Colocação Pronominal - Questões de Vestibulares

1. (IFSP 2016) Considere o seguinte texto e as lacunas:

__________ muito a respeito da profissão correta a escolher. Para __________, é preciso paciência e informações. O jovem deve pautar sua escolha nas disciplinas que __________.

Levando em consideração o uso e a colocação pronominal, de acordo norma padrão da Língua Portuguesa, os termos que melhor preenchem, respectivamente, as lacunas acima são:
a) Se pensa – encontra-la – agradem-lhe   
b) Pensa-se – encontrar-na – o agradem   
c) Pensa-se – encontrá-la – lhe agradem   
d) Se pensa – encontrar-lha – agradem-no   
e) Pensa-se – encontra-lá – no agradem   
  
2. (Ufsm 2014) Leia o texto a seguir para responder à questão.

Um algoritmo vale mais que o charme?

Uma nova safra de sites de namoro __________ a tecnologia para juntar as pessoas à moda antiga.
Vale até um PowerPoint sobre a sua vida.

As redes sociais ampliaram não só os grupos de amigos, mas também o número de pessoas com as quais __________ ter um relacionamento amoroso. Mas o problema é que as redes sociais aumentaram a quantidade e não a qualidade dos candidatos. O novo desafio amoroso é exatamente este: filtrar as pessoas que interessam. Daí __________ serviços, como o eHarmony.com e Match.com, que ajudam a selecionar parceiros(as) dentro e fora da sua rede com a ajuda de algoritmos que analisam a compatibilidade entre duas pessoas. Outros aplicativos, como o Pair, __________ grande importância à privacidade num mundo onde as interações são cada vez mais públicas. E se der tudo errado, __________ vários sites de divórcio. Se você quiser manter o lado tradicional da separação, mas sem a lentidão da Justiça, hospede-se no DivorceHotel.com
LARIU, Alessandra. “Um algoritmo vale mais que o charme?” INFO, jul. 2012, p. 30. (adaptado)
  
Assinale a alternativa que preenche, adequadamente, as lacunas do texto, segundo os princípios da norma-padrão da língua portuguesa.
a) usa – se pode – entram – dão – existem   
b) utiliza – é possível – surgem – tem dado – há   
c) usam – pode-se – entram – dão – existem   
d) utiliza – é possível – surge – estão dando – há   
e) utilizam – se pode – entra – dão – existe   

3. (Insper 2012) Com mais de 50 anos de escrevinhação nas costas, descobri algumas ideias que muita gente faz da vida de um escritor. Por exemplo, tem quem ache que os escritores, notadamente entre eles mesmos, só falam difícil, uma proparoxítona para abrir, uma mesóclise para dar classe e um tetrassílabo para arrematar. "Em teu parecer, meu impertérrito amigo", perguntaria eu ao Rubem Fonseca, durante nosso almoço periódico, "abater-se-á hoje, sobre a nossa urbe, uma formidanda intempérie?" Ao que o Zé Rubem reagiria com uma anástrofe, um mais-que-perfeito fazendo as vezes do imperfeito do subjuntivo e uma aliteração final show de bola, coisa de craque mesmo. "Augure do tempo fora eu, pressagiá-lo-ia libentissimamente", responderia ele. "Todavia, de tal não me trato." E assim iríamos almoço afora, discutindo elevadíssimos assuntos, em linguagem só compreensível por indivíduos especiais.
João Ubaldo Ribeiro, O Estado de São Paulo, 03/07/2011.

Ao comentar a suposta sofisticação presente nas falas dos escritores, João Ubaldo Ribeiro faz menção a vários fenômenos de linguagem. A respeito deles, está correto o que se afirma em:
a) Os tetrassílabos ocorrem quando as palavras contêm um grupo de duas letras que representam um único fonema.  
b) A mesóclise, exemplificada em formas como “abater-se-á”, é uma construção que determina a colocação do pronome em relação ao verbo.  
c) A anástrofe consiste em estabelecer a concordância ideológica, isto é, de acordo com a ideia e não com as palavras que efetivamente aparecem na oração.  
d) O pretérito mais que perfeito e o imperfeito do subjuntivo expressam um processo verbal indicativo de exortação e advertência. e) A aliteração, empregada pelo autor em “libentissimamente”, exprime o auge da intensificação de uma qualidade.     

4. (Uemg 2010) Leia atentamente os versos a seguir e, depois, faça o que é pedido. 

Eu sei que vou te amar 

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida, eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar

E cada verso meu será
Pra te dizer
Que eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida

Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua, eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta tua ausência me causou

 Eu sei que vou sofrer
A eterna desventura de viver
À espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida
Vinícius de Morais e Tom Jobim

No texto dessa letra de música (MPB), observa-se a presença da linguagem coloquial, quando o leitor verifica
a) o uso da segunda pessoa do singular, em ocorrências como “a cada ausência tua”, forma de tratamento empregada em situações comunicativas menos formais, sobretudo quando seu produtor utiliza no texto gírias e jargões.  
b) o emprego da expressão “há de apagar”, uma vez que, nesse caso específico, o verbo haver, por não ser sinônimo de existir, refere-se a uma forma típica do português falado espontaneamente.  
c) a ocorrência da expressão “eu sei que vou te amar”, porquanto, na linguagem coloquial, a tendência é não empregar o pronome oblíquo posposto à locução verbal; desse modo, na modalidade padrão, a forma a ser empregada seria: eu sei que vou amar-te.  
d) a inversão sintática no verso “A cada ausência tua, eu vou chorar”, pois, como a linguagem coloquial ocorre principalmente em situações comunicativas menos tensas e formais, é natural o uso de inversões linguísticas, como a que se observa no verso citado.  

5. (CPS 2010) Considere o texto a seguir que nos informa sobre a continuidade do trabalho desempenhado por esses grupos. 

Os alunos dessa sala, após os devidos esclarecimentos feitos pela professora, resolveram transformar o que estudaram em dicas ecopráticas e publicar essas dicas ecopráticas no portal da escola. Para isso, redigiram um manual explicativo e digitaram esse manual explicativo, acrescentando ilustrações dos próprios colegas.

A repetição dos termos, que estão em destaque no texto, pode ser evitada pelo emprego adequado dos pronomes.Assinale a alternativa em que isso ocorre.
a) publicar-lhes ... o digitaram  
b) publicar-lhes ... lhe digitaram  
c) publicá-las ... o digitaram  
d) publicar-las ... lhe digitaram  
e) publicá-las ... digitaram-o     

6. (Unifesp 2008) 
Assinale a alternativa correta, tendo como referência todas as falas do menino Calvin.
a) O emprego de termos como "gente" e "tem" é inadequado, uma vez que estão carregados de marcas da linguagem coloquial desajustadas à situação de comunicação apresentada.  
b) Calvin emprega o pronome "você" não necessariamente para marcar a interlocução: antes, trata-se de um recurso da linguagem coloquial utilizado como forma de expressar ideias genéricas.  
c) O emprego de termos de significação ampla - como "noção", "tudo", "normal" - prejudica a compreensão do texto, pois o leitor não consegue entender, com clareza, o que se pretende dizer.  
d) O pronome "eles" é empregado duas vezes, sendo impossível, no contexto, recuperar-lhe as referências.  
e) O termo "bem" é empregado com valor de confirmação das informações precedentes.   

7. (Fatec 2008) NOTÍCIA DA ATUAL LITERATURA BRASILEIRA - INSTINTO DE NACIONALIDADE
     Quem examina a atual literatura brasileira reconhece-lhe logo, como primeiro traço, certo instinto de nacionalidade. Poesia, romance, todas as formas literárias do pensamento buscam vestir-se com as cores do país, e não há negar que semelhante preocupação é sintoma de vitalidade e abono de futuro.
    As tradições de Gonçalves Dias, Porto Alegre e Magalhães são assim continuadas pela geração já feita e pela que ainda agora madruga, como aqueles continuaram as de José Basílio da Gama e Santa Rita Durão. Escusado é dizer a vantagem deste universal acordo. Interrogando a vida brasileira e a natureza americana, prosadores e poetas acharão ali farto manancial de inspiração e irão dando fisionomia própria ao pensamento nacional.
    Esta outra independência não tem Sete de Setembro nem campo de Ipiranga; não se fará num dia, mas pausadamente, para sair mais duradoura; não será obra de uma geração nem duas; muitos trabalharão para ela até perfazê-la de todo.
(Machado de Assis, Crítica. Texto adaptado.) 

Assinale a alternativa contendo afirmação correta acerca de fato linguístico do texto.
a) O pronome "lhe", destacado no 10 parágrafo, pode ser substituído, com correção, por "a ela".  
b) É indiferente, para o sentido da frase, que as palavras "certo" e "semelhante", nos trechos em destaque no 10 parágrafo, posicionem-se antes ou depois dos substantivos a que se referem.  
c) Os pronomes "aqueles" e "as", em destaque no 20 parágrafo, referem-se, respectivamente, a Gonçalves Dias, Porto Alegre e Magalhães e a tradições.  
d) Os pronomes "ela" e "-la", destacados no 30 parágrafo, referem-se, respectivamente, a "obra" e "geração".  
e) A palavra "pausadamente", destacada no 30 parágrafo, expressa circunstância de tempo.      
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizá-lo.

0 comentários:

Postar um comentário