Filosofia da Religião - Questões de Vestibulares

1. (Ufu 2013) Com efeito, existem a respeito de Deus verdades que ultrapassam totalmente as capacidades da razão humana. Uma delas é, por exemplo, que Deus é trino e uno. Ao contrário, existem verdades que podem ser atingidas pela razão: por exemplo, que Deus existe, que há um só Deus etc. 
AQUINO, Tomás de. Súmula contra os Gentios. Capítulo Terceiro: A possibilidade de descobrir a verdade divina. Tradução de Luiz João Baraúna. São Paulo: Abril Cultural, 1979, p. 61. 

Para São Tomás de Aquino, a existência de Deus se prova 
a) por meios metafísicos, resultantes de investigação intelectual. 
b) por meio do movimento que existe no Universo, na medida em que todo movimento deve ter causa exterior ao ser que está em movimento. 
c) apenas pela fé, a razão é mero instrumento acessório e dispensável. 
d) apenas como exercício retórico. 

2. (Ufsj 2013) Segundo David Hume, “Todo raciocínio abstruso apresenta um mesmo inconveniente”, porque 
a) “pode silenciar o antagonista sem convencê-lo; e para nos darmos conta de sua força, precisamos dedicar-lhe um estudo tão intenso quanto o que foi necessário para sua invenção”. 
b) “impregna a mente humana com conceitos do idealismo que o induzem ao holismo moderno”. 
c) “justifica a disposição que a mente humana tem para se inclinar ao silogismo moderno”. 
d) “convida o raciocínio a enigmáticas considerações, direcionando-o ao ceticismo quinhentista”. 

3. (Ufsj 2013) Leia atentamente os fragmentos abaixo.
  • I. “Também tem sido frequentemente ensinado que a fé e a santidade não podem ser atingidas pelo estudo e pela razão, mas sim por inspiração sobrenatural, ou infusão, o que, uma vez aceita, não vejo por que razão alguém deveria justificar a sua fé...”.
  • II. “O homem não é a consequência duma intenção própria duma vontade, dum fim; com ele não se fazem ensaios para obter-se um ideal de humanidade; um ideal de felicidade ou um ideal de moralidade; é absurdo desviar seu ser para um fim qualquer”.
  • III. “(...) podemos estabelecer como máxima indubitável que nenhuma ação pode ser virtuosa ou moralmente boa, a menos que haja na natureza humana algum motivo que a produza, distinto do senso de sua moralidade”.
  • IV. “A má-fé é evidentemente uma mentira, porque dissimula a total liberdade do compromisso. No mesmo plano, direi que há também má-fé, escolho declarar que certos valores existem antes de mim (...).”
Os quatro fragmentos de texto acima são, respectivamente, atribuídos aos seguintes pensadores 
a) Nietzsche, Sartre, Hobbes, Hume. 
b) Hobbes, Nietzsche, Hume, Sartre. 
c) Hume, Nietzsche, Sartre, Hobbes. 
d) Sartre, Hume, Hobbes, Nietzsche. 

4. (Ufsj 2013) “Não que acreditemos que Deus exista; pensamos antes que o problema não está aí, no da sua existência [...] os cristãos podem apelidar-nos de desesperados”.
Essa afirmação revela o pensador 
a) Thomas Hobbes, defendendo o seu pensamento objetivo de que “o homem deve ser tomado como um elemento de construção da monarquia”. 
b) Nietzsche, perseguindo o direito do homem de tomar posse do seu reino animal e da sua superação e de reconduzir-se às verdades implícitas nele próprio. 
c) Jean-Paul Sartre, desenvolvendo um argumento, no qual chega à conclusão de que o existencialismo é um otimismo. 
d) David Hume, criticando as clássicas provas a favor da existência de Deus. 

5. (Ufsj 2013) Na obra “O existencialismo é um humanismo”, Jean-Paul Sartre intenta 
a) desenvolver a ideia de que o existencialismo é definido pela livre escolha e valores inventados pelo sujeito a partir dos quais ele exerce a sua natureza humana essencial. 
b) mostrar o significado ético do existencialismo. 
c) criticar toda a discriminação imposta pelo cristianismo, através do discurso, à condição de ser inexorável, característica natural dos homens. 
d) delinear os aspectos da sensação e da imaginação humanas que só se fortalecem a partir do exercício da liberdade. 

6. (Upe 2013) A história da ética, como disciplina filosófica, é mais limitada, no tempo e no material tratado, que a história das ideias morais da humanidade. Esta última história compreende o estudo de todas as normas que regulam o comportamento humano desde os tempos pré-históricos até nossos dias.
VITA, Luís Washington. Introdução à filosofia, 1964, p. 143.

Sobre esse assunto, coloque V nas afirmativas Verdadeiras e F nas Falsas.
( ) A ética é uma ciência prática e, portanto, sem rigor teórico.
( ) A ética ou filosofia moral é a parte da estética que se ocupa da reflexão a respeito das noções e dos princípios que fundamentam a vida humana.
( ) Uma das definições mais corriqueiras da ética ou moral é aquela que se refere ao estudo da atividade humana com relação aos seus fins imediatos, que é a realização plena da humanidade.
( ) A história da moral serve de objeto de reflexão para a ética, ou seja, a ética parte da diversidade de morais no tempo, com os seus respectivos valores, princípios e normas.
( ) A filosofia moral se ocupa da conduta humana sob o aspecto, segundo o qual pode ser julgada certa ou errada, virtuosa ou viciosa, boa ou má.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA. 
a) F, F, F, V, V 
b) F, F, V, V, V 
c) V, F, F, V, V 
d) V, V, F, F, F 
e) F, V, F, F, V 

7. (Ueg 2012) Uma pesquisa publicada em março de 2011 informa que o sentimento religioso está diminuindo nos países ricos e que, em algumas décadas, o ateísmo pode se tornar majoritário nessas regiões. Independentemente de concordar ou não com as conclusões da pesquisa, filosoficamente, tal perspectiva pode ser relacionada a 
a) Descartes e sua noção de que Deus existe na medida em que existe a ideia de Deus e ela está no homem, mas não veio do homem. 
b) Marx, que definiu a religião como o “ópio do povo”, considerando que as condições materiais interferem nas crenças. 
c) Sartre e a noção existencialista de que todo homem é livre e deve se responsabilizar por essa liberdade. 
d) Spinoza e sua perspectiva de um deus panteísta, um deus que seria as próprias leis da natureza. 

8. (Ufu 1998) Para Santo Agostinho, o homem chega à verdade 
a) apenas pela fé em Deus. 
b) pelo método alegórico aplicado à interpretação da Bíblia. 
c) pela iluminação divina. 
d) pela recordação da alma que estava junto a Deus. 
e) pelos sentidos e pelo intelecto. 


Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

0 comentários:

Postar um comentário