Movimento Agrário - Questões de Vestibulares


1. (Udesc 2015) Visualize com atenção a imagem do chargista Latuff, e analise as proposições. 
Movimento Agrário

I. A igualdade de forças entre os dois personagens da imagem está bem demarcada pela enxada na mão da mulher e a arma de fogo apontada pelo jagunço.
II. A presença da balança na mão do atirador representa de que lado a justiça pende diante dos confrontos entre latifundiários e movimentos sociais de luta pela terra.
III. A presença feminina, na charge, faz jus à histórica participação das mulheres nos movimentos sociais de ocupação pela terra.
IV. A justiça está representada com uma venda no olho, indicando sua imparcialidade diante dos problemas de disputas de terra no Brasil; ela atua sempre do lado da legalidade, nesse caso, a favor da concentração de riqueza e de propriedade nas mãos de uns poucos.
V. O chapéu representando o latifúndio simboliza os movimentos sociais que incluíram a questão da terra como pauta de luta.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.   
b) Todas as afirmativas são verdadeiras.   
c) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.   
d) Somente as afirmativas II, III e V são verdadeiras.   
e) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras.   
  
2. (Enem PPL 2014) Canto dos lavradores de Goiás 

Tem fazenda e fazenda 
Que é grande perfeitamente 
Sobe serra desce serra 
Salta muita água corrente 
Sem lavoura e sem ninguém 
O dono mora ausente. 
Lá só tem caçambeiro 
Tira onda de valente 
Isso é que é grande barreira 
Que está em nossa frente 
Tem muita gente sem terra 
Tem muita terra sem gente. 
MARTINS, J. S. Cativeiro da terra. São Paulo: Ciências Humanas, 1979. 

No canto registrado pela cultura popular, a característica do mundo rural brasileiro no século XX destacada é a
a) atuação da bancada ruralista.   
b) expansão da fronteira agrícola.   
c) valorização da agricultura familiar.   
d) manutenção da concentração fundiária.   
e) implementação da modernização conservadora.   
  
3. (Enem PPL 2016) De alcance nacional, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) representa a incorporação à vida política de parcela importante da população, tradicionalmente excluída pela força do latifúndio. Milhares de trabalhadores rurais se organizaram e pressionaram o governo em busca de terra para cultivar e de financiamento de safras. Seus métodos – a invasão de terras públicas ou não cultivadas – tangenciam a ilegalidade, mas, tendo em vista a opressão secular de que foram vítimas e a extrema lentidão dos governos em resolver o problema agrário, podem ser considerados legítimos. 
CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006 (adaptado).
  
Argumenta-se que as reivindicações apresentadas por movimentos sociais, como o descrito no texto, têm como objetivo contribuir para o processo de
a) inovação instituição.   
b) organização partidária.   
c) renovação parlamentar.   
d) estatização da propriedade.   
e) democratização do sistema.   
  
4. (Ufu 2015) O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST, completou 31 anos de existência e foi responsável, dentre outras coisas, por manter na agenda nacional a questão da concentração fundiária, da reforma agrária e da justiça social. Durante sua trajetória pode-se perceber momentos de maior e menor mobilização, tratando de bandeiras históricas e que têm relação direta com o cotidiano da sociedade e dos históricos estrangulamentos que impedem nosso desenvolvimento.

Acerca da história do MST, é correto afirmar que:
a) Recentemente, vários motivos têm colaborado para a diminuição das ocupações de terra, entre eles a política de aumento do salário mínimo, as facilidades de crédito e as políticas de combate à fome e à miséria.   
b) O MST faz dura oposição ao latifúndio improdutivo, mas poupa o agronegócio, uma vez que este alimenta o mercado nacional com uma produção diversificada e gera empregos.   
c) A luta do MST está circunscrita às questões que envolvem a terra, sua distribuição, posse e propriedade. Como os demais Novos Movimentos Sociais, o MST tem dificuldade de abordar temáticas diversas, como a democracia.   
d) O MST tem contado com o auxílio do Congresso Nacional nas questões relativas à reforma agrária, selando uma parceria histórica. Desta parceria, pode-se contabilizar boa parte do avanço na desapropriação de terras.   
  
5. (Enem 2014) Mas plantar pra dividir
Não faço mais isso, não.
Eu sou um pobre caboclo,
Ganho a vida na enxada.
O que eu colho é dividido
Com quem não planta nada.
Se assim continuar
vou deixar o meu sertão,
mesmo os olhos cheios d‘água
e com dor no coração.
Vou pró Rio carregar massas
pros pedreiros em construção.
Deus até está ajudando:
está chovendo no sertão!
Mas plantar pra dividir,
Não faço mais isso, não. 
VALE, J; AQUINO, J. B. Sina de caboclo. São Paulo: Polygram, 1994 (fragmento).

No trecho da canção, composta na década de 1960, retrata-se a insatisfação do trabalhador rural com
a) a distribuição desigual da produção.   
b) os financiamentos feitos ao produtor rural.   
c) a ausência de escolas técnicas no campo.   
d) os empecilhos advindos das secas prolongadas.   
e) a precariedade de insumos no trabalho do campo.   
  
6. (Ufpa 2013) O Pará é o estado brasileiro que apresenta o maior número de terras quilombolas reconhecidas pelo Estado. Em 1995, no município de Oriximiná, a comunidade de Boa Vista foi a pioneira no país a receber título coletivo de suas terras. Para a concretização deste direito, uma comunidade quilombola precisa comprovar que
a) dispõe de registros arqueológicos pelos quais se confirme que a comunidade vive em terras que eram, anteriormente, um quilombo de escravos negros fugidos da servidão.   
b) sua identidade étnica como remanescente de quilombo é resultado de processos de resistência em relação aos grupos sociais hegemônicos.   
c) tem origem biológica negra em toda a sua população.   
d) sempre viveu isolada de outras comunidades por longos períodos de tempo, o que possibilitou a identificação de seus membros pela cor da pele.   
e) sua população mantém vivas as tradições religiosas dos primeiros escravos africanos que habitaram o território brasileiro.   
  
7. (Enem 2012) As mulheres quebradeiras de coco-babaçu dos Estados do Maranhão, Piauí, Pará e Tocantins, na sua grande maioria, vivem numa situação de exclusão e subalternidade. O termo quebradeira de coco assume o caráter de identidade coletiva na medida em que as mulheres que sobrevivem dessa atividade e reconhecem sua posição e condição desvalorizada pela lógica da dominação, se organizam em movimentos de resistência e de luta pela conquista da terra, pela libertação dos babaçuais, pela autonomia do processo produtivo. Passam a atribuir significados ao seu trabalho e as suas experiências, tendo como principal referência sua condição preexistente de acesso e uso dos recursos naturais. 
ROCHA, M. R. T. A luta das mulheres quebradeiras de coco-babaçu, pela libertação do coco preso e pela posse da terra. In: Anais do VII Congresso Latino-Americano de Sociologia Rural, Quito, 2006 (adaptado).

A organização do movimento das quebradeiras de coco de babaçu é resultante da
a) constante violência nos babaçuais na confluência de terras maranhenses, piauienses, paraenses e tocantinenses, região com elevado índice de homicídios.   
b) falta de identidade coletiva das trabalhadoras, migrantes das cidades e com pouco vínculo histórico com as áreas rurais do interior do Tocantins, Pará, Maranhão e Piauí.   
c) escassez de água nas regiões de veredas, ambientes naturais dos babaçus, causada pela construção de açudes particulares, impedindo o amplo acesso público aos recursos hídricos.   
d) progressiva devastação das matas dos cocais, em função do avanço da sojicultura nos chapadões do Meio-Norte brasileiro.   
e) dificuldade imposta pelos fazendeiros e posseiros no acesso aos babaçuais localizados no interior de suas propriedades.   
  
8. (Uenp 2011)  Analise a letra da música.

Esta cova em que estás com palmos medida
É a conta menor que tiraste em vida
É a conta menor que tiraste em vida

É de bom tamanho nem largo nem fundo
É a parte que te cabe deste latifúndio
É a parte que te cabe deste latifúndio

Não é cova grande, é cova medida
É a terra que querias ver dividida
É a terra que querias ver dividida 
Música: Funeral de um lavrador.
Letra: Chico Buarque de Hollanda e João Cabral de Mello Neto.

Assinale a alternativa incorreta.
a) A questão agrária vem sendo sistematicamente enfrentada pelos últimos governos, o que pode ser observado pela redução da expressividade dos movimentos sociais ligados a terra.   
b) Nos primeiros 15 anos de vigência do Estatuto da Terra (1964-1979), o tema da reforma agrária, na prática, foi abandonado, enquanto a sua política agrícola foi implementada.   
c) A década de 80 registrou um grande avanço nos movimentos sociais organizados em defesa da reforma agrária e uma significativa ampliação e fortalecimento dos órgãos estaduais encarregados de tratar dos assuntos fundiários.   
d) No governo de Fernando Collor (1990-1992), o programa de assentamentos foi paralisado, cabendo registrar que, nesse período, não houve nenhuma desapropriação de terra por interesse social para fins de reforma agrária.   
e) A questão agrária permanece irresoluta, sendo que em diversas regiões do Brasil os conflitos envolvendo camponeses e latifundiários ainda são frequentes.   
  
9. (Uffs 2011) O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) nasceu da premissa de que a luta pela terra tem de ser de massa. É um dos mais inovadores fenôme­nos políticos da América Latina, à medida que busca enfrentar os problemas do campo, atacando as causas estruturais.
Comparando com outros movimentos sociais, o MST apresenta como característica própria:
a) A luta permanente pela reforma agrária acima de qualquer luta política, visto que, para o Movimento, a conquista da terra pela ocupação representa uma vitória na luta pela vida digna.   
b) A luta pela revolução socialista, pois, para o MST, a ocupação é a forma de enfrentamento ao capital para criar as condições necessárias de se promover a revolução.   
c) A ocupação de terras preferencialmente pro­dutivas, pois o sustento do Movimento ocorre pela ajuda daqueles que já foram beneficia­dos pela conquista de seu pedaço de terra.   
d) A produção de alimentos saudáveis – livres de agrotóxicos – pois, para o MST, a luta pela vida digna passa por uma alimentação saudável de todos assentados.   
e) Constrói, por trás das suas lutas característi­cas, um movimento propriamente político que alcança as raízes do sistema de poder, ao agrupar populações cujo conflito incide nos alicerces de um sistema – o direito da propriedade.   
  
10. (Uel 2010) Os movimentos sociais têm como uma de suas características surgir de um princípio norteador e um problema social, que orientam o projeto coletivo dos envolvidos.

Assinale a alternativa que contém o princípio norteador comum dos movimentos brasileiros, Revolta de Porecatu no Paraná (1950-1951), Ligas Camponesas (1954-1964) e Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (1984):
a) Organizar o agronegócio, modernizando as relações capitalistas no campo através da incorporação dos trabalhadores rurais.   
b) Conservar as relações patriarcais no latifúndio, mas modernizando as relações de produção baseadas no trabalho assalariado.   
c) Articular os sindicatos de trabalhadores rurais e de proprietários de terras, formando cooperativas sem alterar a estrutura fundiária do país.   
d) Transformar a estrutura fundiária do país, fortalecendo os grandes proprietários a partir da coalizão com os médios e pequenos no sentido de ofertarem mais postos de trabalho em suas propriedades.
e) Realizar a reforma agrária alterando a secular estrutura latifundiária, distribuindo terra para famílias de trabalhadores rurais.
 Gabarito
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizá-lo!