Era Vargas (Primeiro Governo Vargas) - Questões de Vestibulares

1. (Pucrj 2015)  Analise as afirmativas abaixo acerca do processo de democratização da cena política brasileira, no final do Estado Novo (1945). 
  • I. Frente à possibilidade de vitória Aliada na Segunda Guerra Mundial, o governo brasileiro se preparou para a futura democracia com uma bem sucedida campanha de incentivo à sindicalização e divulgação da legislação social que visava à aproximação entre o presidente Getúlio Vargas e os trabalhadores brasileiros.
  • II. Entre fins de 1944 e o início de 1945, iniciaram-se as articulações para o estabelecimento de um calendário eleitoral e a criação de novos partidos políticos como a União Democrática Nacional (UDN), o Partido Social Democrático (PSD) e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), mantendo-se a ilegalidade do Partido Comunista (PCB) pelo fato de ter um programa contrário aos princípios democráticos.
  • III. Somente após o final da Segunda Guerra Mundial foi possível romper a forte censura imposta pelo governo, por meio de uma bem organizada estrutura repressiva e do controle do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), sobre o conteúdo exibido pelos órgãos de imprensa, o que impedia qualquer manifestação em favor da democracia por parte da oposição.
  • IV. Ao romper com as potências do Eixo no início de 1942 e, posteriormente, entrar efetivamente na guerra, o governo brasileiro apostava em uma nova inserção no cenário internacional e na obtenção de vantagens políticas nos acordos pós-guerra. Contudo, já se evidenciava a necessidade de contornar a contradição de se colocar como aliado do bloco democrático ocidental no conflito e manter um regime autoritário em seu território.
Assinale:
a) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.   
b) se somente as afirmativas I e IV estiverem corretas.   
c) se somente as afirmativas II, III e IV estiverem corretas.   
d) se somente as afirmativas I, II e III estiverem corretas.   
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.   
  
2. (Uerj 2015) 



Nascida em Capivari, no interior do estado de São Paulo, Tarsila do Amaral (1886- 1973) cumpriu um papel fundamental na arte brasileira. A boa posição financeira herdada da família permitiu a ela viajar para a Europa várias vezes para estudar. A influência marcou sua produção. Operários foi pintada em 1933 e exibe a força do estilo de Tarsila ao retratar a população paulistana e, ao fundo, chaminés e fábricas em formas geométricas. 
Adaptado de vejasp.abril.com.br, 21/01/2011.

A década de 1930, quando a tela Operários foi pintada, caracterizou-se pela deflagração do processo de industrialização na sociedade brasileira.
Nessa tela, por meio da representação proposta pela artista, pode-se observar o seguinte aspecto do operariado nacional na época:
a) defasagem salarial   
b) diversidade cultural   
c) associativismo sindical   
d) disparidade educacional   
 

3. (Fuvest 2012) O Estado de compromisso, expressão do reajuste nas relações internas das classes dominantes, corresponde, por outro lado, a uma nova forma do Estado, que se caracteriza pela maior centralização, o intervencionismo ampliado e não restrito apenas à área do café, o estabelecimento de uma certa racionalização no uso de algumas fontes fundamentais de riqueza pelo capitalismo internacional (...).
Boris Fausto. A revolução de 1930. Historiografia e história. São Paulo: Brasiliense, 1987, p. 109-110. 

Segundo o texto, o Estado de compromisso correspondeu, no Brasil do período posterior a 1930, 
a) à retomada do comando político pela elite cafeicultora do sudeste brasileiro. 
b) ao primeiro momento de intervenção governamental na economia brasileira. 
c) à reorientação da política econômica, com maior presença do Estado na economia. 
d) ao esforço de eliminar os problemas sociais internos gerados pelo capitalismo internacional. 
e) à ampla democratização nas relações políticas, trabalhistas e sociais. 

4. (Uftm 2012) Entre os motivos alegados por Getúlio Vargas para decretar o Estado Novo, em novembro de 1937, pode-se citar 
a) a iminência do início da 2ª Guerra Mundial e a necessidade de proteger as nossas fronteiras. 
b) as greves operárias, os saques e as depredações que tomaram conta do país no período. 
c) a descoberta de uma suposta insurreição comunista, o chamado Plano Cohen. 
d) as denúncias de fraudes no processo de escolha do seu sucessor, publicadas pela imprensa. 
e) a insatisfação da elite paulista com o regime, que ameaçava separar-se do restante do país. 

5. (Pucsp 2012) “A revolução não se fez para assumir a tutela da Nação senão para entregar à Nação o governo de si mesma. Se a Nação entender, pelo voto de seus genuínos representantes, organizar-se antes de um modo do que de outro, devemos nos inclinar diante de sua soberania. Podemos e devemos instruir o povo, convertendo-o às ideias que nos parecem mais acertadas; mas não é lícito impor-lhe o nosso pensamento e vontade. Seria o despotismo. O Partido Democrático não pode desviar-se desta linha. No frontispício de seu programa, como a doirar a cúpula dos compromissos assumidos, figura a bela tricotomia americana do governo do povo, pelo povo e para o povo
”.
 
Declaração do Partido Democrático de São Paulo, 13 de janeiro de 1932, in Déa Ribeiro Fenelon (org.). 50 textos de história do Brasil. São Paulo: Hucitec, 1986, p. 152-153. 

O documento acima pode ser compreendido como uma demonstração 
a) da insatisfação paulista com a política varguista de proteção à produção e exportação de café, que incluía um rigoroso controle de preços e tarifas aduaneiras. 
b) do projeto de implantação do socialismo no Brasil, defendido pelo Partido Democrático e por outros setores da esquerda nos primeiros anos do governo Vargas. 
c) da divisão entre antigos aliados no movimento de 1930, que, dois anos depois, entravam em conflito por causa de seus interesses políticos e econômicos distintos. 
d) do amplo apoio popular que o Partido Democrático recebeu desde sua fundação, em 1926, e que o fez opor-se tanto aos governos da Primeira República, quanto ao governo de Vargas. 
e) da defesa, pelo Partido Democrático, da proposta de separação de São Paulo do restante do Brasil, apoiada majoritariamente pelos participantes da revolução constitucionalista de 1932. 

6. (Uespi 2012) Em 1943, foi publicada a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que passou a regulamentar, no Brasil, de forma sistematizada, as relações de trabalho entre patrões e empregados. Essa publicação ocorreu durante: 
a) o período de redemocratização do país no governo de Jânio Quadros. 
b) a presidência de Juscelino Kubitscheck, constando do seu Plano de Metas. 
c) o período do chamado Estado Novo, sob a presidência de Getúlio Vargas. 
d) o período posterior à volta de Getúlio Vargas ao poder, na qualidade de presidente eleito. 
e) o governo do presidente Rodrigues Alves, durante o qual também ocorreu a denominada Revolta da Vacina. 


7. (Uerj 2013) 
A carteira profissional 

Por menos que pareça e por mais trabalho que dê ao interessado, a carteira profissional é um documento indispensável à proteção do trabalhador. 

Elemento de qualificação civil e de habilitação profissional, a carteira representa também título originário para a colocação, para a inscrição sindical e, ainda, um instrumento prático do contrato individual de trabalho. 

A carteira, pelos lançamentos que recebe, configura a história de uma vida. Quem a examina logo verá se o portador é um temperamento aquietado ou versátil; se ama a profissão escolhida ou ainda não encontrou a própria vocação; se andou de fábrica em fábrica, como uma abelha, ou permaneceu no mesmo estabelecimento, subindo a escala profissional. Pode ser um padrão de honra. Pode ser uma advertência. 
Alexandre Macondes Filho
Texto impresso nas Carteiras de Trabalho e Previdência Social. 

Alexandre Marcondes Filho foi ministro do trabalho do governo de Getúlio Vargas, entre 1941 e 1945. Seu texto, impresso nas carteiras de trabalho, reflete as políticas públicas referentes à legislação social que vinha sendo implementada naquela época. 
Duas características dessa legislação estão indicadas em: 
a) garantia da estabilidade de emprego / liberdade de associação 
b) previsão de assistência médica / intensificação do controle sindical 
c) proibição do trabalho infantil / regulamentação do direito de greve 
d) concessão de férias remuneradas / qualificação do trabalhador rural 

8. (Enem 2011) É difícil encontrar um texto sobre a Proclamação da República no Brasil que não cite a afirmação de Aristides Lobo, no Diário Popular de São Paulo, de que “o povo assistiu àquilo bestializado”. Essa versão foi relida pelos enaltecedores da Revolução de 1930, que não descuidaram da forma republicana, mas realçaram a exclusão social, o militarismo e o estrangeirismo da fórmula implantada em 1889. Isto porque o Brasil brasileiro teria nascido em 1930. 
MELLO, M. T. C. A república consentida: cultura democrática e científica no final do Império. Rio de Janeiro: FGV, 2007 (adaptado). 

O texto defende que a consolidação de uma determinada memória sobre a Proclamação da República no Brasil teve, na Revolução de 1930, um de seus momentos mais importantes. Os defensores da Revolução de 1930 procuraram construir uma visão negativa para os eventos de 1889, porque esta era uma maneira de 
a) valorizar as propostas políticas democráticas e liberais vitoriosas. 
b) resgatar simbolicamente as figuras políticas ligadas à Monarquia. 
c) criticar a política educacional adotada durante a República Velha. 
d) legitimar a ordem política inaugurada com a chegada desse grupo ao poder. 
e) destacar a ampla participação popular obtida no processo da Proclamação. 

9. (Ufpr 2011) Com relação ao Estado Novo, de 1937 a 1945, é correto afirmar: 
a) Foi um período de desenvolvimento do liberalismo democrático no país, permitindo com isso a consolidação da liderança política de Getúlio Vargas. 
b) Ampliou os conflitos oligárquicos e a pressão do capital internacional, culminando com o suicídio de Vargas. 
c) A política desenvolvimentista de abertura ao capital estrangeiro permitiu o crescimento das alianças políticas e comerciais entre Brasil e Estados Unidos. 
d) A proximidade política de Vargas com os regimes totalitários nazi-fascistas levou o Brasil a apoiar militarmente os países do Eixo na Segunda Guerra Mundial. 
e) Foi marcado pela crítica à democracia liberal e pela organização de um estado autoritário, encarregado de promover o progresso dentro da ordem. 

10. (CFTMG 2011) Em 1940, Getúlio Vargas pronunciou o seguinte discurso a bordo do encouraçado “Minas Gerais” em comemoração ao Dia da Marinha de Guerra. 
“Atravessamos nós, a humanidade inteira transpõe, um momento histórico de graves repercussões, resultante da rápida e violenta mutação de valores. Marchamos para um futuro diverso do quanto conhecíamos em matéria de organização econômica, social ou política, e sentimos que os velhos sistemas e fórmulas antiquadas entram em declínio. Não é, porem, como pretendem os pessimistas e os conservadores empedernidos, o fim da civilização, mas o inicio, tumultuoso e fecundo, de uma nova era. Os povos vigorosos, aptos à vida, necessitam seguir o rumo de suas aspirações, em vez de se deterem na contemplação do que desmorona e tomba em ruína. É preciso, portanto, compreender a nossa época e remover o entulho das ideias mortas e dos ideais estéreis... passou a época dos liberalismos imprevidentes, das democracias estéreis, dos personalismos inúteis e semeadores de desordem”. 
GV 40.06.11, Fundação Getulio Vargas. Apud CORSI, Francisco Luiz. Estado Novo: política externa e projeto nacional. São Paulo: UNESP/FAPESP, 2000. p.158. 
Pode-se avaliar que o discurso sugere o alinhamento ao(s) 
a) países defensores de uma política de neutralidade. 
b) conteúdo ideológico veiculado pelos países aliados. 
c) conteúdo ideológico veiculado pelos países do Eixo. 
d) países defensores de regimes democráticos e liberais. 

11. (IFCE 2011) O período Constitucional da Era Vargas, que se estende de 1934 a 1937, foi marcado por tempos difíceis e conturbados. Melhor identifica esse período: 
a) teve lugar um movimento de rebeldia conhecido como Revolução Constitucionalista, que exigia que se fizesse uma nova constituição para o país. 
b) foi instituída uma nova moeda para o país – o cruzado – como forma de estabilizar o país que sofria os efeitos da crise de 1929. 
c) pela primeira vez na história do país, um governante era processado por crime político (impeachment), perdendo seu mandato. 
d) tem lugar a luta entre duas forças: “nacionalistas” e “entreguistas”, ocasião em que acontece a nacionalização do petróleo – “o petróleo é nosso”. 
e) foram firmados dois movimentos antagônicos, que refletiam, aqui, o crescimento das ditaduras na Europa: a Ação Integralista Brasileira (fascista) e a Aliança Nacional Libertadora (comunista). 

12. (CFTSC 2010) Sobre a Era Vargas, podemos dizer que nesse período para sair da Crise de 1929, foi implementada uma política de substituição de importações que buscou integrar o território nacional. 
Nesse aspecto, podemos afirmar que a substituição das importações ligada à integração do território nacional teve como objetivos: 
a) fortalecer o modelo agrário exportador e oferecer preços mais baixos no mercado externo, tendo em vista a ampliação das vendas para os EUA, gerando o capital necessário aos projetos de integração do território. 
b) ampliar a produção industrial no Brasil e criar um mercado interno para consumo dessa produção, integrando boa parte do território nacional, especialmente o eixo Centro-Sul, onde se concentraram as atividades econômicas mais importantes desse período. 
c) expandir o setor de serviços e fortalecer os sindicatos, de modo que fosse possível a integração do território nacional pela união dos trabalhadores em grandes centrais sindicais. 

d) reforçar o setor agrícola e diminuir os investimentos em indústrias para que houvesse menos importações de máquinas e equipamentos dos EUA e Europa, necessários às empresas do setor indu

strial que estavam plenamente integradas no território nacional. 
e) fortalecer as exportações de máquinas e equipamentos e gerar investimentos externos no país, para que o Brasil se desenvolvesse com maior rapidez, permitindo a construção de uma infraestrutura homogênea de integração do território nacional. 

13. (Enem 2010) A solução militar da crise política gerada pela sucessão do presidente Washington Luís em 1929-1930 provoca profunda ruptura institucional no país. Deposto o presidente, o Governo Provisório (1930-1934) precisa administrar as diferenças entre as correntes políticas integrantes da composição vitoriosa, herdeira da Aliança Liberal. 
LEMOS, R. A revolução constitucionalista de 1932. SILVA, R. M.; CACHAPUZ, P. B.; LAMARÃO, S. (Org). Getúlio Vargas e seu tempo. Rio de Janeiro: BNDES. 

No contexto histórico da crise da Primeira República, verifica-se uma divisão no movimento tenentista. A atuação dos integrantes do movimento liderados por Juarez Távora, os chamados “liberais” nos anos 1930, deve ser entendida como 
a) a aliança com os cafeicultores paulistas em defesa de novas eleições. 
b) o retorno aos quartéis diante da desilusão política com a “Revolução de 30”. 
c) o compromisso político-institucional com o governo provisório de Vargas. 
d) a adesão ao socialismo, reforçada pelo exemplo do ex-tenente Luis Carlos Prestes. 
e) o apoio ao governo provisório em defesa da descentralização do poder político 

14. (Ufmg 2010) Leia estes versos: 
Mataram-nos à traição quando dormiam, 
E foram companheiros que os mataram 
Não foi a guerra, foi o crime que os matou 
Dormiam no quartel, de madrugada, 
Mas a seu lado, 
Em sinistra vigília, 
Companheiros sem alma conspiravam, 
Sem alma porque a tinham vendido 
Ao estrangeiro de vestes vermelhas.... 
Eram os filhos malditos de Caim. 
MAUL, Carlos. Toque de Silêncio. 

É CORRETO afirmar que, nesses versos, o autor faz referência 
a) à insurreição de novembro de 1935. 
b) à Revolução Constitucionalista de 1932. 
c) à Revolução de Outubro de 1930. 
d) ao golpe civil-militar de 1964. 

15. (CFTSC 2010) Em 1929, ocorreu a queda da bolsa de valores de Nova York que desencadeou a Crise de 1929, que se prolongaria por boa parte da década de 1930. Nos Estados Unidos, surgiu o New Deal para lutar contra a situação vigente. No Brasil, vivemos nesse período a famosa Era Vargas (1930 a 1945), com destaque para o Estado Novo. 
Sobre o Estado Novo, é correto afirmar que: 
a) pregava a intervenção do Estado na economia contra o liberalismo econômico. 
b) pregava a lei da oferta e procura sem ação tutelar do Estado. 
c) pregava a democracia como única solução para os momentos de crises. 
d) pregava a liberdade social dos sindicatos como meio de diálogo entre as classes trabalhadoras. 
e) pregava a liberdade de imprensa como meio de comunicação entre o Estado e a população

16. (Uerj 2012) 


No governo Vargas, foi criado o Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a Amazônia − S.E.M.T.A., uma medida direcionada para a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial (1939-1945). 

Com base no cartaz, as ações programadas por esse serviço tiveram como principal objetivo: 
a) ocupação militar relacionada à redefinição das fronteiras nacionais 
b) proteção dos trabalhadores rurais em resposta à depressão econômica 
c) estímulo à migração para exploração de recursos naturais estratégicos 
d) demarcação de reservas florestais associada à política de defesa ambiental 

17. (Unesp 2012) Com pouco dinheiro, mas fora do eixo revolucionário do mundo, ignorando o Manifesto Comunista e não querendo ser burguês, passei naturalmente a ser boêmio. (...) Continuei na burguesia, de que mais que aliado, fui índice cretino, sentimental e poético. (...) A valorização do café foi uma operação imperialista. A poesia Pau Brasil também. Isso tinha que ruir com as cornetas da crise. Como ruiu quase toda a literatura brasileira “de vanguarda”, provinciana e suspeita, quando não extremamente esgotada e reacionária. 
(Oswald de Andrade. Prefácio a Serafim Ponte Grande, 1933.) 
O texto de Oswald de Andrade 
a) expõe o anseio do autor de que a literatura e as demais formas artísticas fossem controladas pelo Estado e escapassem, assim, da tutela da classe social hegemônica. 
b) revela algumas das principais características do movimento modernista de 1922, como a busca da identidade nacional e a adesão a projetos político-partidários de direita. 
c) indica o afastamento gradual dos participantes da Semana de Arte Moderna em relação aos componentes ideológicos de esquerda que caracterizaram o movimento. 
d) explicita a preocupação dos setores políticos e sociais dominantes frente à crise econômica provocada pela alta do preço do café e sua tentativa de regulamentar o setor. 
e) demonstra a defesa, pelo autor, da politização da produção literária e o abandono de parte dos princípios estéticos que guiaram sua obra na década anterior. 
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizá-lo.

0 comentários:

Postar um comentário