Estratificação Social - Diferenças Sociais - Classes Sociais - Questões de Vestibulares

1. (Upe-ssa 3 2016) Leia o texto a seguir:
O conceito sociológico contido no texto faz referência à maneira pela qual os indivíduos se organizam socialmente, com base em fatores econômicos, políticos, históricos, religiosos, etc. Portanto, o texto se constitui por
a) um meio de divisão igualitária de gênero.   
b) uma homogeneidade cultural.   
c) uma distribuição igualitária do poder.   
d) um aumento mensal da renda familiar.   
e) uma organização social de base econômica.   

2. (Ufg 2014) Leia a receita apresentada a seguir.
TACACÁ
2 litros de tucupi temperado
4 dentes de alho
4 pimentas de cheiro
4 maços de jambu
1/2 kg de camarão
1/2 xícara de goma de mandioca
Sal a gosto
Modo de servir: muito quente, em cuias, temperado com pimenta.
Disponível em: <www.receitastipicas.com/receita/tacaca.html>. Acesso em: 9 set. 2013.

Comer é um ato social, histórico, geográfico, religioso, econômico e cultural. O preparo dos alimentos, a escolha dos ingredientes e a maneira de servir identificam um grupo social e ajudam a estabelecer uma identidade cultural. Essa receita, “Tacacá”, comida muito apreciada na culinária paraense, demonstra 
a) uma interação cultural, com a incorporação de ingredientes advindos de tradições culinárias distintas. 
b) um modo de preparo espontâneo, associado aos padrões culinários da colônia. 
c) um modelo ritualista de servir, vinculado ao formalismo religioso africano. 
d) um modo de utilizar os ingredientes provenientes do extrativismo, associado ao nomadismo dos quilombos. 
e) uma imposição de identidade cultural, pelo uso de produtos cultivados em áreas sertanejas.

3. (Upe 2013) O Status social é o lugar ou posição, que a pessoa ocupa na estrutura social. Isso implica direitos, deveres, prestígios e/ou privilégios, de acordo com o valor que a sociedade atribui a cada posição ocupada pelo indivíduo. Sobre esse assunto, assinale a alternativa que indica uma situação social em que o status é atribuído. 
a) João é filho de operário, pois seu pai é funcionário de uma fábrica têxtil. 
b) Ana Maria optou por se casar com seu ex-noivo, pois não se sentia bem com o atual namorado. 
c) Paulo estudou e se formou técnico em mecânica, embora seus pais “desejassem” um filho formado em medicina. 
d) Adriana é militante de um partido político da cidade onde mora, pois tem as mesmas ideias de transformação da sociedade. 
e) Carlos conseguiu a vaga de emprego que esperava depois de aprovado na seleção. 

4. (Uel 2005) “A legislação penal do fim do século XIX determinava: a ociosidade era considerada ‘crime’ e, como tal, punida. Reconhecida e legitimada abertamente, a prática da repressão aos desempregados e subempregados – os pobres – ficava clara no discurso dos responsáveis pela segurança pública e pela ordem nas cidades. O controle social dessas camadas deveria ser realizado de forma rígida. Sidney Chalhoub afirma que os legisladores brasileiros utilizam o termo ‘classes perigosas’ como sinônimo de ‘classes pobres’, e isso significa dizer que o fato de ser pobre o torna automaticamente perigoso à sociedade [...]. A existência do crime, da vagabundagem e da ociosidade justificava o discurso de exclusão e perseguição policial às camadas pobres e despossuídas”. 
(PEDROSO, Regina Célia. Violência e cidadania no Brasil: 500 anos de exclusão. São Paulo: Ática, 2002. p. 24.) 

O texto acima discute a configuração das classes sociais no Brasil, tomando como referência as questões da cidadania e da violência. 
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que, no final do século XIX, no Brasil: 
a) A ação dos poderes públicos no trato da questão social estava centrada na supressão dos desníveis entre as classes sociais, condição básica para a emergência do Brasil industrializado. 
b) A herança colonial da estrutura social brasileira conduzia o poder estatal a reconhecer como legítimas as lutas das classes populares no questionamento da estrutura política oligárquica vigente. 
c) O combate às “classes perigosas” obrigava os poderes públicos à implementação de políticas de geração e distribuição de renda, reduzindo, assim, a influência do Partido Comunista Brasileiro junto aos pobres. 
d) O desemprego e a criminalidade referidos às classes populares eram vistos pelos poderes públicos, menos como questão social e mais como questão de polícia, dentro de uma concepção restritiva de cidadania. 
e) A repressão policial restringia-se aos desempregados e subempregados, pois os trabalhadores assalariados eram protegidos por uma legislação trabalhista que garantia, por exemplo, aposentadoria e descanso remunerado. 

5. (Upe 2013) As desigualdades sociais no Brasil têm muitas causas e geram várias consequências. Historicamente, elas iniciaram seu desenvolvimento com a chegada dos portugueses. A Sociologia vem estudando as diferenças sociais entre os brasileiros, em diversos aspectos. Sobre esse assunto, assinale a alternativa CORRETA. 
a) As condições de miserabilidade da população estão ligadas prioritariamente aos péssimos salários pagos. 
b) A relação entre desigualdades e questões raciais no Brasil é um tema histórico. Por essa razão, tornou-se preocupação dos estudos sociológicos a partir da década de 1990. 
c) A noção da pobreza frente às desigualdades sociais no país revela concepções com enfoques no aumento do enriquecimento, do desenvolvimento industrial e da privação relativa. 
d) Os programas assistenciais (Bolsa-Família, Fome Zero e outros tantos) do governo brasileiro avançaram, mas os índices de pobreza não diminuíram. 
e) O setor informal é outro fator indicador de condições de reprodução capitalista no Brasil. Os camelôs e vendedores ambulantes são trabalhadores, que não estão juridicamente regulamentados, mas que revelam a especificidade da economia brasileira. 

6. (Ufu 2000) De acordo com a teoria de Marx, a desigualdade social se explica 
a) pela distribuição da riqueza de acordo com o esforço de cada um no desempenho de seu trabalho. 
b) pela divisão da sociedade em classes sociais, decorrente da separação entre proprietários e não proprietários dos meios de produção. 
c) pelas diferenças de inteligência e habilidades inatas dos indivíduos, determinadas biologicamente. 
d) pela apropriação das condições de trabalho pelos homens mais capazes em contextos históricos, marcados pela igualdade de oportunidades.

7. (Upe 2013) Observe a charge a seguir: 
Ela faz referência a uma forma de desigualdade. Acerca das características dessa estrutura social, analise as alternativas e marque a CORRETA. 
a) A hierarquização é rígida, baseada em critérios hereditários, profissionais, étnicos, religiosos, que determinam as relações entre as pessoas. 
b) A tradição é um elemento fundamental na definição das relações estabelecidas entre os diferentes grupos. 
c) A mobilidade de um estrato para outro nessa estrutura é possível, mas é controlada pelos indivíduos que estão na hierarquia superior da organização. 
d) As pessoas se diferem umas das outras pelo lugar ocupado por elas num sistema historicamente determinado de produção social, de relação com os meios de produção e por seu papel na organização social do trabalho. 
e) A escolha do cônjuge deve ser feita exclusivamente no seio da organização social, com base nos critérios hereditários. 

8. (Ucs 2012) A sociedade brasileira obteve várias conquistas durante o período da redemocratização e, ao longo desses anos, implantou mudanças positivas em relação à cidadania e aos direitos civis dos brasileiros, porém [...] ainda há muito a ser melhorado. Apesar do crescimento econômico e da diminuição do número de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza nos últimos anos, as desigualdades sociais ainda são profundas e estão entre os principais problemas enfrentados pela sociedade. 
(PELLEGRINI, M. C. Novo olhar história. São Paulo: FTD, 2010, p. 263, v. 3. – Texto adaptado.) 

Considere as seguintes afirmações sobre a sociedade brasileira. 
I. Segundo pesquisas, pequena parte da população brasileira detém a maior parte da riqueza nacional, enquanto os demais ficam com a menor parcela. 
II. A exploração da mão de obra infantil ocorre da mesma forma em todas as regiões brasileiras. O menor trabalha em pedreiras, na colheita de amendoim e em carvoarias, sendo seu trabalho trocado apenas por arroz e farinha. 
III. As crianças em situação de rua perambulam pelas cidades, dormem sob pontes, viadutos ou marquises, alimentam-se mal e não frequentam escolas. Vivem uma realidade que ressalta a brutalidade, a violência, o desamparo, além do problema com a drogadição. 

Das afirmações acima, 
a) apenas I está correta. 
b) apenas II está correta. 
c) apenas I e III estão corretas. 
d) apenas II e III estão corretas. 
e) I, II e III estão corretas. 

9. (Uema 2011) As sociedades modernas são complexas e multifacetadas. Mas, é com o capitalismo que as divisões sociais se tornam mais desiguais e excludentes. Marx já observara que só o conflito entre as classes pode mover a história. Assim sendo, para o referido autor, em qual das opções se evidencia uma característica de classe social? 
a) O status social e cultural dos indivíduos. 
b) A função social exercida pelos indivíduos na sociedade. 
c) A ação política dos indivíduos nas sociedades hierarquizadas. 
d) A identidade social, cultural e coletiva. 
e) A posição que os indivíduos ocupam nas relações de produção. 

10. (Uenp 2011) “A pobreza e a desigualdade são construções sociais que se desenvolvem e consolidam a partir de estruturas, agentes e processos que lhes dão forma histórica concreta. Os países e regiões da América Latina moldaram, desde os tempos coloniais até nossos dias, expressões desses fenômenos sociais que, embora apresentem as peculiaridades próprias de cada contexto histórico e geográfico, compartilham um traço em comum: altíssimos níveis de pobreza e desigualdade que condicionam a vida política, econômica, social e cultural. O conceito de construção é praticamente similar ao de produção, sendo utilizado aqui para enfatizar que a pobreza é o resultado da ação concreta de agentes e processos que atuam em contextos estruturais históricos de longo prazo.” 
(Produção de pobreza e desigualdade na América Latina. Antonio David Cattani, Alberto D. Cimadamore (orgs.) ; tradução: Ernani Ssó. — Porto Alegre : Tomo Editorial/Clacso, 2007, p. 07.) 

De acordo com o texto é correto afirmar: 
a) A pobreza sempre existiu e é da natureza das sociedades organizadas que ela ocorra. 
b) A pobreza não pode ser considerada característica presente em toda a América Latina. 
c) A desigualdade social não condiciona a vida política, econômica, social ou cultural. 
d) A pobreza não pode ser considerada fruto da desigualdade. 
e) A pobreza e a desigualdade são construções sociais que se desenvolvem na história e por isso são absolutamente reversíveis. 

11. (Uffs 2011) Ao relacionar Sociologia e Política, temos o pensador Jean-Jacques Rousseau como um expoente do iluminismo do século XVIII. Esse autor, com muita propriedade, analisou as origens das desigualdades existentes na sociedade de sua época e, segundo ele, a espécie humana apresentava dois tipos de desigualdade: 
a) Uma, que chamava de espiritual, porque o ser humano sempre se orientou pela necessidade religiosa de adoração ao divino. Outra pela desigualdade produzida pela luta do homem pela sobrevivência. 
b) Uma, que apontava como natural, visto que os seres humanos são dotados de diferenças físicas que muitas vezes são determinantes de sucesso. Outra relacionada à questão psicológica, pois os homens naturalmente são diferentes de mulheres, orientando diferenças inatas de comportamento social. 
c) Uma, que chamava de espiritual ou gnosiológica, pois a espiritualidade humana acabava por moldar a cultura do homem diferente da cultura animal. Outra que ele designou como diferença cultural, pois a cultura é genuinamente humana. 
d) A desigualdade provocada por fenômenos naturais que acabava por orientar diferenças culturais das sociedades ainda pré-históricas e a desigualdade promovida pela luta do homem pela sobrevivência, visto que essa luta representou a evolução do ser humano até os dias de hoje. 
e) Uma, que chamava natural ou física, porque foi estabelecida pela natureza e que consiste na diferença das idades, da saúde, das forças corporais e das qualidades da alma. Outra, que se pode chamar de desigualdade moral ou política, pois depende de uma espécie de convenção e foi estabelecida pelo consentimento dos homens.

12. (Upe 2012) Observe as fotos a seguir: 
Essas imagens refletem as desigualdades sociais existentes no Recife, que também podem ser encontradas em outras grandes cidades do Brasil. Em relação às desigualdades sociais, assinale a alternativa correta. 
a) As diferenças sociais vêm diminuindo significativamente no país, ao longo dos anos, com a divisão igualitária das riquezas. Entretanto, essas transformações só foram possíveis graças aos movimentos contra a corrupção, que permitiram o acúmulo de bens no Brasil. 
b) As péssimas condições de habitação revelam que o Estado não está voltado nem preparado para a aplicação da riqueza social (oriunda dos impostos arrecadados), que possibilita o bem-estar da maioria da população. 
c) O processo de industrialização em curso no nosso país vem favorecendo todos os setores da população, considerando seus problemas básicos. 
d) As palafitas, em contraposição aos prédios luxuosos, demonstram como as desigualdades entre as classes sociais são baseadas numa hierarquização rígida. 
e) O que determina as desigualdades sociais nas sociedades são as relações de classe, exceto nas sociedades rurais. 
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

1 comentários: