Revoltas na República Velha (Canudos - Contestado - Juazeiro - Vacina -Chibata) - Questões de Vestibulares

1. (IFPE 2016) A República Oligárquica (1894-1930) foi marcada no Brasil pelo controle político exercido sobre o governo federal, pela oligarquia cafeeira paulista e pela elite rural mineira, na conhecida “política do café com leite”. Foi nesse período, ainda, que se desenvolveu mais fortemente o coronelismo, garantindo poder político regional às diversas elites locais do país. Nesse período de domínio dos fazendeiros, ocorreram conflitos sociais, entre os quais destacamos: 
a) a Revolta de Juazeiro (1911), em que o Padre Cícero liderou jagunços e cangaceiros contra os coronéis que cometiam abusos contra os camponeses no sertão do Ceará. 
b) a Revolta da Vacina (1903), que envolveu somente a elite carioca, rebelada por causa da obrigatoriedade da vacina, decretada pelo Ministro Osvaldo Cruz. 
c) a Revolta da Chibata (1910), que envolveu oficiais do Exército, os quais se negavam a continuar castigando seus subordinados com chicotes e prisões desnecessárias. 
d) a Guerra de Canudos (1897), um conflito marcado pelo fanatismo messiânico, que também envolvia questões relativas à miséria dos camponeses do interior do Nordeste. 
e) a Revolta dos 18 do Forte (1922), em que os camponeses atacaram o forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, exigindo que o governo decretasse a reforma agrária. 

2. (Uece 2016) No contexto da Primeira República, emergiu o movimento tenentista. No que diz respeito a esse movimento, pode-se afirmar corretamente que 
a) foi um movimento político-militar que ganhou apoio dos setores de alta patente do exército e eclodiu apenas na capital federal. 
b) foi um movimento basicamente integrado por oficiais de baixa patente, que trouxe à superfície a revolta da corporação contra os baixos salários e precárias condições de trabalho. 
c) assumiu uma conotação social explicitamente favorável à democracia liberal e bem condizente com ações democráticas no âmbito da corporação militar. 
d) apesar de não ter ocorrido qualquer levante ou ação radical, os tenentes passaram a defender a instalação de um governo forte e centralizado, capaz de promover a salvação nacional. 


3. (Udesc 2016) Sobre a Revolta da Chibata, assinale a alternativa correta. 
a) Embora os marinheiros revoltosos, homens negros em sua maioria, tenham assumido o controle de grandes embarcações de guerra, não souberam como manejá-las, visto que somente oficiais de alta patente possuíam conhecimento e domínio da tecnologia necessária para conduzir as embarcações de guerra. 
b) O governo não cedeu à pressão dos marinheiros revoltados e conseguiu dominar e prender todos os envolvidos. As principais lideranças foram fuziladas por formação de motim, e os demais participantes foram encaminhados a campos de trabalho no extremo norte do país. 
c) O movimento foi liderado por um marinheiro negro, João Cândido, único líder que conseguiu anistia do governo e foi imediatamente liberado, uma vez que foi quem intermediou as negociações de rendição dos marinheiros. 
d) O movimento foi composto exclusivamente por marinheiros negros que exigiam o fim dos castigos corporais e a criação de uma lei que penalizasse a discriminação racial nas forças armadas. 
e) Além do fim do castigo corporal, o movimento exigia melhoria na alimentação, criação de uma nova tabela de serviços, que diminuísse o excesso de trabalho dos marinheiros, e anistia para todos os envolvidos na revolta. 

4. (IFBA 2016) Leia com atenção o texto sobre República Velha (1889-1930) e, em seguida, assinale a alternativa correta sobre esse período.

A República Velha é dividida em dois momentos: a República da Espada e a República Oligárquica. A República da Espada abrange os governos dos marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Foi durante a República da Espada que foi outorgada a Constituição que iria nortear as ações institucionais durante a Primeira República. Além disso, o período foi marcado por crises econômicas, como a do Encilhamento, e por conflitos entre as elites brasileiras, como a Revolução Federalista e a Revolta da Armada. A República Oligárquica foi marcada pelo controle político exercido sobre o Governo Federal, pela oligarquia cafeeira paulista e pela elite rural mineira, na conhecida “política do café com leite”. Foi nesse período ainda, que se desenvolveu, mais fortemente, o coronelismo, garantindo poder político regional às diversas elites locais do país.
Disponível em: <www.brasilescola.com>. Acesso em: 23.09.2015. Adaptado. 


a) A República Velha foi marcada, politicamente, pelo Voto de Cabresto, que consistia no voto livre apenas para os homens. 
b) Durante esse período, ocorreram movimentos que pediam a volta da monarquia, como, por exemplo, o acontecido em Canudos-BA, liderado por Antônio Conselheiro. 
c) As revoltas e os movimentos ocorridos na República Velha, como Contestado, Canudos, Chibata e Cangaço, nasceram de classes populares, que não eram assistidas ou privilegiadas pelo poder público. 

d) Com a Proclamação da República no Brasil, houve a separação entre a Igreja Católica e o Estado, permitindo, assim, o reconhecimento do casamento civil, o que foi duramente contestado pelo Padre Cícero Romão, no Ceará. 
e) A Política do Café com Leite garantia a manutenção do poder político nacional entre os estados de São Paulo e Minas Gerais, sendo contestado na Região Nordestes pelos bandos de Cangaceiros, sendo o de Lampião o mais famoso.

 
5. "Canudos era exemplo perigoso que não deveria ficar na memória"
(Rui Facó)

Segundo a afirmativa, os motivos da intensa repressão ao movimento de Canudos, na Bahia, ocorreram:
a) para que no local fosse realizada uma grande distribuição de terras pelo Governo.
b) porque se tratava apenas de um movimento de fanáticos religiosos.
c) porque foi realizada apenas pelos latifundiários locais onde não houve participação do Estado Brasileiro na repressão.
d) porque os revoltosos lutavam contra a liberdade e a ordem injusta de suas vidas.
e) para que ninguém lembrasse uma revolta dos pobres do campo contra a miséria, a exploração, o monopólio da terra mantido pelos latifundiários que dominavam o Estado Brasileiro.


6. (Mackenzie) No final do século passado, surgiu no sertão da Bahia uma experiência controvertida: sertanejos tentaram estabelecer uma nova sociedade, marcada pela religiosidade, sobrevivendo à seca, à miséria e às injustiças sociais da época. O problema fundamental de Canudos era a:
a) oposição organizada dos rebeldes ao governo republicano.
b) luta exclusiva da civilização contra a barbárie conforme interpretação positivista.
c) repressão da Igreja contra a ação religiosa de Antônio Conselheiro.
d) ameaça à ordem e à segurança do Estado, já que reunia marginalizados de toda a região.
e) luta pela posse da terra, em confronto com o coronelismo e o latifúndio.

7. (Mackenzie) "Num momento em que a Marinha se reforma e tenta assimilar as técnicas modernas, seu elemento humano e seu mecanismo disciplinar ainda são regulados por códigos dos séculos XVIII e XIX. Os maus-tratos se somam à frequência dos castigos corporais. O trabalho é duro e excessivo."
(Edgard Carone - "A República Velha")

O texto acima diz respeito:
a) à Revolta da Armada do Almirante Custódio de Melo, que derrubou Deodoro da Fonseca.
b) à expedição que se dirigia à Bahia para combater Canudos.
c) à modernização da Marinha pelo Almirante Cochrane e eliminação dos maus-tratos.
d) às reclamações trabalhistas e por melhores condições de trabalho dos oficiais da Marinha.
e) à rebelião dos marinheiros chamada "Revolta da Chibata", comandada pelo "Almirante Negro", João Cândido.


8. (Mackenzie) "Em 1896 há rebanhos mil correr da praia para o sertão; então o sertão virará praia e a praia virará sertão."
(Antonio Conselheiro)
Messianismo, catolicismo rústico, Canudos foi sobretudo:
a) um foco monarquista, restaurador, que tinha fortes conexões políticas e objetivo definido.
b) conforme a visão jacobina, um perigo iminente de fanáticos degenerados contra a jovem república.
c) uma rebelião primitiva, fruto das alterações capitalistas que desestabilizaram as antigas formas de dominação social.
d) uma revolta com aspectos exclusivamente religiosos.
e) um movimento social que não resultou da estrutura fundiária ou opressão dos coronéis.


9. (Mackenzie) A mesma realidade que produziu Canudos gerou também o Cangaço, na medida em que:
a) o catolicismo rústico não fazia parte do cotidiano destes movimentos sociais.
b) ambos foram uma forma de denúncia contra a seca, miséria e arbitrariedade dos coronéis.
c) a solução dada pelo governo, tanto em Canudos como no Cangaço, foi integrar pacificamente o sertanejo à civilização.
d) o banditismo social era fortemente repudiado pela população local camponesa, que apoiava ações violentas do Estado.
e) os dois episódios foram organizados por líderes monarquistas que pretendiam derrubar a república.

10. (Pucsp) "(O movimento) não se rendeu... resistiu até o esmagamento completo. Expugnado palmo a palmo, na precisão integral do termo, caiu no dia 5 ao entardecer, quando caíram seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, à frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados."
A chacina empreendida pelo Exército em 1897, no interior do Nordeste, e com a qual o leitor de "Os Sertões", de Euclides da Cunha, entra em contato, tem uma de suas explicações:
a) na necessidade, por parte do governo, de afirmar a irreversibilidade do projeto republicano.
b) no fato de que o movimento seria uma extensão do Cangaço na região, provocando a reação dos latifundiários
c) no objetivo do Estado republicano em conter quaisquer manifestações socialistas que inculcassem ideologias revolucionárias nos camponeses.
d) na tentativa do Exército de impedir que os tenentes desertores continuassem sua pregação pelo interior do país.
e) na pressão exercida, pelo Vaticano, sobre as Forças Armadas, com o objetivo de barrar o crescimento de igrejas alternativas.


11. (Uece) "O Ceará é uma terra condenada mais pela tirania dos governos do que pela inclemência da natureza."
(TEÓFlLO, Rodolfo. A SECA DE 1915. Fortaleza: Ed. UFC, 1980. p. 31.)
Esta frase, escrita em 1916, expressa uma revolta com aquilo que o autor via acontecer no governo deste período. Marque a alternativa que indica corretamente algumas características da política cearense na Primeira República:
a) a crítica do conservador Rodolfo Teófilo se dirigia às iniciativas democráticas e socializantes que o governo de Franco Rabelo vinha implementando desde a queda de Accioly em 1912
b) o controle político era assegurado pelo domínio oligárquico e coronelista, em que se sobressai a presença de Nogueira Accioly como o principal oligarca do estado
c) apesar do rígido controle oligárquico sobre o governo, havia um clima de liberdade de expressão, em que os jornalistas e críticos do governo podiam manifestar-se sem medo de repressão
d) as oligarquias que se sucediam no poder tinham que enfrentar freqüentes revoltas urbanas, como a Sedição de Juazeiro, em 1914


12. (Unesp) A República Brasileira, na última década do Século XIX, caminhava para a consolidação da oligarquia dos coronéis-fazendeiros. A crise econômico-financeira agravava as condições de vida na cidade e no campo. A rebelião de Canudos pode ser entendida como movimento de:
a) hesitação dos mandatários políticos em desfechar medidas repressivas contra a gente oprimida.
b) tensão social agravada pela expulsão dos camponeses que atuavam nas frentes pioneiras catarinenses e paranaenses.
c) resistência da população sertaneja contra a estrutura agrário-latifundiária e as medidas repressivas oficiais.
d) descontentamento dos fanáticos que buscavam efetivar práticas liberais burguesas.
e) rebeldia dos jagunços que se opunham à rede de açudes e às campanhas de combate às secas.

13. (Uerj 2012)


O cangaço representou uma manifestação popular favorecida, basicamente, pela seguinte característica da conjuntura social e política da época:
a) cidadania restringida pelo voto censitário
b) analfabetismo predominante nas áreas rurais
c) criminalidade oriunda das taxas de desemprego
d) hierarquização derivada da concentração fundiária

14. (Cesgranrio) O governo Rodrigues Alves (1902-1906) foi responsável pelos processos de modernização e urbanização da Capital Federal - Rio de Janeiro. Coube ao prefeito Pereira Passos a urbanização da cidade e ao Dr. Oswaldo Cruz o saneamento, visando a combater principalmente a febre amarela, a peste bubônica e a varíola. Essa política de urbanização e saneamento público, apesar de necessária e modernizante, encontrou forte oposição junto à população pobre da cidade e à opinião pública porque:
a) mudava o perfil da cidade e acabava com os altos índices de mortalidade infantil entre a população pobre.
b) transformava o centro da cidade em área exclusivamente comercial e financeira e acabava com os infectos quiosques.
c) desabrigava milhares de famílias, em virtude da desapropriação de suas residências, e obrigava a vacinação anti-variólica.
d) provocava o surgimento de novos bairros que receberiam, desde o início, energia elétrica e saneamento básico.
e) implantava uma política habitacional e de saúde para as novas áreas de expansão urbana, em harmonia com o programa de ampliação dos transportes coletivos.


15. (Udesc 2014) Sobre a Revolta da Chibata (1910) assinale a alternativa correta.
a) Movimento revoltoso desenvolvido entre facções políticas rivais encontradas no governo do Rio Grande do Sul, que acabou alcançando também os Estados de Santa Catarina e Paraná.
b) Ficou assim conhecido o movimento de rebelião promovido por marinheiros contra o governo do marechal Floriano Peixoto.
c) Ficou assim conhecido o protesto de marinheiros dos couraçados Minas Gerais e São Paulo. Eles protestavam sobre a sua dura rotina de trabalho, baixos salários e castigos físicos a que eram submetidos os membros de baixa patente sempre vez que não cumpriam uma ordem estabelecida.
d) Conhecida como uma das primeiras manifestações do movimento tenentista, foi uma das mais significativas demonstrações de crise da hegemonia oligárquica na República Velha.
e) Revolta em que negros e índios se insurgiram contra a elite política e tomaram o poder no Pará (Brasil). Entre as causas da revolta encontra-se a extrema pobreza das populações.

16. (Espcex (Aman) 2014) No dia 5 de julho de 1922, três dias depois de ter sido decretada a prisão de Hermes da Fonseca, 302 jovens militares do Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, se sublevaram. Para reprimi-los, o governo enviou para lá cerca de 3 mil soldados, que cercaram a fortaleza.
Numericamente inferiorizados, a grande maioria dos amotinados se rendeu, mas poucos militares, mesmo sem condições de enfrentar as tropas legalistas, saíram pelas ruas de Copacabana de armas em punho. No meio do caminho, alguns rebeldes debandaram [...]. Nos tiroteios que se seguiram, apenas dois rebeldes sobreviveram.”

(AZEVEDO & SERIACOPI, 2007).

O texto acima, descreve o(a)

a) Intentona Comunista”, movimento desencadeado a partir de alguns quartéis do Rio de Janeiro, Recife e Natal, e que seguindo o exemplo do que ocorria na Rússia, objetivava a implantação do comunismo no Brasil.
b) revolta dos “302 do Forte”, tentativa de golpe de Estado que tinha como intuito colocar o Marechal Hermes da Fonseca na presidência do País.
c) “Intentona Integralista”, tentativa de tomada de poder por forças de extrema direita, com o objetivo de introduzir um governo centralizado com fortalecimento do Poder Executivo.
d) episódio que ficou conhecido como os “18 do Forte”, e que marca o início do movimento conhecido como Tenentismo.
e) “Revolta da Armada”, iniciada no Rio de Janeiro e disseminada por todo o sul do Brasil, unindo forças com os integrantes da Revolta Federalista.

17. (Enem 2011)
A imagem representa as manifestações nas ruas da cidade do Rio de Janeiro, na primeira década do século XX, que integraram a Revolta da Vacina. Considerando o contexto político-social da época, essa revolta revela
a) a insatisfação da população com os benefícios de uma modernização urbana autoritária.
b) a consciência da população pobre sobre a necessidade de vacinação para a erradicação das epidemias.
c) a garantia do processo democrático instaurado com a República, através da defesa da liberdade de expressão da população.
d) o planejamento do governo republicano na área de saúde, que abrangia a população em geral.
e) o apoio ao governo republicano pela atitude de vacinar toda a população em vez de privilegiar a elite.

18. (Fatec) Em CANGACEIROS E FANÁTICOS, Rui Facó registra:


"... os senhores das classes dominantes e seus porta-vozes recusavam-se a acreditar na realidade: milhares de párias do campo armados em defesa da própria sobrevivência, em luta, ainda que espontânea, não consciente, contra a monstruosa e secular opressão latifundiária e semifeudal, violando abertamente o mais sagrado de todos os privilégios estabelecidos desde o começo da colonização europeia do Brasil - o monopólio da terra nas mãos de uma minoria a explorar a imensa maioria."


O texto acima, referente ao período da República Velha do Brasil, trata:
a) da organização dos quilombos, onde se abrigavam os escravos fugitivos.
b) dos entraves que os inglesas impuseram às manufaturas portuguesas face às restrições ao tráfico negreiro.
c) das revoltas violentas de trabalhadores rurais contra o poder oligárquico.
d) das revoltas das camadas populares oprimidas, influenciadas por filosofias externas.
e) da existência de grandes contingentes de trabalhadores rurais destituídos de propriedade, no período anterior à Proclamação da República.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizar.