Brasil - Clima - Questões de Vestibulares

1. (Ufjf-pism 1 2016)  Pulmão do mundo. No que você pensa ao ouvir essa expressão? Ora, só dá para imaginar que a Amazônia é a maior produtora mundial do oxigênio que mantém a Terra viva! Acontece que essa história de "pulmão do mundo" é uma enorme bobagem. (...) E mais: florestas como a Amazônia, segundo os cientistas, são ambientes em clímax ecológico. Isso quer dizer que elas consomem todo – ou quase todo – o oxigênio que produzem. 
Disponível em: <http://brasilnomundo.org.br/analises-e-opiniao/como-o-brasil-vai-implantaros-
objetivos-do-desenvolvimento-sustentavel-ods/#.Viv8fCtmM0p>. Acesso em: 20 out. 2015.

O verdadeiro “pulmão do mundo” são
a) as algas marinhas, uma vez que produzem mais oxigênio pela fotossíntese do que precisam na respiração.   
b) as áreas cultivadas, porque impedem que os raios solares transformem o oxigênio em gás carbônico.   
c) as estepes e campos que, devido à vegetação de gramíneas, consomem menos oxigênio do que produzem.   
d) os bosques e florestas, porque seus arbustos promovem a absorção do oxigênio através de suas folhas.   
e) os continentes gelados que durante o degelo promovem a liberação de oxigênio para a atmosfera.   
  
2. (Upe-ssa 2 2016)  Observe atentamente a figura a seguir:

Essa situação atmosférica é típica em anos nos quais
a) só sopram, sobre o Nordeste brasileiro, os ventos planetários alísios de nordeste.   
b) se instalam, sobre a região Sul do Brasil, fluxos de ar polar setentrional.   
c) se configura o fenômeno “El Niño”.   
d) se espalham anomalias térmicas negativas na superfície das águas do Pacífico Equatorial.   
e) só agem, sobre a região Sudeste do Brasil, os fluxos de ar advectivo polar.   

3. (Ufrgs 2013) O mapa abaixo representa os estudos realizados pelo geógrafo brasileiro Aziz Nacib Ab’Saber, sobre os domínios morfoclimáticos do Brasil, que resultam da interação entre relevo, clima e vegetação.


Considere as seguintes afirmações a respeito dos domínios morfoclimáticos e a respectiva localização no mapa.
  • I. Domínio da Caatinga (1 no mapa): relevo formado por depressões e planaltos. Possui clima semiárido, com chuvas concentradas em alguns meses do ano. A vegetação de arbustos espinhosos e cactáceas sofre alterações desde a época do Brasil colônia.
  • II. Domínio do Cerrado (2 no mapa): a vegetação tem sido intensamente alterada para dar lugar às áreas de pastagens e para a instalação de lavouras (sobretudo o cultivo da soja).
  • III. Domínio das Araucárias (3 no mapa): região caracterizada pela presença de planaltos em estruturas dobradas, com muitas serras e morros.
  • IV. Faixas de Transição (4 no mapa): áreas intermediárias que possuem características ambientais de dois ou mais domínios morfoclimáticos, como é o caso do Pantanal mato-grossense. 

Quais estão corretas?
a) Apenas I e II.
b) Apenas I e III.
c) Apenas II e III.
d) Apenas II e IV.
e) Apenas III e IV.

4. (Ufrn 2013) Os fragmentos textuais a seguir apresentam informações sobre fenômenos climáticos contrastantes, que ocorrem num mesmo período, em diferentes regiões do Brasil.
Um total de 800 municípios do Nordeste se encontra em situação de emergência devido à seca, depois de o Governo declarar, nesta sexta-feira, que 25 novas cidades do estado da Paraíba estão nessa circunstância.

Disponível em: <http://noticias.r7.com/internacional/ noticias/seca-no-nordeste-deixa-800-municipios-em-situacao-de-emergencia-20120601.html>. Acesso em: 4 jun. 2012.


No Amazonas, mais de 80 mil famílias sofrem com a cheia dos rios, 50 municípios permanecem em situação de emergência, incluindo a capital, e outros 3 continuam em estado de calamidade. Em Manaus, o Rio Negro continua subindo, mas apenas um centímetro por dia. Ontem, a cota foi de 29,97 metros.
Disponível em:<http://www.dgabc.com.br/News/5960490/ cheia-no-amazonas-afeta-mais-de-80-mil-familias.aspx>. Acesso em: 04 jun. 2012.

Entre outros fatores, a ocorrência dos fenômenos climáticos está associada
a) à posição do Sertão do Nordeste como uma área de convergência de massas de ar e à atuação da massa Tropical Atlântica na Amazônia.
b) à predominância do relevo de planície no Sertão do Nordeste e à localização em zona de alta latitude na Amazônia.
c) à perda de umidade das massas de ar que circulam sobre o Sertão do Nordeste e à atuação da massa Equatorial Continental na Amazônia.
d) à posição do Sertão do Nordeste como área de dispersão de massas de ar e à localização da Amazônia em zona de baixa latitude.

5. (Espm 2013)


A alternativa que encerra corretamente o tipo climático e o respectivo gênero agríco­la cultivado em larga escala atualmente é:
a) 2 Tropical típico, Trigo
b) 3 Árido, Cacau
c) 4 Tropical úmido, Soja
d) 5 Subtropical, Fruticultura de irrigação
e) 6 Tropical de altitude, Café

6. (Uepb 2013) Em uma das suas músicas mais famosas, o cantor Jorge Bem Jor diz: “moro num país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza”. Como 90% do território brasileiro encontra-se entre os Trópicos de Câncer e Capricórnio, vivemos, sim, num país tropical. No entanto, o espaço brasileiro não se limita apenas ao clima tropical, existem outras variações climáticas. Os elementos mais utilizados para definir os tipos de clima são o volume das precipitações e as médias de temperaturas anuais.

De acordo com as informações do texto e seus conhecimentos sobre o tema, os CLIMOGRAMAS abaixo retratam os climas:



a) equatorial e tropical de altitude
b) subtropical e semiárido
c) semiárido e tropical atlântico
d) subtropical e equatorial
e) equatorial e tropical de semiárido

7. (Unicamp 2013) O esquema abaixo representa a entrada de uma frente fria, uma condição atmosférica muito comum, especialmente nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Sobre esta condição é correto afirmar que:
a) É típica de inverno, quando massas frias atravessam essas regiões, provocando inicialmente uma precipitação e, na sequência, queda da temperatura e tempo mais seco.
b) Trata-se da chegada de uma massa quente, que ocorre tanto no verão quanto no inverno, provocando intensas chuvas, sendo comuns a ocorrência de tempestades e o aumento significativo na temperatura.
c) O contato entre as massas de ar indica fortes chuvas, de tipo orográficas, que permanecem estacionadas num mesmo ponto durante vários dias.
d) As precipitações de tipo convectivas ocorrem especialmente nos meses de verão, sendo comum a ocorrência de chuvas de granizo no final da tarde.

8. (IFBA 2012) Frente fria baixou a temperatura em Salvador
Frio e calor são relativos. Tudo depende do padrão normal de temperatura do lugar, em cada época do ano. Maio e Junho são períodos de frentes frias grandes e fortes que chegam a Salvador. É um mês de chuva na capital baiana e de ventos frios, de origem polar, que baixam a temperatura junto com a chuva. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura máxima em Salvador, nesta sexta-feira, foi de apenas 26°C. A tarde de hoje foi uma das mais amenas na capital baiana. A passagem de uma frente fria deixou a cidade com excesso de nuvens, provocou chuva e também levou o vento frio polar para Salvador. A menor temperatura máxima registrada este ano em Salvador foi de 25°C, em 19 de maio. Ontem, a máxima foi de 25,3°C, a segunda mais baixa do ano.

Disponível em: http://www.climatempo.com.br. Acesso em: 3 de julho de 2011.

De acordo com o texto e os seus conhecimentos sobre a dinâmica das massas de ar no território brasileiro, pode-se afirmar que
a) no inverno, a Massa Equatorial Continental quente e úmida, originária da Amazônia, ao chegar até o litoral da Bahia, onde ocorre um clima úmido, provoca chuva e elevação da temperatura.
b) a Massa Equatorial Atlântica, originaria da Região Sul, ao se deslocar para o nordeste do território brasileiro, provoca queda de temperatura e ocasiona grande precipitação.
c) a Massa Polar Atlântica, originária do sul da Argentina, fria e com pouca umidade, ao se deslocar até o litoral nordestino, encontra-se com a Massa Tropical Atlântica, provocando chuvas frontais e queda de temperatura.
d) a Massa Tropical Atlântica, formada sobre o Oceano Atlântico, na região do Trópico de Câncer, provoca grande precipitação e queda de temperatura ao se chocar com a Massa Equatorial Atlântica, estacionada na Região Nordeste do Brasil.
e) durante o inverno, a Massa Polar Atlântica fria e úmida, ao se deslocar para o litoral nordestino, provoca elevação de temperatura e tempo estável.

9. (Uespi 2012) A Amazônia brasileira possui um elevado índice médio anual de chuvas que se reflete nitidamente em diversos aspectos paisagísticos. Essas chuvas dominantes na região são decorrentes:
a) da ascensão do ar em face das elevações do Planalto Central e da cobertura vegetal nele predominante.
b) dos baixos valores de evapotranspiração potencial existentes na região.
c) da ascensão do vapor d’água das partes mais inferiores da troposfera; o ar aquecido ascendente se resfria e se condensa.
d) do encontro de massas de ar termicamente diferentes com predomínio de anticiclones.
e) da baixa nebulosidade dominante e das densas florestas perenifólias que propiciam a ascensão orográfica do ar úmido.

10. (Pucsp 2012) Observe o gráfico:



Você examinou o climograma da cidade de Teresina. Ele retrata algumas características climáticas da área e sobre elas pode-se afirmar que a) o climograma mostra uma variação nas precipitações, com estação seca marcada, que é típico das localidades nessa latitude.
b) a estação chuvosa marcada e a estabilidade nos níveis de temperaturas correspondem à entrada de massas quentes e úmidas em Teresina.
c) temperaturas altas e constantes, média precipitação anual correspondem a um clima tropical e seco, devido, entre outros motivos, à continentalidade.
d) climas com boa variação nas médias térmicas mensais, como mostra o climograma, são típicos de localidades nessa faixa de latitude.
e) trata-se de um clima tropical úmido, o que fica marcado por uma estação chuvosa e uma estação seca não muito acentuada.

11. (Ufrn 2013) O Rio Grande do Norte apresenta a maior parte do seu território inserido na sub-região do Sertão, onde predomina o clima Tropical Semiárido, que se caracteriza por elevadas temperaturas e baixos índices pluviométricos. No entanto, nessa mesma sub-região, há ocorrência do clima Tropical Sub-úmido, conforme pode ser observado no mapa a seguir.

Na área destacada por um círculo no mapa, as temperaturas amenas ocorrem devido à influência

a) do relevo de altitudes mais baixas.
b) da localização geográfica em zona de baixa latitude.
c) do relevo de altitudes mais elevadas.
d) da localização geográfica em zona de alta latitude.

12. (Unesp 2013) Para o geógrafo Aziz Nacib Ab’Sáber, o domínio morfoclimático e fitogeográfico pode ser entendido como um conjunto espacial extenso, com coerente grupo de feições do relevo, tipos de solo, formas de vegetação e condições climático-hidrológicas.


São características do domínio morfoclimático dos Mares de Morros:
a) relevo com morros residuais; solos litólicos; vegetação formada por cactáceas, bromeliáceas e árvores; clima semiárido.
b) relevo com topografia mamelonar; solos latossólicos; floresta latifoliada tropical; climas tropical e subtropical úmido.
c) relevo de chapadas e extensos chapadões; solos latossólicos; vegetação com arbustos de troncos e galhos retorcidos; clima tropical.
d) relevo de planaltos ondulados; manchas de terra roxa; vegetação de pinhais altos, esguios e imponentes; clima temperado úmido de altitude.
e) relevo baixo com suaves ondulações; terrenos basálticos; vegetação herbácea; clima subtropical.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizar.