgão, em completa harmonia. Faz todas as funções de um corpo humano. Hoje a placenta está sendo usada como remédio por muitos homeopatas.

MEDICINA com a placenta. Morada da Floresta.
Disponível em: <http://www.moradadafloresta.org.br>. Acesso em: 26 mar. 2015.

A placenta é um órgão presente na maior parte dos mamíferos, através do qual ocorrem as trocas entre a mãe e o seu filho, realizando todas as funções de um corpo humano. Sobre esse órgão, é correto afirmar que
a) a placenta é responsável por permitir a troca gasosa entre o sangue materno e o sangue fetal antes da autonomia respiratória do descendente.
b) a placenta pode ser encontrada em seres como os ornitorrincos, pois são prototérios, com placenta grande desenvolvida.
c) a placenta não está presente nos metatérios, por isso estes devem permitir o desenvolvimento embrionário por completo do descendente no marsúpio.
d) a incapacidade da placenta de produzir hormônios faz com que ela estimule a hipófise a intensificar a produção de prolactina e gonadotrofina coriônica.
e) resíduos nitrogenados, por não serem permeáveis na placenta, devem ser acumulados no grande alantoide dos eutérios para evitar intoxicação do descendente.

Axact

Portal do Vestibulando

O espaço virtual do estudante!

Postar um comentário:

0 comentários: