Temas para redação (ENEM): A transformação do papel da mulher nasociedade contemporânea

A questão da transformação do papel da mulher na sociedade é um bom treino para a redação do Enem porque engloba, entre outros, tópicos relativos a mercado de trabalho e igualdade de direitos — abordagens de exames anteriores. “As redações do Enem em geral optam por temas de caráter social. A mudança do papel da mulher ainda não apareceu e, por isso, pode ser uma aposta”, diz a professora Vivian D’Angelo Carrera, do Cursinho do XI.

O primeiro passo para desenvolver esse tipo de assunto em um texto argumentativo é analisar, por exemplo, o contexto histórico da mulher na sociedade brasileira. “A história aponta para uma modificação grande e acelerada na atuação da mulher no último século. Isso fica claro quando lembramos que elas conquistaram direito ao voto em 1932 e que hoje há uma mulher à frente da Presidência da República”, diz a professora de redação do Curso Etapa Simone Ferreira Gonçalves Motta.

Apesar das conquistas, a mulher ainda não possui as mesmas oportunidades que os homens em muitas áreas e situações. Elas costumam, por exemplo, ganhar menos no mercado de trabalho para exercer a mesma função. Isso pode motivar abordagens sobre o que deve ser feito para garantir a elas direitos e oportunidades já conferidos a eles.

Desenvolvimento: Um bom ponto de partida para o tema é relembrar passagens importantes da história e, a partir disso, elaborar uma comparação entre os direitos que a mulher possuía no passado e os que possui atualmente. É o caso do já citado direito de voto. Hoje, elas são maioria no universo de eleitores do Brasil, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As mudanças, é claro, não se restringem a essa. As mulheres obtiveram conquistas legais, mas não só. Do ponto de vista do comportamento derrubaram, especialmente após a II Guerra Mundial, antigas tradições e preconceitos. As vitórias incluem o direito de estudar, de trabalhar e de ter ou não filhos (e em que número). Nesse ponto, a transformação está intimamente ligada à revolução feminista, na década de 1960, impulsionada pela popularização da pílula anticoncepcional.

Os avanços não podem ignorar os problemas que perduram. É o caso das desigualdades no mercado de trabalho, o acúmulo de deveres dentro e fora de casa e também a violência doméstica.

Por norma, a redação do Enem cobra respeito aos direitos humanos. Ainda que a regra seja imprecisa, para dizer o mínimo, ignorá-la pode levar à anulação da dissertação. Na avaliação da professora Simone, a aplicação da norma ao tema do papel da mulher na sociedade contemporânea conduz obrigatoriamente à defesa da igualdade de direitos — inclusive entre gêneros. “Se todos são iguais, não há motivos para a mulher ser tratada de forma diferente, ganhar menos, por exemplo”, diz.

Tenha cuidado: Fuja de clichês como “sexo frágil”, que não servem mais como elogio; se mal utilizados, podem soar como preconceituoso. Não esqueça também que falar sobre abusos sofridos pelas mulheres, por exemplo, pode ser parte da dissertação, mas não o tema principal.

Disponível em http://veja.abril.com.br
Compartilhe no Google Plus

Sobre Portal do Vestibulando

O objetivo do site é fornecer material didático a todas as pessoas que buscam ampliar seus conhecimentos, vestibulandos ou não. Assim, caso você precise de algum material específico, entre em contato conosco para que possamos disponibilizar.