Antiguidade Oriental - Questões de Vestibulares

1. (Upf 2014)  O islamismo é a religião que mais cresce no mundo contemporâneo. Suas origens remontam ao século VII d.C. e sua expansão foi baseada na Jihad, guerra santa contra outros povos, especialmente os cristãos. Entre os séculos VII e VIII, foi constituído o Império Árabe-Muçulmano – que dominou a Península Arábica –, os territórios dos atuais Irã e Iraque, todo o norte da África e a Península Ibérica (atuais Portugal e Espanha). Nesse processo de expansão, os árabes assimilaram muitos legados culturais de outros povos com os quais conviveram, como as tradições da cultura clássica e oriental. Além disso, fizeram com que valores culturais da Antiguidade Clássica chegassem ao mundo moderno. Isso foi possível porque os árabes: 
a) conseguiram profetizar os destinos da humanidade por meio dos signos do zodíaco.    
b) difundiram, por intermédio da literatura, a obra mais conhecida dos chineses, que é Mil e uma Noites, reunião de histórias registradas entre os Séculos VIII e IX, e lidas ainda hoje no mundo ocidental.    
c) levaram para a Europa, por meio da ocupação da Península Ibérica, antigas técnicas romanas de cultivo, habilidades de arte na representação humana e a perspectiva linear na pintura.    
d) traduziram e difundiram muitos textos, concretizando importantes realizações, a partir do pensamento grego.    
e) inventaram o papel, a pólvora, a bússola, o astrolábio, os algarismos árabes e a álgebra.    
  
2. (Fgv 2014)  Após um longo período de dominação egípcia, os kushitas reorganizaram seus domínios a partir do século IX e estabeleceram Napata como a capital do seu império. Analise o mapa abaixo com atenção e assinale a alternativa correta:



a) O império de Kush estabeleceu-se ao sul do Egito e caracterizou-se pela economia de subsistência.
b) O Império de Kush estendeu seus domínios em direção ao deserto do Saara e controlou diversas rotas saarianas.   
c) Apesar da expansão kushita, o império não desenvolveu núcleos urbanos ou uma base administrativa.   
d) Os persas conquistaram todos os domínios kushitas no século VII a.C.   
e) O império de Kush conseguiu estender seus domínios até o norte do Egito nos séculos VIII e VII a.C.   

3. (Ufrgs 2011) Na África, durante a Antiguidade, entre 3.000 a.C. e 332 a.C, desenvolveu-se o primeiro Império unificado historicamente conhecido, cuja longevidade e continuidade ainda despertam a atenção de arqueólogos e historiadores. 
Esse Império 
a) legou à humanidade códigos e compilações de leis. 
b) desenvolveu a escrita alfabética, dominada por amplos setores da sociedade. 
c) retinha parcela insignificante do excedente econômico disponível. 
d) sustentou a crença de que o caráter divino dos reis se transmitia exclusivamente pela via paterna. 
e) dependia das cheias do rio Nilo para a prática da agricultura. 

4. (Ufsm 2011) A ilustração sintetiza a sociedade egípcia. A partir das informações que ela contém, é possível afirmar: 


I. Na base da sociedade, encontrava-se o rio Nilo, cujas águas podiam ser aproveitadas para o cultivo sem necessidade de técnicas específicas nem aprimoramento de organização social. 


II. O ecossistema do Nilo tinha como um dos elementos o sol, o qual está representado na figura de um deus, com disco solar sobre a cabeça, transmitindo a ideia de que ele ilumina e aquece o rio, a terra e os homens. 


III. As árvores frutíferas e as cenas de plantio e colheita ocupam o centro da pintura, indicando a importância tanto das águas do rio quanto da luz da divindade solar para o ecossistema. 


IV. A pintura é uma representação alegórica e não realista, não indicando informação sobre a estrutura política e administrativa (o faraó e seus funcionários), por isso não serve como fonte para o estudo da história e sociedade egípcias. 
Está(ão) correta(s) 
a) apenas I e II. 
b) apenas II e III. 
c) apenas III. 
d) apenas III e IV. 
e) apenas IV. 

5. (Ufc 2009) Aos egípcios devemos uma herança rica em cultura, ciência e religiosidade: eram habilidosos cirurgiões e sabiam relacionar as doenças com as causas naturais; criaram as operações aritméticas e inventaram o sistema decimal e o ábaco. 
Sobre os egípcios é correto afirmar também que: 
a) Foram conhecidos pelas construções de navios, que os levaram a conquistar as rotas comerciais para o Ocidente, devido à sua posição geográfica, perto do mar Mediterrâneo. 
b) Deixaram, além dos hieróglifos, outros dois sistemas de escrita: o hierático, empregado para fins práticos, e o demótico, uma forma simplificada e popular do hierático. 
c) Praticaram o sacrifício humano como forma de obter chuvas e boas colheitas, haja vista o território onde se desenvolveram ser desértico. 
d) Fizeram uso da escrita cuneiforme, que inicialmente foi utilizada para designar objetos concretos e depois ganhou maior complexidade. 
e) Usaram as pirâmides para fins práticos, como, por exemplo, a observação astronômica. 

6. (Fuvest) Na Antiguidade, a Europa mediterrânea e o Oriente Próximo viram o surgimento e o esfacelamento de diversos impérios. Sobre eles pode-se afirmar que 
a) a unidade política acabou depois de algum tempo por se fazer acompanhar de uma unidade religiosa. 
b) a diversidade racial e cultural enfraquecia-os, apesar da existência de mecanismos que pretendiam estabelecer uma real unidade. 
c) os centros políticos coincidiam sempre com os centros econômicos. 
d) com exceção do Império Romano, todos nasceram de confederações de cidades-Estado em constante luta interna. 
e) seus centros dinâmicos localizavam-se nas zonas litorâneas, por terem economias essencialmente mercantis. 

7. (Unesp) Os Estados Teocráticos da Mesopotâmia e do Egito evoluíram acumulando características comuns e peculiaridades culturais. Os Egípcios desenvolveram a prática de embalsamar o corpo humano porque: 
a) se opunham ao politeísmo dominante na época. 
b) os seus deuses, sempre prontos para castigar os pecadores, desencadearam o dilúvio. 
c) depois da morte a alma podia voltar ao corpo mumificado. 
d) construíram túmulos, em forma de pirâmides truncadas, erigidos para a eternidade. 
e) os camponeses constituíam categoria social inferior.

8. (Fatec) O Iraque, recentemente em guerra com os EUA e Inglaterra, já foi palco de uma grande civilização na Antiguidade, a Mesopotâmia. 
Desta civilização, inserida na área do Crescente Fértil, é correto afirmar: 
a) teve em Senaqueribe seu mais importante rei, que além de transformar a Babilônia num dos principais centros urbanos, elaborou o 1º código de leis completo, assentado nas antigas tradições sumerianas. 
b) durante o governo de Nabucodonosor foram realizadas grandes construções públicas, merecendo destaque os "Jardins Suspensos da Babilônia", considerados uma das maravilhas do Mundo Antigo. 
c) Nabopalassar, que substituiu Nabucodonosor, não conseguiu manter o império, que foi conquistado por Ciro, o Grande, da Pérsia. 
d) Assurbanípal, rei dos Assírios, depois de dominar a Caldeia, mudou a capital do império para a cidade de Ur. 
e) com Hamurábi, os sumerianos, vindos do planalto do Irã, fixaram-se na Caldéia e fundaram diversas cidades autônomas, como Ur, Nínive e Babilônia. 

9. (Fuvest) A partir do III milênio a. C. desenvolveram-se, nos vales dos grandes rios do Oriente Próximo, como o Nilo, o Tigre e o Eufrates, estados teocráticos, fortemente organizados e centralizados e com extensa burocracia. Uma explicação para seu surgimento é 
a) a revolta dos camponeses e a insurreição dos artesãos nas cidades, que só puderam ser contidas pela imposição dos governos autoritários. 
b) a necessidade de coordenar o trabalho de grandes contingentes humanos, para realizar obras de irrigação. 
c) a influência das grandes civilizações do Extremo Oriente, que chegou ao Oriente Próximo através das caravanas de seda. 
d) a expansão das religiões monoteístas, que fundamentavam o caráter divino da realeza e o poder absoluto do monarca. 
e) a introdução de instrumentos de ferro e a conseqüente revolução tecnológica, que transformou a agricultura dos vales e levou à centralização do poder. 

10. "- Se um arquiteto constrói uma casa para alguém, porém não a faz sólida, resultando daí que a casa venha a ruir e matar o proprietário, este arquiteto é passível de morte.
- Se, ao desmoronar, ela mata o filho do proprietário, matar-se-á o filho deste arquiteto."
O preceito legal anterior pertence ao seguinte Código:
a) Corpus Juris Civilis
b) Código de Hamurabi
c) Código de Direito Canônico
d) Código Napoleônico
e) Código de Justiniano

11. (Uel) " ... essencialmente mercadores, exportavam pescado, vinhos, ouro e prata, armas, praticavam a pirataria, e desenvolviam um intenso comércio de escravos no Mediterrâneo..." 
O texto refere-se a características que identificam, na Antiguidade Oriental, os 
a) fenícios. 
b) hebreus. 
c) caldeus. 
d) egípcios. 
e) persas. 

12. (Ufc) O nome do rei egípcio Amenófis IV (c.1377 a.C. - c.1358 a.C.) está ligado à reforma religiosa que substituiu o culto de Amon-Rá por Áton e determinou o fim do politeísmo. Além do caráter religioso, essa reforma buscava: 
a) limitar a riqueza e o poder político crescentes dos sacerdotes. 
b) reunificar o Egito, após as disputas promovidas pelos nomarcas. 
c) pôr fim às revoltas camponesas motivadas pelos cultos antropomórficos. 
d) reunir a população, por meio da religião, para fortalecer a resistência aos hicsos. 
e) restabelecer o governo teocrático, após o crescimento da máquina administrativa. 

13. (Ufpe) Analise a alternativa que indica s
emelhança entre o Modo de Produção Primitivo e o Modo de Produção Asiático: 
a) O solo pertencia apenas à comunidade. 
b) A unidade das diversas comunidades se fazia através do poder do Estado. 
c) O trabalho agrícola era realizado para produzir excedentes. 
d) Existia o coletivismo na agricultura. 
e) O uso da moeda era limitado. 

14. (Ufpe) Em relação à religião no antigo Egito, pode-se afirmar que: 
a) a religião dominava todos os aspectos da vida pública e privada do antigo Egito. Cerimônias eram realizadas pelos sacerdotes a cada ano, para garantir a chegada da inundação e, dessa forma, boas colheitas, que eram agradecidas pelo rei em solenidades às divindades. 
b) a religião no antigo Egito, como nos demais povos da Antigüidade, não tinha grande influência, já que estes povos, para sobreviverem, tiveram que desenvolver uma enorme disciplina no trabalho e viviam em constantes guerras. 
c) a religião tinha apenas influência na vida da família dos reis, que a usava como forma de manter o povo submetido a sua autoridade. 
d) o período conhecido como antigo Egito constitui o único em que a religião foi quase inteiramente esquecida, e o rei como também o povo dedicaram-se muito mais a seguir a tradição dos seus antepassados, considerados os únicos povos ateus da Antiguidade. 
e) a religião do povo no antigo Egito era bastante distinta da do rei, em razão do caráter supersticioso que as camadas mais pobres das sociedades antigas tinham, sobretudo por não terem acesso à escola e a outros saberes só permitidos à família real. 

15. (Ufrn) As sociedades que, na Antiguidade, habitavam os vales dos rios Nilo, Tigre e Eufrates tinham em comum o fato de: 
a) terem desenvolvido um intenso comércio marítimo, que favoreceu a constituição de grandes civilizações hidráulicas. 
b) serem povos orientais que formaram diversas cidades-estado, as quais organizavam e controlavam a produção de cereais. 
c) haverem possibilitado a formação do Estado a partir da produção de excedentes, da necessidade de controle hidráulico e da diferenciação social. 
d) possuírem, baseados na prestação de serviço dos camponeses, imensos exércitos que viabilizaram a formação de grandes impérios milenares. 

16. (Ufrn) Entre os hebreus da Antiguidade, os profetas eram considerados mensageiros de Deus, lembrando ao povo as demandas da justiça e da Lei dadas por Javé. Isaías, um dos profetas dessa época, em nome de Javé proclamou: 
Ai dos que decretam leis injustas; dos que escrevem leis de opressão, para negarem justiça aos pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo, a fim de despojarem as viúvas e roubarem os órfãos! (Isaías 10:1-2) 


Ai dos que ajuntam casa a casa, reúnem campo a campo, até que não haja mais lugar, e ficam como únicos moradores no meio da terra! (Isaías 5:8) 
Esses pronunciamentos do profeta Isaías estão ligados a uma época da história hebraica em que ocorre 
a) a saída dos hebreus do Egito, sob o comando de Moisés, e o estabelecimento em Canaã, conquistando as terras dos povos que ali habitavam. 
b) a imigração para o Egito, quando os hebreus receberam terras férteis no delta do rio Nilo, por influência de José, que exercia ali o cargo de governador. 
c) a formação de uma aristocracia, que enriquecera com o comércio e com a apropriação das terras dos camponeses endividados. 
d) a conquista de Jerusalém por Nabucodonosor, quando os judeus foram despojados de suas terras e deportados para a Babilônia. 

17. (Ufrn) Na Antiguidade, durante o reinado de Ciro I (559-529 a. C.), os persas construíram um vasto império e governaram diferentes povos, adotando uma política que respeitava as diferenças culturais e religiosas. Esse modo de proceder está exemplificado no fato de 
a) incorporarem a cultura sumeriana, especialmente os registros da nova língua semítica em caracteres cuneiformes. 
b) arregimentarem entre os caldeus, após a conquista da Babilônia, os sátrapas, administradores encarregados das províncias imperiais. 
c) libertarem os judeus cativos na Babilônia, que retornaram à Palestina e reconstruíram o templo de Salomão e o culto a I
avé. 
d) difundirem no Egito o culto de Ahura-Mazda, que, integrando-se às idéias religiosas egípcias, deu origem ao maniqueísmo. 

18. (Ufrs) O soberano dividiu o seu império em províncias, chamadas satrapias, sendo a terra considerada como propriedade real e trabalhada pelas comunidades. 
Estas características identificam o 
a) império dos persas durante o reinado de Dario. 
b) império babilônico durante o governo de Hamurabi. 
c) antigo império egípcio durante a dinastia de Quéops. 
d) reino de Israel sob o comando de Davi. 
e) estado espartano durante a vigência das leis de Dracon. 


19. (Ueg 2012)
Artigo 200: Se um homem arrancou um dente de um outro homem livre igual a ele, arrancarão o seu dente. 


Artigo 201: Se ele arrancou o dente de um homem vulgar pagará um terço de uma mina de prata. 


Artigo 202: Se um homem agrediu a face de um outro homem que lhe é superior, será golpeado sessenta vezes diante da assembleia com um chicote de couro de boi. 
CÓDIGO DE HAMURÁBI. In: VICENTINO; DORIGO. História para o Ensino Médio. São Paulo: Scipione, 2001. p. 47. 
Estes artigos pertencem ao célebre Código de Hamurábi, primeiro registro escrito de leis de que se tem notícia. Com base na leitura dos exemplos apresentados, conclui-se que 
a) a pena pelo delito cometido pode variar de acordo com a posição social da vítima e do agressor. 
b) para a legislação de Hamurábi, a Lei de Talião era absoluta, sempre “olho por olho, dente por dente”. 
c) Hamurábi conseguiu unificar a Babilônia a partir da implantação de um só código de leis para todo o território. 
d) os antigos babilônios consideravam que agredir a face de um homem era mais grave do que arrancar seu dente. 

20. (Uftm 2012) Em janeiro de 2011, os jornais noticiaram que os protestos contra o governo do Egito poderiam ter um efeito colateral muito sério: a destruição ou dano de várias relíquias, obras e sítios arqueológicos da antiga civilização egípcia. De acordo com as agências de notícias, houve várias tentativas de saquear o museu do Cairo. Numa delas, indivíduos quebraram pouco mais de uma dezena de estátuas e decapitaram duas múmias, recentemente identificadas como avós do faraó Tutankhamon. Alguns saqueadores pareciam procurar apenas por ouro. 

Sobre o material arqueológico proveniente do Antigo Egito, é correto afirmar que 
a) sua destruição afetaria a economia do Egito, mas não traria consequências sérias para a ciência e para a história, que já estudaram esse material. 
b) grande parte dele foi destruído pelos próprios egípcios ainda na Antiguidade, como estratégia para proteger os segredos de sua cultura dos invasores. 
c) foi uma das causas dos protestos contra o governo, que pagou grandes somas para reaver objetos em poder de países europeus. 
d) permitiu compreender a importância dos rituais fúnebres, como atestam os sarcófagos do Vale dos Reis. 
e) tem grande valor artístico e confirmou o que já se sabia dos antigos egípcios por meio de documentos escritos. 

Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizar.

1 comentários:

  1. EXERCÍCIOS QUE NOS ENSINAM O QUE NÃO APRENDEMOS EM SALA DE AULA. OBRIGADA. BOA VISTA, RR - 29 DE JULHO DE 2013

    ResponderExcluir