Baixa Idade Média (Renascimento Comercial e Urbano/ Cruzadas/ PesteNegra) - Questões de Vestibulares

1. (Ufpr 2016) Segundo a historiadora Miri Rubin, “longe de serem estéreis e previsíveis, as universidades medievais produziram não apenas servidores civis e burocratas eclesiásticos como também pensadores radicais, cuja obra teve impacto real e que, apesar de suas críticas desafiadoras, morreram em suas próprias camas, e não na cela de uma prisão”.
(Revista Ensino Superior, Unicamp, 25/04/2012)

A partir desse excerto e dos conhecimentos sobre o período medieval europeu, assinale a alternativa que relaciona as universidades com seu contexto de surgimento e expansão.  
a) As universidades foram patrocinadas pelo papado, para fornecerem profissionais preparados para atuar num contexto de expansão marítima e comercial e de declínio da Igreja Católica perante a formação dos Estados Nacionais, ao mesmo tempo em que estimulariam a autonomia do conhecimento escolástico.   
b) As universidades foram patrocinadas pelos comerciantes burgueses, a fim de fornecerem profissionais para atuar num contexto de iluminismo científico e de feudalização da sociedade, com o propósito de substituir os mosteiros como fonte produtora de conhecimento científico e tecnológico.   
c) As universidades foram patrocinadas pelo papado ou por reis e príncipes, a fim de fornecerem profissionais para atuar num contexto de renascimento urbano e comercial e de formação dos primeiros Estados Nacionais, tornando-se espaços autônomos de valorização do conhecimento científico.   
d) As universidades surgiram patrocinadas pelo papado, a fim de fornecerem profissionais para atuar num contexto de declínio do poder da nobreza, com o intuito de criar espaços autônomos para estudo do direito e da matemática, de modo a servir à nascente administração eclesiástica.   
e) As universidades surgiram patrocinadas por reis, príncipes ou pelo papado, a fim de fornecerem profissionais tanto para o gerenciamento eclesiástico das cidades pertencentes à Igreja Católica quanto para as cortes das nascentes monarquias nacionais, em um contexto de revolução científica.    
  
2. (Fgv 2016) Leia o documento a seguir.

“Não estabeleceremos no nosso reino nenhum subsídio ou escudagem (imposto) sem o consentimento comum do nosso reino (...).
Nenhum homem livre será detido, preso ou privado de seus bens (...) ou levado de qualquer maneira (...) salvo em virtude de um julgamento legal por seus pares (...). A ninguém venderemos, recusaremos (...) o direito ou a justiça. Todos os mercadores poderão livre e seguramente sair da Inglaterra, aí vir e morar e aí passar, por terra ou por mar, para comprar e vender (...)
Instituímos e concedemos aos nossos barões a garantia seguinte: eles elegerão 25 barões de reino, que lhes aprouverem, os quais deverão com todo o seu poder, observar, manter e fazer observar a paz e as liberdades que nós concedemos e confirmamos pela presente carta. (...)” 
(apud Gustavo de Freitas, 900 textos e documentos de História, volume II. 1976)

O trecho refere-se
a) à Declaração de Direitos, de 1689, na qual o rei Stuart Jaime II perde todo o seu poder para o Conselho Comum dos 25 Barões, e que impõe a liberdade econômica e política no reino da Inglaterra.   
b) ao Conselho Comum dos 25 Barões, órgão do qual nascerá a Câmara dos Lordes, isto é, o parlamento inglês, em 1215, para limitar os abusos do rei João Sem Terra, garantindo a justiça e a liberdade econômica.   
c) à Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 1689, limitadora dos poderes do rei Tudor Henrique VIII que, de forma violenta e arbitrária, aumentava os impostos, prejudicando o comércio da Inglaterra.   
d) ao acordo da Guerra das Duas Rosas, que estabeleceu o fim dos conflitos internos, em 1485, possibilitando ao rei Tudor Henrique VII a concentração do poder em suas mãos, com o apoio do Conselho Comum dos 25 Barões.   
e) às cláusulas da paz, estabelecidas após a Revolução Puritana, em 1649, com a morte do rei Stuart Carlos I, que favorecem os ricos comerciantes ingleses, representados no Conselho Comum dos 25 Barões.   
  
3. (Unesp 2015) 
A imagem reproduz um auto de fé. Essas cerimônias
a) ocorreram em todos os países da Europa e nas regiões colonizadas por portugueses e espanhóis.   
b) permitiram a difusão do catolicismo e tiveram papel determinante na erradicação do protestantismo na Europa central.   
c) eram conduzidas por autoridades leigas, pois a Igreja Católica não tinha vínculo com a perseguição e a punição dos hereges.   
d) tinham caráter exemplar, expondo publicamente os réus forçados a pedir perdão, antes de serem encaminhados para a execução.   
e) visavam a executar os judeus e islâmicos, não atingindo protestantes nem católicos romanos ou ortodoxos.   

4. (Ifsc 2014) 
A queda de Roma e as invasões bárbaras provocaram na Europa profundas mudanças nas relações políticas, sociais e econômicas entre o Estado e os cidadãos, estabelecendo, como base, a vinculação pessoal entre senhores, vassalos e servos. 
Fonte: http://historiapensante.blogspot.com.br/2010/05/termos-historicos-feudalismo.html. Acesso: 1 jun. 2014. 

Sobre o período do século X ao século XV na Europa, assinale a soma da(s) proposição(ões) CORRETA(S). 
01) A Idade Média, na Europa, foi caracterizada pelo aparecimento, apogeu e decadência de um sistema econômico, político e social denominado feudalismo. 
02) Durante o predomínio do feudalismo os reinos europeus contavam com um forte governo centralizado no qual o rei era autoridade absoluta. 
04) A sociedade do período era composta por três grupos principais: o clero, a nobreza e os camponeses, cada um desempenhando uma função necessária para o bom funcionamento do sistema. 
08) O clero possuía grande importância no mundo feudal, cumprindo um papel específico em termos de religião, formação moral e ideológica. 
16) A economia era baseada no comércio intercontinental devido à alta produção de excedentes agrícolas. 
32) O principal regime de trabalho que marcou o feudalismo foi a servidão, a qual impunha uma série de obrigações e taxas do servo para com o senhor feudal. 

5. (Ufsm 2013) Analise o mapa e o texto a seguir.
Todos os testemunhos concordam em situar a origem da peste na Ásia Central, onde ela existia em estado endêmico. O grande viajante Ibn Batouta, que visitou a Índia Meridional pouco depois de 1342, assinalou-a ali. Em 1347, os próprios mongóis, que sitiavam o estabelecimento mercantil genovês em Caffa, no mar Negro, foram atingidos e, por um requinte de crueldade, enviaram vários cadáveres para a cidade através de suas máquinas de guerra. Um navio que partiu de Caffa para a Itália semeou, na passagem, a peste em Constantinopla [...] depois chegou a Gênova: quando se deram conta do mal que transportavam e ordenaram que partisse, era tarde demais. A peste atacava a Itália pelos portos. As cidades do interior não souberam organizar nenhuma defesa.
Fonte: WOLFF, Philippe. Outono da Idade Média ou Primavera dos Tempos Modernos? São Paulo: Martins Fontes, 1988. p. 15. (adaptado)

A análise permite associar a rápida propagação da Peste Negra, na Baixa Idade Média europeia, a fatores, como 
a) o êxito das navegações ibéricas na abertura do caminho marítimo para as Índias orientais. 
b) a retomada das peregrinações a Jerusalém após a vitória dos cristãos europeus nas guerras das Cruzadas. 
c) o aumento do intercâmbio comercial entre a China e os países europeus, intercâmbio esse estimulado e protegido nos domínios do Império Mongol. 
d) a intensificação das transações econômicas entre o Ocidente europeu, em pleno renascimento comercial urbano, e o Oriente, através das cidades italianas e de Constantinopla. 
e) o dinamismo comercial dos Turcos Otomanos, ao transformarem a Constantinopla bizantina na Istambul moderna. 

6. (Espm 2013) 
As imagens em questão são exemplares da influência deixada na Europa Medieval pela: 
a) civilização bizantina; 
b) civilização persa; 
c) civilização romana; 
d) civilização grega; 
e) civilização muçulmana. 

7. (Ufg 2012) Analise a imagem a seguir.
Desde a Idade Média, São Tiago Maior foi retratado de várias formas. Nessa imagem do século XVII, que recorre à Reconquista na Península Ibérica, sua figura é representada como Matamouros. Com base na imagem, conclui-se que essa recorrência alude à 
a) valorização da cultura islâmica, derivada do contato com os muçulmanos. 
b) apropriação de personagens bíblicos, utilizados para legitimar a disputa territorial e religiosa. 
c) formação de uma matriz cultural ibérica, renovada pela fusão entre belicismo islâmico e apostolicismo cristão. 
d) incorporação do princípio muçulmano da Guerra Santa, favorecida pela expansão árabe. 
e) adoção do ideal muçulmano de martírio, advindo da experiência adquirida nas Cruzadas. 

8. (Ufsm 2012) Observe o mapa:
Nos começos da Baixa Idade Média europeia, a construção das catedrais góticas tornou-se possível graças ao(à)

I. aumento da importância das cidades, transformadas em novos centros dinâmicos da vida econômica, social, cultural e religiosa das populações.
II. articulação de várias forças políticas, religiosas e econômicas urbanas, sobretudo as ligadas ao comércio em expansão e às atividades produtivas nas corporações de ofício.
III. busca de novas expressões artísticas para expressar o revigoramento do fervor religioso, devido à euforia dos cristãos pelas vitórias das Cruzadas e pela derrota das forças demoníacas causadoras dos flagelos da Peste Negra.
IV. desenvolvimento da engenharia e da arquitetura a partir de inovações técnicas que permitiram construções mais elevadas, paredes menos espessas dotadas de grandes janelas com vitrais multicoloridos, através dos quais a luz do dia penetrava no interior das igrejas.

Está(ão) correta(s) 
a) apenas I. 
b) apenas II. 
c) apenas III e IV. 
d) apenas I, II e IV. 
e) I, II, III e IV. 

9. (Fatec 2009) Considere a ilustração a seguir.
A partir dos conhecimentos da história do feudalismo europeu, pode-se inferir que, na ilustração, 
a) as classes sociais relacionavam-se de forma harmoniosa por incorporarem em suas mentes os princípios elementares do cristianismo. 
b) as castas sociais poderiam modificar-se ao longo do tempo, pois isso dependia fundamentalmente da vontade do poder divino do papa. 
c) as terras dos feudos eram divididas igualmente entre os vários segmentos sociais, priorizando-se os que dependiam dela para sobrevivência. 
d) a organização social possibilitava a mobilidade, permitindo a ascensão dos indivíduos que trabalhassem e acumulassem riqueza material. 
e) a estrutura da sociedade era marcada pela ausência de mobilidade, sendo caracterizada por uma hierarquia social dominada por uma instituição cristã. 

10. (Uemg 2014) 
Os poemas apresentados, de autores desconhecidos, foram escritos no início do século XIV. Nesses poemas, encontramos uma temática comum, que era uma das características marcantes da Idade Média. 
Com base nessas informações, a temática comum é 
a) a presença da concepção de honra e coragem que estava ligada à figura dos cavaleiros, personagens importantes nesse contexto histórico, os quais se tornaram referência moral para todas as sociedades, até a atualidade. 
b) a presença do amor livre, marcado pela libertinagem e pelas orgias, de uma sociedade com regras muito mais flexíveis que as da atualidade, o que se observava no comportamento do clero, sob forma de lassidão moral. 
c) a apresentação do estilo de vida do campo, já que essa sociedade tinha como base as grandes propriedades rurais, das quais a população quase não saía, por causa do medo de ataques inimigos. 
d) a presença da forte religiosidade que marcou o período, em razão da grande influência cultural que a Igreja Católica exercia sobre uma sociedade que se sentia constantemente vigiada por Deus. 

11. (Ufrgs 2011) A Idade Média também foi denominada o "tempo das catedrais". Data deste período da História a construção da catedral de Burgos, na Espanha, reproduzida na figura abaixo
O estilo arquitetônico da catedral de Burgos é o 
a) renascentista. 
b) românico. 
c) gótico. 
d) barroco. 
e) moderno. 

12. (Uel 2008) Observe a figura e leia o texto a seguir:
"Tem-se como absolutamente certo que, a partir do fim do século VIII, a Europa Ocidental regrediu ao estado de região exclusivamente agrícola. É a terra a única fonte de subsistência e a única condição de riqueza. Todas as classes da população, desde o imperador, que não possuía outras rendas além das de suas terras, até o mais humilde dos servos, todos viviam direta ou indiretamente, dos produtos do solo, fossem eles fruto de seu trabalho, ou consistissem, apenas, no ato de colhê-los e consumi-los. [...] Toda a existência social funda-se na propriedade ou na posse da terra."
(PIRENNE, H. "História econômica e social da Idade Média". São Paulo: Mestre Jou, 1968. p.13.)

De acordo com os conhecimentos sobre o tema e a sociedade feudal europeia, é correto afirmar:

I. As terras comunais, pastagens naturais, pântanos e florestas eram consideradas propriedade legítima dos camponeses.
II. O rei, considerado soberano absoluto, tinha o poder de administrar os feudos de seus súditos.
III. Os laços de vassalagem também se realizavam entre os senhores feudais.
IV. Os servos eram obrigados a prestar serviços nas terras do manso senhorial para o sustento do senhor feudal.

Assinale a alternativa que contém todas as afirmativas corretas. 
a) I e II. 
b) I e III. 
c) III e IV. 
d) I, II e IV. 
e) II, III e IV. 

13. (Ufpel 2008) Ilustração do século XV que representa os servos prestando serviços sob a fiscalização de um agente do senhor.
Durante o feudalismo europeu, este tipo de obrigação, que era cumprida através de trabalho gratuito nas terras senhoriais, era denominada de 
a) talha. 
b) banalidades. 
c) mão-morta. 
d) comitatus. 
e) corveia.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizá-lo!

0 comentários:

Postar um comentário