Na Grécia Antiga o Teatro já era muito importante



Nas disciplinas de História, Filosofa, Sociologia, entre outras, aprendemos que foi na Grécia, no século VI a.C., considerada o berço do pensamento ocidental, da filosofa, das Olimpíadas, da Democracia e um “tanto” de outras coisas importantes, que se desenvolveu, também, o Teatro. Pois foi lá que aconteceu, pela primeira vez, a divisão entre atores e espectadores. Assim ficou conhecida até hoje essa forma de representação.

Pois bem, o Teatro na Grécia teve um começo interessante e você vai ver o porquê. Surgiu em meio a muita festa, dança e música. Os gregos acreditavam e louvavam muitos deuses e cada um tinha uma
função; existia um deus até para o vinho, era o preferido do povo de lá. Chamavam-no de Dionísio, na Grécia Antiga, ou Baco, durante o Império Romano, sendo considerado o inventor dessa bebida. Os seus seguidores faziam festas e cultos religiosos cantando e dançando em sua homenagem. Conta a história, que foi em meio a esse misto de religiosidade e “festa”, que surgiram as primeiras encenações teatrais para o público, na Grécia. Nelas se contava a história de Dionísio e suas façanhas com o vinho. 




A função determinada do ator surgiu na Grécia, no século VI a.C., o primeiro ator de que se tem conhecimento chamava se Téspis, e possuía um talento especial para imitar os outros. Numa das festividades de Dionísio, Téspis subiu em uma carroça diante do público, colocou uma máscara, vestiu uma túnica e, representando, disse: “Eu sou Dionísio, o deus da Alegria”, o povo estranhou mas gostou da novidade.

Percebendo o interesse do povo pelo Teatro, os governantes passaram a incentivar os que possuíam certa habilidade para imitar, instituindo e organizando os primeiros concursos teatrais, que viriam a contribuir no desenvolvimento de dois gêneros teatrais muito importantes na Grécia Antiga e na atualidade: a Tragédia e a Comédia.

A Tragédia tem origem nos primeiros, e mais sérios, momentos do cerimonial religioso das festas dionisíacas da Antiga Grécia e narra, além de feitos heróicos, acontecimentos que ressaltam o poder dos deuses sobre o destino dos humanos. A Comédia viria das festividades populares, profanas e descontraídas e, em geral, faz crítica social e política aos costumes da época. Esses dois gêneros deram origem a muitos outros.


As representações teatrais na Grécia Antiga eram compostas por um coro que narrava e fazia comentários a respeito da história, que era interpretada pelos atores principais (protagonistas), que usavam túnicas e máscaras. Os principais escritores de tragédias foram Eurípedes, autor de Alceste; Ésquilo, autor de Os Persas e Sófocles, autor de Édipo Rei e Antígona, texto que você conhecerá, resumida mente a seguir. Um dos mais importantes autores de comédias foi Aristófanes, autor de As Nuvens e As Rãs.

Atividade

Leia este resumo da tragédia grega Antígona, de Sófocles, baseado na obra “As Três Tragédias Gregas”:

Personagens:
  • Antígona: filha de Édipo, sobrinha de Creonte, irmã de Polinice (morto) e Ismênia.
  • Creonte: rei.
  • Hêmon: filho de Creonte e noivo de Antígona.
  • Ismênia: irmã de Antígona.
  • Coro: sempre representa o povo, a sociedade.
  • Guarda: Mensageiro e cego vidente.
Numa madrugada, em Tebas, Antígona deixa o palácio para enterrar seu irmão Polinice, filho rebelde de Édipo, morto quando conduzia o ataque de príncipes estrangeiros contra sua cidade. Ele estava desobedecendo a ordem de seu tio Creonte.
“Antígona convida Ismênia para acompanhá-la, mas ela tem medo. Antígona enterra seu irmão e é presa pelos guardas. Creonte, apesar dos apelos do coro, condena Antígona a ser enterrada viva. Hêmon implora por Antígona, mas não consegue convencer o pai. Depois da premonição de um cego vidente, Creonte se arrepende, mas já é tarde. Hêmon ao encontrar a noiva morta, mata-se na frente do pai. A mulher de Creonte, sabendo da morte do filho, também termina com sua vida. Creonte fica sozinho, no desespero de suas culpas”.

(ALMEIDA, Guilherme; VIEIRA, Trajano. Três tragédias gregas. São Paulo: Perspectiva, 1997).
Forme grupos e discuta com seus colegas sobre as seguintes questões:

Você alguma vez desobedeceu alguma recomendação de seus pais e por isso recebeu algum tipo
de repreensão ou punição? Conte aos seus colegas como foi.

A respeito do que fez Ismênia, no texto acima, algum amigo ou amiga seu não aceitou fazer algo que você sugeriu, por considerar errado ou por medo da repreensão por parte dos pais, como, por exemplo, gazear aulas? Como você reagiu? A amizade fcou abalada ou você compreendeu a situação? Conte como foi.

Os seus pais são rígidos nas cobranças e punições de atitudes como essa? ou você se considera
responsável? Conte uma situação a respeito.

Cada grupo irá escolher um dos fatos narrados anteriormente para preparar uma pequena cena e
apresentá-la aos demais, dramatizando os fatos transformando-os em ação cênica.

Logo após as apresentações retomem as discussões, agora com toda a turma.

Obs: Muitas outras questões podem ser analisadas a partir do texto, portanto é fundamental a leitura desse e de outros textos de teatro na íntegra. 

Disponível em SEED-PR
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizar.

0 comentários:

Postar um comentário