Crise de 1929 - Questões de Vestibulares

1. (Ufrgs 2016) Leia o segmento abaixo, sobre a história da América Latina no século XX.

A Grande Depressão da década de 1930 terminou a demolição do neocolonialismo e energizou movimentos nacionalistas por toda a América Latina. Nos anos após o colapso da Bolsa de Nova York, de 1929, o volume do comércio internacional latino-americano reduziu-se à metade, em um violento espasmo. Com o avanço da década de 1930, ocorreu um importante fenômeno, um efeito colateral positivo do colapso do comércio internacional.
CHASTEEN, J. América Latina: uma história de sangue e fogo. Rio de Janeiro: Campus, 2001. p. 187.

O segmento faz referência a um importante fenômeno histórico na América Latina.
Assinale a alternativa que indica esse fenômeno. 
  • a) Industrialização por substituição de importações, modelo econômico que se tornaria predominante na região até os anos 1980. 
  • b) Dependência das exportações do setor primário, com a consequente ampliação das monoculturas nos países latino-americanos. 
  • c) Desindustrialização local decorrente do colapso do comércio internacional com os Estados Unidos, principais compradores dos manufaturados latino-americanos. 
  • d) Adoção de políticas neoliberais, como privatizações de empresas públicas e cortes de gastos sociais, no período subsequente à Grande Depressão. 
  • e) Transformação da América Latina na região mais industrializada do globo, a partir do colapso completo das indústrias europeias e norte-americanas, durante a década de 1930. 
2. (Espcex (Aman) 2015) Nos primeiros anos da década de 1930, o mundo assistiu a uma grave crise econômica que atingiu boa parte do mundo capitalista. Para combatê-la o governo dos Estados Unidos da América adotou um conjunto de medidas que ficou conhecido como New Deal. Esse programa
  • a) diminuiu a intervenção do Estado na economia. 
  • b) aumentou a intervenção do Estado na economia. 
  • c) retirou a presença do Estado da economia. 
  • d) tornou a economia americana mais liberal. 
  • e) provocou a quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, dando origem ao episódio que ficou conhecido como a “quinta-feira negra”. 
3. (Enem 2014) Ao deflagrar-se a crise mundial de 1929, a situação da economia cafeeira se apresentava como se segue. A produção, que se encontrava em altos níveis, teria que seguir crescendo, pois os produtores haviam continuado a expandir as plantações até aquele momento. Com efeito, a produção máxima seria alcançada em 1933, ou seja, no ponto mais baixo da depressão, como reflexo das grandes plantações de 1927-1928. Entretanto, era totalmente impossível obter crédito no exterior para financiar a retenção de novos estoques, pois o mercado internacional de capitais se encontrava em profunda depressão, e o crédito do governo desaparecera com a evaporação das reservas. 
FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1997 (adaptado).

Uma resposta do Estado brasileiro à conjuntura econômica mencionada foi o(a)
  • a) atração de empresas estrangeiras. 
  • b) reformulação do sistema fundiário. 
  • c) incremento da mão de obra imigrante. 
  • d) desenvolvimento de política industrial. 
  • e) financiamento de pequenos agricultores. 
4. (Ufrgs 2014) Em 1932, Franklin Delano Roosevelt foi eleito presidente dos Estados Unidos, em meio à maior crise econômica experimentada por aquele país até então.
Considere as seguintes afirmações a respeito de seu governo.
  • I. A implementação do chamado New Deal consistia em um conjunto de medidas governamentais destinadas a sanar os problemas econômicos do país, como, por exemplo, a realização de diversas obras públicas e a criação do seguro-desemprego para os trabalhadores sem ocupação.
  • II. Os Estados Unidos mantiveram-se em uma posição de neutralidade até dezembro de 1941, quando o ataque japonês a Pearl Harbour forçou-os a entrar no conflito, ao lado dos Aliados, contra as forças do Eixo.
  • III. A “Lei Seca”, que proibia a venda e o consumo de álcool em todo o território norte-americano, foi anulada pelo Congresso.
Quais estão corretas?
a) Apenas I. 
b) Apenas II. 
c) Apenas I e III. 
d) Apenas II e III. 
e) I, II e III. 

5. (CFTMG 2013) Em 18 de janeiro de 1930, a capa do jornal norte-americano The Saturday Evening Post trazia uma ilustração na qual todos os personagens observavam atentamente um cartaz com as cotações da Bolsa de Valores.
A imagem satiriza o período imediatamente anterior à quebra da Bolsa, no qual a sociedade norte-americana vivenciou um
  • a) ímpeto especulativo que afetava todas as camadas sociais. 
  • b) clima de decadência que atingia os grandes investidores. 
  • c) impulso econômico que impossibilitava o pleno emprego. 
  • d) estado de miséria que afligia as grandes parcelas da população. 
6. (Pucrs 2010) Inicialmente favorecida pelas condições internacionais do pós-Primeira Guerra, a economia dos Estados Unidos conheceu um período de forte expansão e euforia nos anos 1920. Todavia, ao final dessa década, o país seria um dos focos da crise mundial de 1929 e da Grande Depressão que a seguiu. Um dos motivos dessa violenta reversão de expectativas foi 
  • a) a falência das principais medidas estabilizadoras do New Deal. 
  • b) a política antitruste determinada pela Sociedade das Nações. 
  • c) a perda de mercados devido à descolonização afro-asiática. 
  • d) a superprodução no setor primário dos Estados Unidos. 
  • e) o crescimento da dívida norte-americana em relação às principais potências europeias. 
7. (Ufmg 2009) Considerando-se a crise econômica mundial iniciada, em 1929, com a quebra da Bolsa de Nova Iorque, é correto afirmar que: 
  • a) A Alemanha sofreu impacto imediato e violento desse evento, em razão dos laços econômicos estreitos que vinha mantendo com os Estados Unidos. 
  • b) A escassez de matérias-primas e de crédito, entre outras causas do crash norte-americano, muito contribuiu, na época, para alimentar a espiral inflacionária. 
  • c) A URSS foi um dos países atingidos por esse evento, pois a recessão no mundo capitalista prejudicou as exportações de petróleo do país. 
  • d) Os países da América do Sul sentiram os efeitos desse evento, devido à repatriação do capital estrangeiro anteriormente investido nessa região. 
8. (Enem cancelado 2009)

A depressão econômica gerada pela Crise de 1929 teve no presidente americano Franklin Roosevelt (1933 -- 1945) um de seus vencedores. New Deal foi o nome dado à série de projetos federais implantados nos Estados Unidos para recuperar o país, a partir da intensificação da prática da intervenção e do planejamento estatal da economia. Juntamente com outros programas de ajuda social, o New Deal ajudou a minimizar os efeitos da depressão a partir de 1933. Esses projetos federais geraram milhões de empregos para os necessitados, embora parte da força de trabalho norte-americana continuasse desempregada em 1940. A entrada do país na Segunda Guerra Mundial, no entanto, provocou a queda das taxas de desemprego, e fez crescer radicalmente a produção industrial. No final da guerra, o desemprego tinha sido drasticamente reduzido. 
EDSFORD, R. America’s response to the Great Depression. 
Blackwell Publishers, 2000 (tradução adaptada).
A partir do texto, conclui-se que 
  • a) o fundamento da política de recuperação do país foi a ingerência do Estado, em ampla escala, na economia. 
  • b) a crise de 1929 foi solucionada por Roosevelt, que criou medidas econômicas para diminuir a produção e o consumo. 
  • c) os programas de ajuda social implantados na administração de Roosevelt foram ineficazes no combate à crise econômica. 
  • d) o desenvolvimento da indústria bélica incentivou o intervencionismo de Roosevelt e gerou uma corrida armamentista. 
  • e) a intervenção de Roosevelt coincidiu com o início da Segunda Guerra Mundial e foi bem-sucedida, apoiando- se em suas necessidades. 
9. (Ibmecrj 2009) A crise que atingiu a Bolsa de Nova York, em 1929, serviu para demonstrar a crise do modelo liberal aplicado na economia norte-americana e para superá-la foi executado um programa que tinha como base: 
  • a) A não-intervenção do Estado, objetivando dar ao mercado condições próprias de superação do grave momento econômico. 
  • b) Uma política de investimento maciço em obras públicas, que ficou conhecido como "Aliança para o progresso". 
  • c) Um conjunto de medidas intervencionistas que ficou conhecido como "New Deal". 
  • d) A supressão de uma série de conquistas da classe trabalhadora, como o salário-mínimo, com a finalidade de facilitar a geração de empregos. 
  • e) O rompimento dos acordos anteriormente firmados com o FMI, acordos que haviam sido assinados numa época de expansão econômica e que agora ficaram inviabilizados. 
10. (Ufsm 2004) Observe a figura: 
Disponível em www.bricabrac.com.br

Quanto ao Super-Homem, criado em 1938, pode-se afirmar que cumpriu o papel de 
  • a) estimular a conciliação entre americanos e nazistas. 
  • b) restabelecer os valores que orientaram a formação dos EUA. 
  • c) difundir o ideário da participação coletiva própria do capitalismo liberal. 
  • d) produzir reflexão crítica a respeito do individualismo burguês. 
  • e) fortalecer a autoestima da sociedade abalada pela depressão econômica. 
11. (Ifsp 2011) Em seu discurso de posse, em 1933, o presidente dos EUA, Franklin Delano Roosevelt, tentou encorajar seus compatriotas: “O único medo que devemos ter é do próprio temor. Uma multidão de cidadãos desempregados enfrenta o grave problema da subsistência e um número igualmente grande recebe pequeno salário pelo seu trabalho. Somente um otimista pode negar as realidades sombrias do momento.” 

O problema que atemorizava os EUA, cujos efeitos foram desemprego e baixos salários, referido pelo presidente Roosevelt, era: 
  • a) a Primeira Guerra Mundial, em que os EUA lutaram ao lado da Tríplice Entente contra a Tríplice Aliança, obtendo a vitória após três anos de combate. Entretanto, a vitória não trouxe crescimento econômico, mas, sim, desemprego e fome. 
  • b) a Segunda Guerra Mundial, quando os norte-americanos lutaram ao lado dos Aliados contra o Eixo nazifascista. Embora vencedores, o ônus financeiro da guerra foi muito pesado. 
  • c) a Guerra do Vietnã, quando os EUA apoiaram o Vietnã do Sul contra o avanço comunista do Vietnã do Norte, tendo gasto milhões de dólares em uma guerra infrutífera. 
  • d) a depressão de 1929, causada pela existência de uma superprodução, acompanhada de um subconsumo, crise típica de um Estado Liberal. 
  • e) a primeira Guerra do Golfo, quando o Iraque invadiu o Kuwait e os EUA , na defesa de seus interesses petrolíferos, invadiram o Iraque na defesa de seu pequeno estado aliado. 
12. (Ifsp 2011) O período entre guerras (1918-1939) foi marcado: 
  • a) pela vitória das ideias liberais, pelas democracias na Europa, pela crise econômica nos EUA, devido aos grandes gastos com a Primeira Guerra Mundial. 
  • b) pela rápida recuperação da Alemanha, uma das nações perdedoras na Primeira Guerra Mundial, graças ao Plano Marshall implantado pelos Estados Unidos. 
  • c) pelo gangsterismo nos EUA devido à Lei Seca, pelo surgimento de regimes totalitários, como o Nazismo e o Fascismo, pelo crescimento da intolerância e do racismo. 
  • d) pelo grande crescimento científico ocorrido principalmente com a Primeira Guerra Mundial. O homem descobriu novos remédios, como a penicilina, e a força atômica, usada pela Alemanha na Segunda Guerra Mundial. 
  • e) pela “belle époque”, os chamados anos dourados, pela vida luxuosa da burguesia europeia, enriquecida com a Primeira Guerra Mundial. Ao mesmo tempo, a miséria devastava a Rússia, o que a levou à 1ª revolução socialista da História. 
13. (Cftmg 2010) A questão refere-se à tabela seguinte. 

Índice de preços e salários nos Estados Unidos
Analisando esses dados, conclui-se, corretamente, que a crise
  • a) fez parte da Grande Depressão atenuada pelos efeitos da implementação do New Deal. 
  • b) afetou os preços da economia americana com impacto significativo na massa salarial. 
  • c) foi de superprodução, pois os preços se elevaram, devido à grande quantidade de produtos disponíveis. 
  • d) constitui uma avaliação histórica equivocada, uma vez que no ano de 1929, a economia americana era satisfatória. 
14. (Fgvrj 2012) O período entre as duas grandes guerras mundiais, de 1918 a 1939, caracterizou-se por uma intensa polarização ideológica e política. Assinale a alternativa que apresenta somente elementos vinculados a esse período: 
  • a) New Deal; Globalização; Guerra do Vietnã. 
  • b) Guerra do Vietnã; Revolução Cubana; Muro de Berlim. 
  • c) Guerra Civil Espanhola; Nazifascismo; Quebra da Bolsa de Nova York. 
  • d) Nazifascismo; New Deal; Crise dos Mísseis. 
  • e) Doutrina Truman; República de Weimar; Revolução Sandinista.
15. (Uel 2000) Observe o gráfico a seguir. 
\

Na história dos EUA, New Deal e Pearl Harbour, indicados no gráfico, referem-se, respectivamente, aos seguintes fatos históricos: 
  • a) política intervencionista do Estado na Economia e a retirada dos EUA da 2a Grande Guerra. 
  • b) adoção, pelo Estado, de um programa de recuperação econômico-social do país e o ataque japonês à base aeronaval norte-americana. 
  • c) marco inicial do agravamento da crise econômica dos EUA e a vitória dos EUA contra o Eixo. 
  • d) política econômica que desencadeou a grande recessão de 1938 e o início do programa de criação de frentes de trabalho para portuários. 
  • e) estado de pleno emprego e bem-estar social e o agravamento da crise de desemprego em consequência da entrada dos EUA na Guerra.
16. (Enem simulado 2009)

A crise de 1929 e dos anos subsequentes teve sua origem no grande aumento da produção industrial e agrícola, nos EUA, ocorrido durante a 1ª Guerra Mundial, quando o mercado consumidor, principalmente o externo, conheceu ampliação significativa. O rápido crescimento da produção e das empresas valorizou as ações e estimulou a especulação, responsável pela "pequena crise" de 1920-21. Em outubro de 1929, a venda cresceu nas Bolsas de Valores, criando uma tendência de baixa no preço das ações, o que fez com que muitos investidores ou especuladores vendessem seus papéis. De 24 a 29 de outubro, a Bolsa de Nova York teve um prejuízo de US$ 40 bilhões. A redução da receita tributária que atingiu o Estado fez com que os empréstimos ao exterior fossem suspensos e as dívidas, cobradas; e que se criassem também altas tarifas sobre produtos importados, tornando a crise internacional. 
RECCO, C. História: a crise de 29 e a depressão do capitalismo. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u11504.shtml>. Acesso em: 26 out. 2008. (com adaptações).

Os fatos apresentados permitem inferir que 
  • a) as despesas e prejuízos decorrentes da 1ª Guerra Mundial levaram à crise de 1929, devido à falta de capital para investimentos. 
  • b) o significativo incremento da produção industrial e agrícola norte-americana durante a 1ª Guerra Mundial consistiu num dos fatores originários da crise de 1929. 
  • c) a queda dos índices nas Bolsas de Valores pode ser apontada como causa do aumento dos preços de ações nos EUA em outubro de 1929. 
  • d) a crise de 1929 eclodiu nos EUA a partir da interrupção de empréstimos ao exterior e da criação de altas tarifas sobre produtos de origem importada. 
  • e) a crise de 1929 gerou uma ampliação do mercado consumidor externo e, consequentemente, um crescimento industrial e agrícola nos EUA. 
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizar.

1 comentários: