Revoluções Inglesas do Século XVII: Puritana e Gloriosa - Questões de Vestibulares


1. (Fgv 2017) Os chamados Atos de Navegação, instituídos na Inglaterra em 1651,
a) eram recomendações teóricas que buscavam estimular o livre comércio internacional.   
b) constituíram-se como um instrumento jurídico que proibia o tráfico de escravos para a América inglesa.   
c) foram uma forma de articulação entre a Inglaterra e o poderio naval holandês frente ao poderio ibérico.   
d) estabeleceram regras para a navegação marítima visando combater as práticas de pirataria.   
e) eram um conjunto de leis que ampliavam o controle metropolitano inglês sobre as suas colônias.   
  
2. (Upe-ssa 2 2017) A morte de Carlos I, rei da Inglaterra, em 1649, conforme demonstra a imagem abaixo, teve como principal(ais) significado(s) sociopolítico(s) a(o)


a) crise e o declínio do absolutismo.   
b) implementação da República inglesa.   
c) restabelecimento das relações feudais.   
d) irrupção de movimentos liberais pró-presidencialismo.    
e) estabelecimento da guerra civil e o fim do Reino Unido.   
  
3. (Ufrgs 2015) Durante o século XVII, a Inglaterra experimentou um período de profundas e violentas transformações políticas, desde a eclosão da Guerra Civil Inglesa (1642-1651) até a Revolução Gloriosa (1688).

Entre as principais consequências desse processo, podem ser enumeradas
a) a transição do absolutismo para uma monarquia constitucional e a limitação dos poderes políticos do monarca.   
b) a abolição da propriedade privada e a adoção de um sistema de terras comunais em todo o país.   
c) a independência das treze colônias inglesas da América do Norte e a abertura dos portos ingleses aos navios estrangeiros.   
d) a derrota militar das forças reformistas e a consolidação do absolutismo monárquico nas mãos de Oliver Cromwell.   
e) a abolição do anglicanismo e a afirmação do calvinismo como religião oficial da Inglaterra.   
  
4. (Ueg 2015) Leia o texto a seguir.

Após a decapitação do rei, o Parlamento sofreu nova depuração. Um Conselho de Estado, com 41 membros, passou a exercer o Poder Executivo. Mas o controle do Estado estava de fato nas mãos de Cromwell [...] Ofereceram-lhe a coroa, mas ele a recusou: na prática já era um soberano e podia até fazer seu sucessor.
PILETTI, Nelson; ARRUDA, José Jobson de A. Toda a História. São Paulo: Ática, 2000, p. 228.

Após a morte de seu líder, em 1658, o destino da chamada “República de Cromwell” foi marcado pela
a) deposição, já no ano seguinte, de seu filho e sucessor, Richard Cromwell, permitindo o início da fase de Restauração.    
b) reformulação e fortalecimento do Parlamento inglês, num golpe militar conhecido como Revolução Gloriosa.    
c) proibição das práticas puritanas, fazendo com que muitos membros do movimento migrassem para a América.    
d) invasão de Guilherme de Orange, que implantou a Lei do Teste, obrigando a todos os funcionários públicos a se declararem católicos.    
  
5. (Espm 2015) Thomas Hobbes era admirador do método matemático e da racionalidade, e crítico da democracia. Quando em 1628, observava os conflitos entre o rei e o Par­lamento, traduziu e publicou um ataque ao grego Tucídides à democracia para mos­trar, pelo exemplo de Atenas na Guerra do Peloponeso, os efeitos danosos da demo­cracia. Hobbes se empenhava em tomar o partido de Carlos I no conflito com o Parla­mento. Em 1640, diante da guerra civil, fu­giu para a França. Em 1651 publicou sua obra ‘Leviatã’, em que apresentou sua visão do Estado.
(Flávio de Campos. A escrita da História)

O inglês Thomas Hobbes deve ser relacio­nado, respectivamente, à guerra civil (men­cionada no texto) e à visão de Estado: 
a) Primavera dos Povos – Estado liberal;    
b) Comuna de Paris – Estado socialista;    
c) Revolução Francesa – Estado liberal;    
d) Revolução Puritana – Estado absolutista;    
e) Revolução Gloriosa – Estado absolutista.   
  
6. (Ufsm 2015) No Império Romano, o sal era um dos fundamentos tradicionais da vida e da cultura. Esse hábito permaneceu entre os europeus e, apesar de ser conhecido nos vários continentes, o sal não era usual na dieta dos povos africanos ou indígenas até o contato mais sistemático com os brancos, ocorrido a partir do século XVI. Qual das situações históricas a seguir NÃO influiu no processo de difusão da cultura europeia no período?
a) Expansão marítima da Era Moderna.   
b) Tráfico de escravos da África para a América.   
c) Estabelecimento de missões e reduções pela Companhia de Jesus.   
d) Revolução Gloriosa.   
e) Fundação de fortes lusitanos na Guiné e na Costa do Marfim.   
  
7. (Fuvest 2014) As chamadas “revoluções inglesas”, transcorridas entre 1640 e 1688, tiveram como resultados imediatos 
a) a proclamação dos Direitos do Homem e do Cidadão e o fim dos monopólios comerciais.    
b) o surgimento da monarquia absoluta e as guerras contra a França napoleônica.    
c) o reconhecimento do catolicismo como religião oficial e o fortalecimento da ingerência papal nas questões locais.    
d) o fim do anglicanismo e o início das demarcações das terras comuns.    
e) o fortalecimento do Parlamento e o aumento, no governo, da influência dos grupos ligados às atividades comerciais.    
  
8. (Mackenzie 2014) A Revolução Gloriosa, na Inglaterra (1688–1689), marcou o início de uma época de grande prosperidade para o país, lançando as bases para o desenvolvimento capitalista, e permitiu que o país fosse o pioneiro na Revolução Industrial do século XVIII. Podemos estabelecer uma relação entre os dois eventos porque
a) o governo passou a impor a religião anglicana, dando fim aos conflitos religiosos e aos massacres entre católicos e protestantes, liberando mão de obra para as novas técnicas de produção.   
b) o poder real, com a retomada do absolutismo, não encontra empecilhos para dar fim ao sistema feudal e incentivar a prática capitalista para aumentar os recursos do Tesouro Nacional.   
c) o país, com o advento do Parlamentarismo, passou por transformações, como o acordo político e econômico entre a burguesia e a nobreza rural que, juntas, promoveram o desenvolvimento econômico.   
d) tanto a tolerância religiosa quanto uma maior liberdade de expressão política por parte da sociedade civil, características do despotismo esclarecido, incentivaram o desenvolvimento econômico.   
e) o desenvolvimento de uma monarquia, com características de um Estado liberal, permitiu a união de todas as classes sociais na Inglaterra, o que permitiu a modificação das relações trabalhistas no campo.   
  
9. (Fgvrj 2013) A Reforma, a despeito de sua hostilidade à magia, estimulara o espírito de profecia. A abolição dos intermediários entre o homem e a divindade, bem como a ênfase na consciência individual, deixavam Deus falar diretamente a seus eleitos. Era obrigação destes tornar conhecida a Sua mensagem. E Deus não fazia acepção de pessoas: preferia falar a John Knox do que à sua rainha, Maria Stuart da Escócia. O próprio Knox agradeceu a Deus ter-lhe dado o dom de profetizar, que assim estabelecia que ele era um homem de boa-fé.
Na Inglaterra, as décadas revolucionárias deram ampla difusão ao que praticamente constituía uma profissão nova – a do profeta, quer na qualidade de intérprete dos astros, ou dos mitos populares tradicionais, ou, ainda, da Bíblia.
HILL, Christopher, O mundo de ponta-cabeça. Ideias radicais durante a Revolução Inglesa de 1640. Trad. Renato Janine Ribeiro. São Paulo, Companhia das Letras, 1987, p. 103.

O texto se refere ao ambiente político e religioso da Inglaterra no século XVII. A esse respeito é CORRETO afirmar:
a) A insatisfação popular na Inglaterra era decorrente da perspectiva protestante de manter os sacerdotes como intermediários entre Deus e os homens.   
b) Os revolucionários basearam-se em princípios estritamente racionais e científicos, em uma nítida ruptura com as crenças e o profetismo da época.   
c) Apesar de todas as disputas religiosas dos séculos XVI e XVII, os monarcas ingleses mantiveram-se neutros, o que permitiu a preservação da monarquia.   
d) Para os revolucionários ingleses, Deus considerava apenas os parlamentares como pessoas aptas a transmitir a doutrina e indicar os caminhos da salvação.   
e) A movimentação revolucionária esteve vinculada aos conflitos religiosos decorrentes da chamada Reforma Protestante iniciada no século XVI.   
  
10. (Unesp 2012)  A Revolução Puritana (1640) e a Revolução Gloriosa (1688) transformaram a Inglaterra do século XVII. Sobre o conjunto de suas realizações, pode-se dizer que
a) determinaram o declínio da hegemonia inglesa no comércio marítimo, pois os conflitos internos provocaram forte redução da produção e exportação de manufaturados.   
b) resultaram na vitória política dos projetos populares e radicais dos cavadores e dos niveladores, que defendiam o fim da monarquia e dos privilégios dos nobres.   
c) envolveram conflitos religiosos que, juntamente com as disputas políticas e sociais, desembocaram na retomada do poder pelos católicos e em perseguições contra protestantes.  
d) geraram um Estado monárquico em que o poder real devia se submeter aos limites estabelecidos pela legislação e respeitar as decisões tomadas pelo Parlamento.   
e) precederam as revoluções sociais que, nos dois séculos seguintes, abalaram França, Portugal e as colônias na América, provocando a ascensão política do proletariado industrial.   
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizá-lo!