Romantismo - Questões de Vestibulares

1. (Unicamp 2017) O romance Memórias póstumas de Brás Cubas é considerado um divisor de águas tanto na obra de Machado de Assis quanto na literatura brasileira do século XIX. Indique a alternativa em que todas as características mencionadas podem ser adequadamente atribuídas ao romance em questão.
a) Rejeição dos valores românticos, narrativa linear e fluente de um defunto autor, visão pessimista em relação aos problemas sociais.   
b) Distanciamento do determinismo científico, cultivo do humor e digressões sobre banalidades, visão reformadora das mazelas sociais.   
c) Abandono das idealizações românticas, uso de técnicas pouco usuais de narrativa, sugestão implícita de contradições sociais.   
d) Crítica do realismo literário, narração iniciada com a morte do narrador-personagem, tematização de conflitos sociais.   
  
2. (Unicamp 2017) Sabe-se que Coração, cabeça e estômago é uma obra atípica na produção ficcional de Camilo Castelo Branco. Em relação a essa obra, assinale a alternativa em que todas as características listadas são corretas.
a) Inclusão da edição do livro como parte do jogo narrativo; sátira da poesia e das motivações espirituais; caracterização do herói como alguém incapaz de amar.   
b) Paródia da vida romântica e natural; espiritualização das necessidades do corpo; transformação do herói ao longo da narrativa.   
c) Descrição da formação do indivíduo; caricatura dos valores e sentimentos românticos; impossibilidade de adaptação do herói à vida social.   
d) Caricatura das questões relacionadas ao espírito e à posição social; elogio irônico das motivações fisiológicas; ridicularização do herói.   
  
3. (Ueg 2016) Leia o excerto e observe a pintura a seguir para responder à questão.

[...]

E indo a dizer o mais, cai num desmaio.
Perde o lume dos olhos, pasma e treme,
Pálida a cor, o aspecto moribundo;
Com mão já sem vigor, soltando o leme,
Entre as salsas escumas desce ao fundo.
Mas na onda do mar, que, irado, freme,
Tornando a aparecer desde o profundo,
– Ah! Diogo cruel! – disse com mágoa, –
e sem mais vista ser, sorveu-se na água. 
DURÃO, Frei José de Santa Rita. Caramuru. In: Hernâni Cidade – Santa Rita Durão.
Rio de Janeiro: Agir, 1957. p. 88.
  

Verifica-se, entre a pintura e o excerto apresentados, uma relação intertextual, na medida em que ambos tematizam
a) a morte, que se dá de forma gradativa no fragmento e de um modo direto na pintura.   
b) a solidão, que se dá de maneira prolixa no fragmento e de forma abstrata na pintura.   
c) o grotesco, que se dá de modo objetivo no excerto e de maneira indireta na pintura.   
d) a gratidão, que se dá de maneira paradoxal no excerto e de modo incisivo na pintura.   
e) o ódio, que se dá de maneira simplista no fragmento e de maneira obscura na pintura.   

4. (Fuvest 2013) V – O samba

À direita do terreiro, adumbra-se* na escuridão um maciço de construções, ao qual às vezes recortam no azul do céu os trêmulos vislumbres das labaredas fustigadas pelo vento.

(...)

É aí o quartel ou quadrado da fazenda, nome que tem um grande pátio cercado de senzalas, às vezes com alpendrada corrida em volta, e um ou dois portões que o fecham como praça d’armas.

Em torno da fogueira, já esbarrondada pelo chão, que ela cobriu de brasido e cinzas, dançam os pretos o samba com um frenesi que toca o delírio. Não se descreve, nem se imagina esse desesperado saracoteio, no qual todo o corpo estremece, pula, sacode, gira, bamboleia, como se quisesse desgrudar-se.

Tudo salta, até os crioulinhos que esperneiam no cangote das mães, ou se enrolam nas saias das raparigas. Os mais taludos viram cambalhotas e pincham à guisa de sapos em roda do terreiro. Um desses corta jaca no espinhaço do pai, negro fornido, que não sabendo mais como desconjuntar-se, atirou consigo ao chão e começou de rabanar como um peixe em seco. (...)
José de Alencar, Til.
(*) “adumbra-se” = delineia-se, esboça-se. 

Considerada no contexto histórico a que se refere Til, a desenvoltura com que os escravos, no excerto, se entregam à dança é representativa do fato de que 
a) a escravidão, no Brasil, tal como ocorreu na América do Norte e no Caribe, foi branda. 
b) se permitia a eles, em ocasiões especiais e sob vigilância, que festejassem a seu modo. 
c) teve início nas fazendas de café o sincretismo das culturas negra e branca, que viria a caracterizar a cultura brasileira. 
d) o narrador entendia que o samba de terreiro era, em realidade, um ritual umbandista disfarçado.
e) foi a generalização, entre eles, do alcoolismo, que tornou antieconômica a exploração da mão de obra escrava nos cafezais paulistas. 

5. (Uneb 2014)

I. Chegou no verão, em janeiro, quando soube que Geraldo cancelara o contrato de locação da casa, nos Barris. Primeiro, e logo que se deu a Geraldo como uma escrava, foi o Jardim da Piedade com a casa tão perto da igreja que acordava com o sino batendo forte todas as manhãs. O Campo Grande, a seguir, lugar de grandes árvores e muitos pássaros. Depois, o prédio magro de três andares na ruazinha da ladeira, no Rio Vermelho, onde permaneceria os últimos quinze anos ao lado do mar e de Geraldo. E dali, após vender os móveis para apurar um pouco mais de dinheiro, dali saiu enxotada para o Bângala.
FILHO, Adonias. O Largo da Palma. Novelas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981. p. 29.

II. No momento de ajoelhar aos pés do celebrante, e de pronunciar o voto perpétuo que a ligava ao destino do homem por ela escolhido, Aurélia, com o decoro que revestia seus menores gestos e movimentos, curvara a fronte, envolvendo-se pudicamente nas sombras diáfanas dos cândidos véus de noiva.
Malgrado seu, porém, o contentamento que lhe enchia o coração e estava a borbotar nos olhos cintilantes e nos lábios aljofrados de sorrisos, erigia-lhe aquela fronte gentil, cingida nesse instante por uma auréola de júbilo.
No altivo realce da cabeça e no enlevo das feições cuja formosura se toucava de lumes esplêndidos, estava-se debuxando a soberba expressão do triunfo, que exalta a mulher quando consegue a realidade de um desejo férvido e longamente ansiado.
ALENCAR, José de. Senhora: perfil de mulher. 2. ed. São Paulo: FTD, 1993. p. 73.

O texto II faz parte do romance Senhora, de José de Alencar, obra representativa do Romantismo no Brasil.
Comparando-o com o texto I, inserido na narrativa O Largo da Palma, sobre as figuras femininas em foco está correto o que se afirma na alternativa 
a) Os perfis de Aurélia e Eliane atendem ao gosto estético romântico. 
b) Aurélia e Eliane são enfocadas como estereótipos da mulher presa a convenções sociais. 
c) Aurélia e Eliane são personagens — cada uma em sua época — representativas de um ideal de mulher a ser atingido. 
d) Os textos, embora se enquadrem em épocas literárias distintas, apresentam o ser feminino como vítima de um destino previamente traçado.
e) Aurélia é apresentada sob uma perspectiva de idealização; já Eliane é mostrada como uma mulher carente, que se frustra nas relações amorosas. 

6. (Espm 2014) O amor cortês foi um gênero praticado desde os trovadores medievais europeus. Nele a devoção masculina por uma figura feminina inacessível foi uma atitude cons­tante. A opção cujos versos confirmam o exposto é: 
a) Eras na vida a pomba predileta 
(...) Eras o idílio de um amor sublime. 
Eras a glória, - a inspiração, - a pátria, 
O porvir de teu pai! 
(Fagundes Varela) 

b) Carnais, sejam carnais tantos desejos, 
Carnais sejam carnais tantos anseios, 
Palpitações e frêmitos e enleios 
Das harpas da emoção tantos arpejos... 
(Cruz e Sousa) 

c) Quando em meu peito rebentar-se a fibra, 
Que o espírito enlaça à dor vivente, 
Não derramem por mim nenhuma lágrima 
Em pálpebra demente. 
(Álvares de Azevedo) 

d) Em teu louvor, Senhora, estes meus versos 
E a minha Alma aos teus pés para cantar-te, 
E os meus olhos mortais, em dor imersos, 
Para seguir-lhe o vulto em toda a parte. 
(Alphonsus de Guimaraens) 

e) Que pode uma criatura senão, 
entre criaturas, amar? 
amar e esquecer 
amar e malamar, 
amar, desamar, amar? 

(Manuel Bandeira) 
7. (Uepa 2014) A literatura, ao longo dos anos, tem sido veículo de comunicação entre o sujeito e o mundo. A poesia de Castro Alves intitulada Condoreira é uma forte representante do poder comunicativo exercido pela palavra através da literatura. Com base nesta afirmação, marque a alternativa em que os versos demonstrem este caráter condoreiro da comunicação do poeta fundamentado no uso da hipérbole. 
a) Oh, Eu quero viver, beber perfumes
Na flor silvestre, que embalsama os ares;
Ver minh’alma adejar pelo infinito,
Qual branca vela n’amplidão dos mares, 

b) Tu és, ó filha de Israel formosa...
Tu és, ó linda, sedutora Hebreia...
Pálida rosa da infeliz Judéia
Sem ter orvalho, que do céu deriva. 

c) (...)
Ó mar, por que não apagas
co'a esponja de tuas vagas
de teu manto este borrão?...
Astros! Noites!Tempestades!
Rolai das imensidades,
Varrei os mares, tufão! 

d) Canta, criança, és a ave da inocência.
Tu choras porque um ramo de baunilha
Não pudeste colher,
Ou pela flor gentil da granadilha*?
*o mesmo que maracujá 

e) Se a natureza apaixonada acorda
Ao quente afago do celeste amante,
Diz!... Quando em fogo o teu olhar transborda,
Não vês minh'alma reviver ovante? 

8. (Pucrs 2014) #vemprarua foi expressão celebrada nas redes sociais em 2013. Não foram apenas os vinte centavos na redução das tarifas do transporte público, mas sim uma série de descontentamentos com o Brasil e com os políticos que o governam que levaram multidões a fechar avenidas e a gritar palavras de ordem. Nesta prova de literatura em língua portuguesa, você deverá resolver questões que retratam os políticos, a insatisfação do povo com a política e também as suas manifestações contra o sistema.

Para responder à questão, leia os versos abaixo e o comentário sobre o poema do qual a estrofe foi extraída, preenchendo as lacunas com o nome do autor e o título das obras.

[...] Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!
Se é loucura... se é verdade
Tanto horror perante os céus...
Ó mar, por que não apagas
Co’a esponja de tuas vagas
De teu manto este borrão?...
Astros! noites! tempestades!
Rolai das imensidades!
Varrei os mares, tufão! [...] 

“Se observarmos os poemas mais conhecidos de _________, como _________ ou _________, vislumbraremos o quanto é possível cada um desses famosos textos serem cadernos de gravuras, em que uma imagem completa outra, na lógica irrefutável do sonho. [...] Tanto em um como no outro, a visão é a de quem contempla do alto, com asas do futuro, desde os filhos da África, livres, em sua terra, até as cenas da tragédia no mar que os torna escravos sob o açoite.”
(Adaptado de Carlos Nejar, História de Literatura Brasileira).

A alternativa que completa corretamente as lacunas do comentário é: 
a) Castro Alves – ‘Vozes d’África’ – ‘O navio negreiro’ 
b) Gonçalves Dias – ‘Canção do exílio’ – ‘O canto do Piaga’ 
c) Álvares de Azevedo – ‘Vozes d’ África’ – ‘No mar’ 
d) Gonçalves Dias – ‘O navio negreiro’ – ‘O canto do guerreiro’ 
e) Castro Alves – ‘Canção do exílio’ – ‘Saudação a Palmares’ 

9. (Uepa 2014) A poesia social de Castro Alves, por meio da denúncia da situação dos escravos, muitas vezes comunica a ânsia de liberdade. Marque a alternativa em que os versos demonstrem este tom denunciante de sua linguagem literária. 
a) Ainda hoje são, por fado adverso,
Meus filhos –alimária* do universo,
Eu- pasto universal...
*animal quadrúpede 

b) Como as plantas que arrasta a correnteza,
A valsa nos levou nos giros seus...
E amamos juntos...
E depois na sala “Adeus” eu disse-lhe a tremer co’a fala... 

c) Amigo! O campo é o ninho do poeta...
Deus fala, quando a turba está quieta,
Às campinas em flor.
— Noivo — Ele espera que os convivas saiam... 

d) Era o tempo em que as ágeis andorinhas
Consultam-se na beira dos telhados,
E inquietas conversam, perscrutando
Os pardos horizontes carregados... 

e) É tarde! É muito tarde! O templo é negro...
O fogo-santo já no altar não arde.
Vestal! não venhas tropeçar nas piras...
É tarde! É muito tarde! 

10. (Ufrgs 2014) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem.
O projeto literário de __________ consistia em “radiografar” o Brasil em sua totalidade. Assim, narrou o passado indígena, em __________, a sociedade burguesa fluminense do século XIX, em __________, e o mundo rural em __________. 

a) José de Alencar – A Moreninha – Til – Iracema 
b) Joaquim Manuel de Macedo – Iracema – Senhora – A Moreninha 
c) Joaquim Manuel de Macedo – Iracema – A Moreninha – Til 
d) José de Alencar – Til – A Moreninha – Senhora
e) José de Alencar – Iracema – Senhora – Til 

11. (Uepa 2014) Assinale a alternativa em que as frases retiradas do conto O Rebelde comunicam uma visão negativa da Cabanagem. 
a) Desde então as minhas relações com o velho do outro mundo sofreram uma modificação considerável. Comecei por minha vez a ter-lhe medo. 
b) – Paxiúba – respondeu o mulato, contendo-se a custo – quando a gente chega à idade que tenho, não teme insultos, nem ameaças, tratando-se de cumprir um dever. Ser brasileiro não é ser assassino, caboclo! 
c) Os cabanos demoraram-se ainda algumas horas no sítio. Depois de terem carregado as canoas de cacau, fumo, aguardente e tudo quanto puderam haver às mãos, despediramse calorosamente de Paulo da Rocha. 
d) Paulo da Rocha dissertou longamente sobre as causas da cabanagem, a miséria originária das populações inferiores, a escravidão dos índios, a crueldade dos brancos, os inqualificáveis abusos com que esmagam o pobre tapuio, a longa paciência deste. 
e) Franqueza, franqueza, não confiávamos muito no velho do outro mundo, apesar do que tinha feito por nós. 

12. (Acafe 2014) Considerando o contexto histórico descrito no texto a seguir, assinale a alternativa correta quanto à produção literária no Brasil.

“Na Europa, a segunda Revolução Industrial promovera modificações profundas. Inovações tecnológicas desenvolveram a produção em massa de bens diversos. As cidades cresceram muito (em detrimento do campo), e formou-se um proletariado que logo começou a organizar-se politicamente. E, dentro desse contexto, as artes mudaram: a belle époque assiste a uma sucessão de movimentos artísticos revolucionários.” 
(LAFETÁ, 1982, p. 99)

a) Na literatura rompeu-se com a tradição clássica, imposta pelo período árcade, e apresentaram- se novas concepções literárias, dentre as quais podem ser apontadas: a observação das condições do estado de alma, das emoções, da liberdade, desabafos sentimentais, valorização do índio, a manifestação do poder de Deus através da natureza acolhedora ao homem, a temática voltada para o amor, para a saudade, o subjetivismo. 
b) Os escritores brasileiros abordaram a realidade social do país, destacando a vida nos cortiços, o preconceito, a diferenciação social, entre outros temas. O homem é encarado como produto biológico passando a agir de acordo com seus instintos, chegando a ser comparado com os animais (zoomorfização). 
c) O romance focou o regionalismo, principalmente o nordestino, onde problemas como a seca, a migração, os problemas do trabalhador rural, a miséria, a ignorância foram ressaltados. Além do regionalismo, destacaram-se também outras temáticas; surgiu o romance urbano e psicológico, o romance poético-metafísico e a narrativa surrealista. 
d) As características comuns às obras literárias brasileiras desse período são: a ruptura com a linguagem pomposa parnasiana; a exposição da realidade social brasileira; o regionalismo; a marginalidade exposta nas personagens e associação aos fatos políticos, econômicos e sociais. 

13. (Insper 2014) Utilize os textos abaixo para responder à(s) questão(ões).
Texto 1 
Canção do tamoio 
(...) Porém se a fortuna, 
Traindo teus passos, 
Te arroja nos laços 
Do imigo falaz! 
Na última hora 
Teus feitos memora, 
Tranquilo nos gestos, 
Impávido, audaz. 
E cai como o tronco 
Do raio tocado, 
Partido, rojado 
Por larga extensão; 
Assim morre o forte! 
No passo da morte 
Triunfa, conquista 
Mais alto brasão. (...) 
(Gonçalves Dias) 

Texto 2 
Berimbau 

Quem é homem de bem não trai 
O amor que lhe quer seu bem. 
Quem diz muito que vai não vai 
E, assim como não vai, não vem. 
Quem de dentro de si não sai 
Vai morrer sem amar ninguém, 
O dinheiro de quem não dá 
É o trabalho de quem não tem, 
Capoeira que é bom não cai 
E, se um dia ele cai, cai bem! 
(Vinicius de Moraes e Baden Powell) 

No fragmento poético de Gonçalves Dias, um pai explica ao filho como se comporta um guerreiro no momento da morte. Esse conselho demonstra que os românticos viam os índios
a) como retrato de uma sociedade em crise, pois eles estavam sendo dizimados pelos colonizadores europeus, que tinham grande poder militar. 
b) de modo cruel, uma vez que, em lugar de criticar as constantes lutas entre tribos rivais, eles preferiam falar dos aspectos positivos da violência. 
c) de modo idealizado, com valores próximos aos das Cruzadas europeias, quando era nobre morrer por uma causa considerada justa. 
d) como símbolos de um país que surgia, sem nenhuma influência dos valores europeus e celebrando apenas os costumes dos povos nativos da América.
e) com base no mito do “bom selvagem”, mostrando que eles nunca entravam em conflitos entre si. 

14. (Unifesp 2014) Os versos de Casimiro de Abreu que se aproximam da ideia de saudade, tal como descrita por Massaud Moisés, encontram- se em: 
a) Se eu soubesse que no mundo / Existia um coração, / Que só por mim palpitasse / De amor em terna expansão; / Do peito calara as mágoas, / Bem feliz eu era então! 
b) Oh! não me chames coração de gelo! / Bem vês: traí-me no fatal segredo. / Se de ti fujo é que te adoro e muito, / És bela – eu moço; tens amor, eu – medo!... 
c) Naqueles tempos ditosos / Ia colher as pitangas, / Trepava a tirar as mangas, / Brincava à beira do mar; / Rezava às Ave-Marias, / Achava o céu sempre lindo, / Adormecia sorrindo / E despertava a cantar! 
d) Minh’alma é triste como a flor que morre / Pendida à beira do riacho ingrato; / Nem beijos dá-lhe a viração que corre, / Nem doce canto o sabiá do mato!
e) Tu, ontem, / Na dança / Que cansa, / Voavas / Co’as faces/ Em rosas / Formosas / De vivo, / Lascivo / Carmim; / Na valsa / Tão falsa, / Corrias, / Fugias, / Ardente, / Contente,/ Tranquila, / Serena, / Sem pena / De mim! 

15. (Uepa 2014) 
Dos Gamelas1 um chefe destemido,
Cioso d’alcançar renome e glória,
Vencendo a fama, que os sertões enchia,
Saiu primeiro a campo, armado e forte
Guedelha2 e ronco dos sertões imensos,
Guerreiros mil e mil vinham trás ele,
Cobrindo os montes e juncando as matas,
Com pejado carcaz3 de ervadas setas
Tingidas d’urucu, segundo a usança
Bárbara e fera, desgarrados gritos
Davam no meio das canções de guerra.
Chegou, e fez saber que era chegado
O rei das selvas a propor combate
Dos Timbiras ao chefe. –– “A nós só caiba,
(Disse ele) a honra e a glória; entre nós ambos
Decida-se a questão do esforço e brios.
Estes, que vês, impávidos guerreiros
São meus, que me obedecem; se me vences,
São teus; se és o vencido, os teus me sigam:
Aceita ou foge, que a vitória é minha.”

1 - tribo indígena; 
2 - chefe de tribo;
3 - objeto para carregar as setas.
DIAS, Gonçalves. Os Timbiras: poema americano. Salvador: Progresso, 1956. 

A cena de luta entre dois guerreiros, narrada logo no início de Os Timbiras, também revela uma situação comunicativa. A conversa entre dois guerreiros revela: 
a) a idealização de personagens frágeis e evasivas diante do tédio. 
b) o nacionalismo condoreiro que foi a grande marca do engajamento romântico. 
c) o nacionalismo a partir da retratação fiel do passado histórico brasileiro. 
d) a reprodução de temas e heróis inspirados no comportamento dos cavaleiros medievais.
e) o sarcasmo autodestrutivo que caracterizou o gosto romântico pelo tema da morte. 

16. (Unifesp 2005) 

Meus oito anos 
Oh! que saudades que tenho 
Da aurora da minha vida, 
Da minha infância querida 
Que os anos não trazem mais! 
Que amor, que sonhos, que flores, 
Naquelas tardes fagueiras 
À sombra das bananeiras, 
Debaixo dos laranjais! 
(Casimiro de Abreu) 

Comparando-se a ideia de "saudades", apresentada nos versos de Casimiro, com a da propaganda, é correto afirmar que elas são 
a) equivalentes, pois ambas tratam da questão do afastamento e da impossibilidade do contato físico. 
b) contrárias, pois a primeira traduz um sentimento de tristeza profunda; já a segunda, uma tristeza superável. 
c) diferentes, pois os versos tratam de um sentimento mais geral, envolvendo fases da vida; e a propaganda, de um sentimento mais específico, envolvendo as pessoas. 
d) semelhantes, pois remetem à possibilidade de vencer barreiras para suprir os sentimentos.
e) paradoxais, pois envolvem alegria e tristeza para expressar o que se sente por algo que está distante. 

17. (Ufc 2000) Avalie as informações constantes do quadro a seguir. 

Marque a alternativa que avalia corretamente tais afirmações. 
a) A afirmação 1 acerta quanto à classificação da obra e erra quanto à escola literária. 
b) A afirmação 2 erra quanto à escola a que pertence a obra e acerta nos dados do autor. 
c) A afirmação 3 acerta quanto à classificação da obra e quanto aos dados do autor. 
d) A afirmação 1 erra quanto à classificação da obra e acerta quanto aos dados do autor.
e) A afirmação 4 acerta quanto à classificação do romance e quanto à escola literária.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizá-lo!