Movimento Feminista - Questões de Vestibulares

1. (Enem) Ninguém nasce mulher; torna-se mulher. Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam o feminino.
BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

Na década de 1960, a proposição de Simone de Beauvoir contribuiu para estruturar um movimento social que teve como marca o(a)
a) ação do Poder Judiciário para criminalizar a violência sexual.   
b) pressão do Poder Legislativo para impedir a dupla jornada de trabalho.   
c) organização de protestos públicos para garantir a igualdade de gênero.   
d) oposição de grupos religiosos para impedir os casamentos homoafetivos.   
e) estabelecimento de políticas governamentais para promover ações afirmativas.   
  
2. (Ufu) A sociedade contemporânea abriga inúmeros e diversificados movimentos sociais, dentre eles, os movimentos feministas que visam à transformação da situação feminina e das relações entre mulheres e homens na sociedade, em diversos aspectos.
A despeito de suas diversas configurações – liberal, socialista, radical, pós-moderna etc., são bandeiras comuns às diversas agendas feministas  
a) a luta contra a discriminação sexual no trabalho, o combate à violência de gênero e a elaboração de uma grande teoria capaz de aglutinar as mulheres e unificá-las no bojo da categoria universal “mulher”.    
b) a luta contra as desigualdades assentadas sobre as diferenças sexuais dos sujeitos sociais; a igualdade de oportunidades para mulheres e homens; o combate à violência de gênero.    
c) o combate à violência de gênero; a luta pela preservação de guetos ocupacionais femininos e masculinos; a defesa de direitos sexuais e reprodutivos.    
d) o combate à propriedade privada como mecanismo de opressão de gênero; a defesa de direitos sexuais e reprodutivos; a luta contra a discriminação no trabalho.    
  
3. (Ucs) Apesar de todas as mudanças sociais, culturais, econômicas, políticas, dos meios de comunicação e de valores ocorridas no século XX, a discriminação da mulher é ainda um fato comum na sociedade atual.

Considere as seguintes afirmações sobre o papel da mulher na sociedade brasileira.

I. Getúlio Vargas, em 1934, promulgou uma Constituição que dava às mulheres o direito de voto e o direito de serem votadas.
II. A participação feminina na população economicamente ativa, a partir da década de 60, teve um aumento significativo, devido à necessidade de as mulheres trabalharem fora de casa para ajudar no orçamento familiar.
III. As mulheres organizaram várias ONGs feministas, na década de 80, para terem participação na vida social e política nacional, e nessa década foi criado o Conselho Nacional da Condição Feminina, ligado ao Ministério da Justiça.

Das afirmações acima,
a) apenas I está correta.   
b) apenas II está correta.   
c) apenas III está correta.   
d) apenas II e III estão corretas.   
e) I, II e III estão corretas.   
  
4. (Uel) “Em geral, o feminismo veio demonstrar que a opressão tem muitas faces, uma das quais é a opressão das mulheres por via da discriminação sexual. Ao privilegiar a opressão de classe, o marxismo secundarizou e, no fundo, ocultou a opressão sexual e, nessa medida, o seu projeto emancipatório ficou irremediavelmente truncado. [...] Se para as feministas marxistas, a primazia explicativa das classes é admissível desde que seja articulada com o poder e a política sexual, para a maioria das correntes feministas não é possível estabelecer, em geral, a primazia das classes sobre o sexo ou sobre outro fator de poder e de desigualdade e algumas feministas radicais atribuem mesmo a primazia explicativa ao poder sexual.” 
(SOUZA S., Boaventura. Pela mão de Alice, o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 1996. p. 41.)

De acordo com o texto, é correto afirmar:
a) A teoria marxista das classes, como explicação das relações de gênero, é o fundamento dos movimentos feministas.   
b) Ao priorizar a opressão de classe, o marxismo eclipsou a opressão feminina, destituindo-a de sua relevância social.   
c) As feministas marxistas defendem a primazia do poder sexual sobre a de classes.   
d) O feminismo radical, ao explicitar a discriminação sexual como forma de opressão, fortaleceu o entendimento marxista da sociedade.   
e) O projeto emancipatório das feministas teve significativo impulso após a adoção do marxismo enquanto modelo explicativo da opressão feminina.   
  
5. (Ufu) A luta das mulheres, no Brasil, por igualdade de condições com os homens no mercado de trabalho apresenta hoje os seguintes resultados:

I. crescimento da participação da mulher no mercado de trabalho.
II. predomínio da igualdade salarial entre homens e mulheres que executam as mesmas tarefas.
III. ocupação, pela mulher, de cargos de direção nas empresas em proporções iguais às do homem.
IV. qualificação profissional da mão de obra feminina em ritmo acelerado.

Selecione a alternativa correta.
a) I, II e III   
b) I e IV   
c) II, III e IV   
d) III e IV   
  
6. (Ufu) O movimento feminista propõe uma nova leitura e uma nova prática aos movimentos sociais quando

I. provoca uma nova visão e novos saberes dentro dos sindicatos.
II. denuncia as relações de poder nos próprios movimentos e torna visível a diferença homem/mulher.
III. leva as mulheres a perderem espaço dentro dos movimentos sociais.
IV. leva, na prática, a questão da identidade de gênero da mulher para o interior dos movimentos sociais.

Assinale a alternativa correta.
a) III e IV estão corretas.   
b) II, III e IV estão corretas.   
c) II e III estão corretas.
d) I, II e IV estão corretas.   

7. (Uem)  “Quando deixei a casa de meus pais, fui morar em uma república de rapazes em São Leopoldo. Lá, todos eram obrigados a dividir as tarefas domésticas. Graças a essa experiência, anos depois, já em Recife, minha companheira e eu pudemos estabelecer um novo arranjo na divisão do trabalho doméstico, arranjo esse fora dos padrões dominantes em que cabe aos homens o exercício das atividades do domínio público e às mulheres as atividades domésticas. A participação de minha companheira em alguns movimentos sociais, incluindo o movimento feminista, também teve papel decisivo na maneira como tentamos educar nossos filhos. Certamente, a experiência deles tem sido diferente da minha e das gerações anteriores. Sei que isso não significa uma superação de todos os traços culturais que sinalizam para a desigualdade de gênero, mas já avançamos muito em relação às circunstâncias vivenciadas pelos meus pais, avós e, de maneira geral, pelos homens que ainda esperam ser servidos pelas mulheres da casa.”  
(BRYM, Robert et al. Sociologia: sua bússola para um novo mundo. São Paulo: Thomson Learning, 2006, p. 281 e 282).

A partir do relato acima, escrito pelo sociólogo Remo Mutzenberg como parte de sua história de vida, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
01) Apesar de a divisão social do trabalho ter atingido altíssimos graus de especialização em nossa sociedade, a realização das tarefas domésticas continua concentrada no trabalho feminino.   
02) A discussão sobre as questões de ordem privada, como as relações conjugais e o cuidado dos filhos, não integram a pauta do movimento feminista, que tem um caráter de reivindicações concentradas na conquista de direitos políticos para as mulheres.   
04) A participação das mulheres no mercado de trabalho, no último século, é marcada por avanços e conquistas. Contudo, a persistência das desigualdades de gênero se manifesta nos menores salários pagos às mulheres, na dupla ou tripla jornada exercida por elas e na vulnerabilidade às atitudes de assédio moral e de assédio sexual.   
08) A identificação clara de atribuição de tarefas para cada um dos sexos determina que as crianças identifiquem as regras normais e naturais dessa divisão.   
16) A família patriarcal, aquela que fundamenta sua autoridade na figura masculina, é um modelo que se associa ao processo de colonização do Brasil e guarda, para além das dimensões de afinidade ou de solidariedade familiar, características econômicas e políticas.   

8. (Uem) “Poucas dentre as várias descobertas tecnológicas surgidas no século XX que contribuíram para alterar profundamente os rumos das sociedades contemporâneas foram objeto de tantas polêmicas como a pílula anticoncepcional”. 
LOYOLA, Maria Andrea. Cinquenta anos de anticoncepção hormonal: a mulher e a pílula. Revista  eletrônica ComCiência, n.° 119, junho de 2010. Disponível em: <www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=57&id=717>. Acesso em: 30 set. 2010.

Considerando o texto acima e seus conhecimentos sobre as instituições sociais e as relações estabelecidas entre os indivíduos e a sociedade, assinale o que for correto.
01) O uso da pílula anticoncepcional foi um dos fatores que mais contribuiu para a inserção das mulheres na esfera pública, na segunda metade do século XX.   
02) O surgimento da pílula anticoncepcional se deu em meio a um contexto de transformações sociais e culturais, o que intensificou o significado libertário de seu uso.   
04) Os métodos hormonais de controle de natalidade, inicialmente condenados pela Igreja Católica, não encontram, hoje, oposição entre os setores religiosos mais tradicionais.   
08) O uso da pílula anticoncepcional se relaciona com um crescente processo de organização, cálculo e racionalização da vida íntima e familiar.   
16) Com a expansão do uso da pílula anticoncepcional, outras formas de planejamento familiar e de controle de natalidade foram abandonadas pelos movimentos feministas, e o aborto deixou de ser uma reivindicação de tais movimentos junto aos poderes públicos.   

9. (UFRN) O texto abaixo analisa as relações entre o homem e a mulher no Brasil, no período da Colônia e do Império.
Muitas mulheres foram enclausuradas, desprezadas, vigiadas, espancadas, perseguidas. Em contrapartida, várias reagiram às violências que sofriam. Parte da população feminina livre esteve sob o poder dos homens, outra parte rompeu uniões indesejáveis e tornou-se senhora do próprio destino. As práticas consideradas "mágicas" foram uma das maneiras pelas quais as mulheres enfrentaram as contrariedades do cotidiano. Chegaram até mesmo a causar temor entre os homens. Acreditava-se que as "feiticeiras" tinham o poder de "cura" ou o poder sobre o amor e a fertilidade masculina e feminina através de "poções mágicas".
(Adaptado de: MOTA, Myriam Becho; BRAICK, Patrícia Ramos. História: das cavernas ao terceiro milênio. São Paulo: Moderna, 1997. p. 239.) 
A partir do texto, é possível concluir que, na sociedade brasileira colonial e imperial,
a) as mulheres ocupavam o centro decisório das famílias, mesmo que homens praticassem atos violentos contra elas, ferindo o estabelecido pela lei.
b) o modelo de família patriarcal, apesar de dominante, era subvertido por vários procedimentos adotados pelas mulheres.
c) o rompimento de uma relação matrimonial por parte da mulher era considerado um ato de feitiçaria, passível de punição pela Inquisição católica.
d) as mulheres tinham poder de decisão quanto ao número de filhos, satisfazendo, assim, o modelo feminino característico da sociedade patriarcal.
 
10. (PITÁGORAS) Leia o fragmento a seguir.
“Ao afirmar que “o pessoal é político”, o feminismo trás para o espaço da discussão política as questões até então vistas e tratadas como específicas do privado, quebrando a dicotomia público-privado base de todo o pensamento liberal sobre as especificidades da política e do poder político. O movimento ressignificou o poder político e a forma de entender a política ao colocar novos espaços no privado e no domestico. Sua força está em recolocar a forma de entender a política e o poder, de questionar o conteúdo formal que se atribuiu ao poder a as formas em que é exercido. Distingue-se dos outros movimentos de mulheres por defender os interesses de gênero das mulheres, por questionar os sistemas culturais e políticos construídos a partir dos papeis de gênero historicamente atribuídos às mulheres, pela definição da sua autonomia em relação a outros movimentos, organizações e o Estado e pelo princípio organizativo da horizontalidade, isto é, da não existência de esferas de decisões hierarquizadas."
( Alvarez,1990:23).” Ana Alice Alcântara Costa (“O movimento feminista no Brasil: dinâmicas de uma intervenção política”, publicado em 2005,Revistas Labrys).

Assinale a alternativa que EXPRESSA, através de um provérbio popular, um endosso à separação entre o espaço público e o espaço privado.
a) em terra de cegos quem tem olho é rei.
b) em casa de ferreiro, espeto é de pau.
c) em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher.
d) Escada se varre de cima pra baixo.
e) Em Roma, como os romanos.

11. (UERJ) A publicidade abaixo expressa ideias e valores dos movimentos de contestação e de crítica de costumes, ocorridos em sociedades europeias e americanas, incluindo-se o Brasil, na década de 1960.
Uma das transformações ocasionadas por esses movimentos de contestação, claramente explorada na publicidade, foi:
a) politização das questões de gênero
b) mecanização do trabalho doméstico
c) modernização da identidade feminina
d) massificação dos hábitos de consumo
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizar.